Formação

A experiência do Sagrado na Evangelização

comshalom

<!– /* Style Definitions */ p.MsoNormal, li.MsoNormal, div.MsoNormal {mso-style-parent:""; margin:0cm; margin-bottom:.0001pt; mso-pagination:widow-orphan; font-size:12.0pt; font-family:"Times New Roman"; mso-fareast-font-family:"Times New Roman";}@page Section1 {size:595.3pt 841.9pt; margin:70.85pt 3.0cm 70.85pt 3.0cm; mso-header-margin:35.4pt; mso-footer-margin:35.4pt; mso-paper-source:0;}div.Section1 {page:Section1;}–>

Daniela Neves

Comunidade Católica Shalom em Fortaleza

 

O homem é um ser religioso. Esta afirmação contém uma grandechave para entendermos como a experiência com o Sagrado é uma porta aberta eeficaz para a evangelização.

Mergulhando um pouco na dimensão antropológica do sagrado,percebemos que é essencial ao ser humano a sede de encontrar respostas, debuscar em si e nas situações, verdades sobre si mesmo, sobre Deus, sobre a suaalma. Isso o impele a buscar algo que seja transcendente à sua existência,dando-lhe respostas que atinjam a satisfação de sua alma, continuando esta, noentanto, perenemente insatisfeita. Nisso percebe-se que o ser humano traz noseu coração o sentido do tempo, da eternidade (Ecle 3,11) e este sensor não éalgo automático e mecânico, mas, pulsa, tem vida e tende a crescer à medida queele experimenta o sagrado. Ainda que o homem não creia no transcendente,persiste constantemente em seu íntimo a indagação sobre a presença de algo quesupõe a sua existência.

Muitos estudos atuais afirmam que a experiência do sagradosurge bem antes que o ser humano tenha qualquer tipo de ciência ou representaçãosobre Deus. Essa experiência é intrínseca à sua vida. “O sentido do sagradoestá relacionado à dimensão ontológica da pessoa. Entendemos então, osentimento religioso como uma tentativa de busca do sagrado, entendido comoanseio da potência do ser. ” Podemos fazer uma alusão com a criança que éconcebida no ventre de sua mãe. A mãe e o filho desenvolvem uma relação tãoíntima que, ao nascer, a criança reconhece na sua genitora os seus própriostraços. A criança, portanto, identifica-se ao primeiro contato com a mãe; vive,assim, a sua primeira experiência de júbilo e encantamento.

O contato com o Sagrado provoca em nós essa identificaçãoperfeita, uma identificação como filho de Deus, gerando em nossa alma aexperiência de júbilo e encantamento, porque o Sagrado é parte de nossacondição humana. Esta condição não é anulada, mesmo que o homem encontre-sedistanciado de Deus. Contudo, quando este retorna à sua condição filial, odivino é concebido como absoluto, potencializando sua identificação com Aqueleque o criou. O inverso desta experiência é provocado pelo relativismo, no qualo homem absolutiza o que é temporal. Podemos chamar essa experiência de‘coisificação’ do ser humano, ocultando qualquer semelhança com o Divino elevando o homem a negar a si mesmo.

Esta análise muito nos ajuda a compreendermos como aexperiência com aquilo que é sacro é importante para a evangelização. As nossasações evangelizadoras devem despertar no coração do homem ferido e afastado deDeus, a profunda identificação que ele possui com Aquele que o criou. Eleencontra o real sentido de sua existência e, profundamente identificado comDeus, ele vê-se profundamente amado. Nesta experiência o homem pressente oDivino, se vê como fruto das entranhas do Criador, percebe-se pertencente a umarealidade que é superior a dele e ao que poderia pensar sobre si mesmo, suadignidade é resgatada e ele vive uma transformação em seu ser.

Nesse contexto vemos que a liturgia supõe a experiência como Sagrado. Sendo ponte para a comunhão com toda a Igreja da terra e do céu,torna-se, então, um poderoso e eficaz meio de conhecimento do Pai Criador detodas as coisas, do Filho que deu seu Corpo e seu Sangue para a redenção dahumanidade e do Espírito, o amor do Pai e do Filho e o santificador de todas asalmas. Nisso vemos a importância dos ícones, da simbologia litúrgica, queinsere o nosso ser, por meio dos sentidos, a uma contemplação mais profunda dosmistérios celebrados. As imagens sacras e iconográficas são como portas abertasà experiência com o Sagrado, pois revelam os traços da Palavra de Deus,permitindo a quem contempla ser purificado em seus sentidos. Os cantoslitúrgicos também muito colaboram para a vivência da celebração, sendo elesexecutados com harmonia e sobriedade.

Destacamos também a importância de uma catequesemistagógica, que leve os participantes da celebração litúrgica a penetrarem nomistério que está sendo revelado por meio da Eucaristia. As monições feitaspelo comentarista durante as Celebrações Eucarísticas, sendo bem preparadas,claras e querigmáticas, são meios eficazes de evangelização, pois, nestesmomentos, muitas almas compreendem e retomam o sentido de suas vidas, e voltampara Deus. 

Sejamos reveladores do Sagrado em nossa evangelização, paraque o homem sofrido e desfigurado pelo pecado encontre a sua verdadeiraidentificação como filho de Deus, o seu Criador. 


Comentários

Aviso: Os comentários são de responsabilidade dos autores e não representam a opinião da Comunidade Shalom. É proibido inserir comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem os direitos dos outros. Os editores podem retirar sem aviso prévio os comentários que não cumprirem os critérios estabelecidos neste aviso ou que estejam fora do tema.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *