Formação

A Igreja Católica – Como tudo começou?

comshalom

Artigo publicado na Revista Shalom Maná

Você conhece a origem da Igreja Católica? Sabe de que forma Jesus a instituiu? Compreende a sua finalidade? Temas como estes são afrontados muitas vezes de forma extremista ou muito superficial, como foram algumas teses difundidas no inicio do século XX que tentavam convencer que a Igreja derivava da experiência dos discípulos com o Cristo Ressuscitado, mas não das palavras e das obras de Jesus.

Assim como a revelação de Deus aconteceu na história, com a Encarnação do seu Filho, também o acolhimento da mesma manifestação divina percorre um caminho histórico iniciado por Jesus Cristo: a Igreja enviada para difundir a boa nova até os últimos confins da terra. Por este motivo, é indispensável que cada cristão conheça bem a história da Igreja, senão será como o membro de uma família que não sabe nada sobre a própria proveniência.

Para uma analise histórica sobre a origem da Igreja, precisamos partir do povo de Israel ao qual Jesus se dirigiu por primeiro: A escolha de Israel tinha em si a intenção de preparar o envolvimento de todos os povos, podemos constatá-lo já na promessa que Deus faz a Abraão em Gn 12,2-3 e 15,5-6, quando diz: “Em ti serão abençoadas todas as famílias da terra”; também os profetas anunciavam a integração dos outros povos, como a famosa promessa que Deus fez por meio de Isaías sobre a peregrinação das nações ao monte Sião (Is 2,1-5). No centro da ação de Jesus está a mensagem da proximidade do reino de Deus (Mc 1,15), mas o anuncio do reino de Deus e a vinda o Filho de Deus à terra já é a realização de tal promessa, presente e operante, ainda que a sua realização plena se dará na Parusia.

Portanto, a fundação da Igreja foi preparada nas palavras e obras de Jesus, mas também pela escolha de pessoas concretas: Jesus “constituiu Doze, para que ficassem com ele, para enviá-los a pregar, e terem autoridade para expulsar os demônios” (Mc 3,14). Este fato não pode ser negado nem cancelado. Somente eles, os Doze, são mencionados nas narrações da Ultima Ceia, onde Jesus estabelece a Nova Aliança realizada no sacrifício da Cruz. Os Doze recebem uma missão especial de representar o próprio Cristo (Mt 10,40; Lc 10,16), e aqui está a origem do termo grego “apóstolos”, que significa “enviado”. Segundo a ideia jurídica hebraica, o enviado de uma pessoa é considerado como aquele que o envia. Portanto, Jesus institui os Doze, para, também através deles, permanecer conosco até o fim dos tempos.

Aos apóstolos Jesus deu a missão de realizar o sacrifício eucarístico: “Fazei isto em memória de mim” (Lc 22,19; 1Cor 11,25), de perdoar os pecados – uma ação reservada somente a Deus – (Jô 20,22), o poder das “chaves” (ligar e desligar) (Mt 18,18) e de fazer discípulos Seus, por meio do Batismo, todos os homens de todos os povos (Mt 28,16-20); e entre os Doze, uma missão especial e decisiva é confiada a Pedro (Mt 16,13-19; Lc 22,31s; Jô 21,15-17; 1Cor 15,2-5).

Jesus muitas vezes compara a Igreja a uma casa ou a um rebanho (Mt 16,18; 21,42; 26,31; Jo 10,16; 1Cor 3,11; 9,7), mas a construção desta “casa” precisa de um fundamento de pedra, enquanto um rebanho não pode existir sem um guia autorizado, e já aqui podemos ver a importância do ministério petrino e de toda a hierarquia apostólica.

Como vemos, a fundação da Igreja é um fato totalmente acessível a qualquer ciência histórica, ela foi querida por Jesus como uma comunidade histórica e visível, com uma organização bem precisa que implica a função de guia. Mas a Igreja é também um mistério, que deve ser acolhido na fé, mas um mistério que se torna visível nos seus membros e na sua organização externa; ela é “em Cristo como um sacramento, ou sinal, o instrumento da intima união com Deus e da unidade de todo o gênero humano” (LG 1). Através da Igreja, o Senhor quer que todos os homens participem da sua vida divina, mas também da sua morte na Cruz e da sua ressurreição gloriosa. Com a Igreja e nela, o Senhor Jesus permanece presente e continua a manifestar-se na história.

INSTITUTO PARRESIA

O Instituto Parresia – setor da Assistência de Formação da Comunidade Católica Shalom que tem a missão de formar evangelizadores para o terceiro milênio através do aprofundamento dos conteúdos da Fé Católica –, oferece diversos cursos que podem ajudar a sua Comunidade, Paróquia, Projeto ou Missão a crescer no conhecimento e no amor a Jesus e à sua Igreja.

Entre em contato conosco através do e-mail: institutoparresia@comshalom.org, ou pelo telefone (85) 3308-7434.

*Se você deseja ter mensalmente em sua casa este instrumento de informação e evangelização, faça a sua assinatura pelo telefone: (85) 3304.7403 ou acesse a nossa loja web: www.edicoesshalom.com.br


Comentários

Aviso: Os comentários são de responsabilidade dos autores e não representam a opinião da Comunidade Shalom. É proibido inserir comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem os direitos dos outros. Os editores podem retirar sem aviso prévio os comentários que não cumprirem os critérios estabelecidos neste aviso ou que estejam fora do tema.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *