Institucional

A Experiência com a Igreja e com o Carisma na JMJ

comshalom

Raul com o grupo de jovens natalenses no Rio de Janeiro

 

        O Portal ComShalom em Natal lançou um desafio a um jovem da missão.  Descrever ele próprio a experiência que viveu na Jornada Mundial da Juventude no Rio de Janeiro.  Missão dada, missão cumprida.  O estudante do curso de jornalismo e vocacionado Shalom,  Raul Victor conta agora sobre a experiência vivida com a Igreja e com o Carisma durante os dias de peregrinação no Rio de Janeiro.

         “Ir para a jornada foi até fácil.  Meu pai queria garantir que eu não perdesse a oportunidade de vivenciar essa grande experiência de fé junto a Igreja e isso facilitou a questão financeira” – conta Raul quando questionado sobre as dificuldade de ir até o Rio – “Acho que foi mais desafiante ‘sobreviver’ lá durante os cinco dias de JMJ do que os desafios que tive para me locomover pela capital carioca”, entre gargalhadas o estudante relembra como foi a correria para andar pela cidade.  O troca-troca de ônibus, metrô e trem, além de ter que correr ainda mais quando descobriu que o ônibus que ia para Copacabana só passada  a umas quatro quadras  de onde ele e seus amigos se encontravam.

         Raul reafirma o que muitos antes dele já cansaram de repetir: “a Jornada é uma experiência como nenhuma outra, você realmente sente que a Igreja é viva, pulsante, que a Igreja é jovem e que existem outros três milhões e meio de jovens que vivem aquilo que você busca viver junto a Jesus”. Para o estudante de jornalismo a Jornada Mundial da Juventude deste ano não foi apenas uma experiência com a Igreja, mas também o  Carisma Shalom em si: “pelo fato de ter sido no Brasil acho que ajudou, você encontrava “shalomitas” em todas as esquinas, andávamos pela rua e quando menos esperávamos ouvíamos alguém gritar ‘SHALOM!, perecia que éramos uma pequena/grande nação de “shalomitas”, um povo de diferentes raças, cores e línguas que tinham como hino nacional o louvor a Deus e a Amizade ao santo Padre”, relembra.

         02 Em meio a vasta programação de atos culturais e centrais, Raul garante que dois momentos se tonaram inesquecíveis para ele nessa JMJ. O primeiro foi na missa de abertura com dom Oranir e o segundo na noite da Vigília com o Papa Francisco.  Raul relembra que percebeu concretamente a imensidão do evento na missa de abertura e que na noite da Vigília com o Papa passou toda a peregrinação de 9km pedindo: ” Meu Deus, que na hora que Você for exposto, eu possa estar na areia diante de Ti, para assim te adorar” – e no exato momento em que Jesus foi exposto ele tinha acabado de estirar o saco de dormir e se encontrava de frente pro telão. “Foi um momento que selou e deu sentido a todos os sacrifícios vividos nos últimos dias”, pontua.

          Com relação a próxima jornada, Raul lembra que a Polônia era o seu principal palpite. “Não sei o porquê, mas saí de Natal já com essa impressão, eu tinha certeza de que em 2017 eu ia bater na polônia (…) e quando o Santo Padre anunciou que seria na Cracóvia, eu dei um grito e comemorei tão euforicamente que nem meus amigos entenderam”.

          O Universitário já começou a juntar suas economias visando a JMJ 2017, e que pretende fazer de tudo para conseguir o dinheiro, pois possui planos de desenvolver um roteiro de peregrinação pela Europa.


Comentários

Aviso: Os comentários são de responsabilidade dos autores e não representam a opinião da Comunidade Shalom. É proibido inserir comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem os direitos dos outros. Os editores podem retirar sem aviso prévio os comentários que não cumprirem os critérios estabelecidos neste aviso ou que estejam fora do tema.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *