Formação

A limpeza do coração

comshalom

Dom Pedro José Conti


Emtempos de gripe suína e poluição generalizada, lavar as mãos é umamedida preventiva e até de bom senso, para evitar que o vírus e asujeira se espalhem. No evangelho deste domingo tudo começa com umacrítica aos discípulos de Jesus. Os rigorosos observantes da Lei e dasTradições dos antigos queriam saber por que eles não tinham lavado asmãos antes da refeição. O questionamento ofereceu a oportunidade aJesus de falar não somente do puro e do impuro, mas também dareligiosidade perigosamente exterior deles, chamando-os de hipócritas.

Éevidente que a discussão não está no simples cumprimento da norma delavar as mãos. Costume que, por sinal, com gripe ou sem gripe, é sempremuito bom para a nossa higiene pessoal. Aquele gesto, entendemos,representava a adesão incondicional à Lei e a todas as normas epreceitos que se tinham sobreposto ao cerne fundamental dela.Infelizmente os fariseus, com os quais Jesus polemizou muitas vezes,estavam demais preocupados com o cumprimento formal das normas,resultando no afastamento do verdadeiro sentido da Lei. Eles mesmostinham caído na própria prisão. Ao dar excessivo valor às normasmenores ou exteriores, ficaram presos a elas.

Eleshaviam perdido o significado verdadeiro da Lei de Deus: servir e honraro Senhor com liberdade e criatividade, sempre atualizando o sentido e ovalor dos seus mandamentos. Quem aceita sem entender certas normas efaz questão de respeitá-las a qualquer custo, corre o risco de que elassubstituam a sua iniciativa e a sua responsabilidade pessoal. É o fazerpor fazer, com a consciência em paz por ter feito o que deve ser feito,porque sempre foi feito assim, sem nunca se questionar. Dessa situaçãopara a hipocrisia, que Jesus repreende, o passo é curto. Cumpre-se arigor a norma, mas sem reconhecer o sentido e o valor. Poderíamos fazermuitas outras coisas boas, ou de maneira diferente. Não as fazemosporque estamos simplesmente satisfeitos com a obediência cega e vaziadas normas codificadas.

Nocaso de lavar as mãos, porém, Jesus quer nos conduzir além de umaquestão de obediência ou não à Lei. Com efeito, se a “sujeira” fossesomente exterior um bom banho resolveria, entretanto se as atitudeserradas, a começar pelos maus pensamentos, vêm do nosso interior, éevidente que não tem detergente, nem álcool e nem gel, que consigamlimpar o nosso coração. De um coração bom e sincero virão coisas boas everdadeiras. De um coração mau, só poderão sair coisas más. Precisamos,portanto, “purificar” o nosso coração. De outra forma podemos falarbonito, ser exteriormente cheirosos e de bela aparência, contudo se nãotivermos também bons pensamentos e muita vontade de fazer o bem, nadade bom mesmo conseguiremos realizar. Como profetizou Isaías: “Este povome honra com os lábios, mas o seu coração está longe de mim”.

Noúltimo domingo de agosto, o nosso agradecimento é para os nossoscatequistas. De maneira especial aqueles e aquelas que com paciência ecarinho procuram ajudar as crianças, os adolescentes e os jovens a daros primeiros passos na compreensão da fé cristã. Hoje ser catequista éuma missão cada vez mais exigente e nem sempre apoiada e compreendidapelas famílias dos catequizandos. Se os jovens não encontrarem apoio eexemplo nos seus pais e nos irmãos mais velhos, logo pensarão queparticipar da catequese, das Missas e da vida da Comunidade sejasomente um compromisso de crianças. Crescendo ficarão livres de todaobrigação ou, no máximo, continuarão a cumprir algumas delas porcostume, para apaziguar as suas consciências, sem nenhuma criatividadee paixão. Exatamente como obedecer a uma Lei antiga entendida mais comoum peso do que como uma oportunidade de crescimento na fé e no amor aDeus e ao próximo.

Sempreseremos tentados a lavarmos somente as nossas mãos, a ficarmos naexterioridade da nossa fé. Essa superficialidade pode condenar a mortenão somente a Jesus, como aconteceu quando Pilatos lavou as suas mãos.Pode nos condenar a uma fé vazia, formal, talvez hipócrita. Jesus quermudar o nosso coração. É mais difícil, porém esta é a alegria e osentido de sermos cristãos.


Comentários

Aviso: Os comentários são de responsabilidade dos autores e não representam a opinião da Comunidade Shalom. É proibido inserir comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem os direitos dos outros. Os editores podem retirar sem aviso prévio os comentários que não cumprirem os critérios estabelecidos neste aviso ou que estejam fora do tema.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *