Formação

A nobreza do entendimento

comshalom

O entendimento é a grande alavanca propulsora dos processos pessoais, familiares e políticos. Também dos avanços necessários na vida dos diferentes grupos humanos. Nenhuma instituição ou grupo progridem sem a força do entendimento. Os atrasos e os emperramentos costumeiros são frutos da incapacidade de entender, com clarividência, os acontecimentos, o sentido verdadeiro e o alcance das coisas nos diferentes cenários e no contexto histórico-social. Na verdade, o entendimento é dom de Deus. Por isso, é sempre mais do que uma simples capacidade de fazer ajustes necessários ou articular situações e propósitos. É o maior dom. É um dom de Deus. É um dos sete dons do Espírito Santo. Os cristãos suplicam, insistentemente, a Deus a graça do entendimento. É o bem maior na construção de todo o bem que se quer buscar. É uma qualidade indispensável e um elemento insubstituível na composição da nobreza própria da dignidade humana. Só é nobre quem é capaz de entender adequadamente. A nobreza humana em cada pessoa tem o tamanho da sua capacidade de entendimento. A largueza da capacidade de entendimento, nas mais diferentes situações da vida e no exercício de responsabilidades, garante a nobreza de toda ação e a adequação dos exercícios próprios de cada um.

Por falta de adequado entendimento não poucos foram condenados injustamente na história da humanidade. O entendimento inadequado perpetuou no tempo muitas inimizades. Um buraco irreparável entre pessoas, grupos familiares e nações. As guerras fratricidas são um vil resultado de entendimentos comprometidos. Os genocídios são expressões da mais alta maldade humana como fruto de entendimentos equivocados por parte de governantes e dirigentes poderosos no mundo. Ao eleger seu entendimento como o mais completo do mundo, houve quem considerasse uma grande biblioteca desnecessária e supérflua. Decidiu, à luz do seu estreito entendimento, queimá-la. Talvez bastasse, pensava este, diante das grandes idéias uma única idéia. O resultado da estreiteza da compreensão é o comprometimento do entendimento justificando a perpetração de crimes, o absurdo dos preconceitos e as arbitrariedades das discriminações vergonhosas que têm pautado o dia a dia da sociedade. É fruto de um determinado tipo de entendimento o rumo político tomado por uma sociedade e a definição das prioridades na consideração da realidade social.

O entendimento é para o coração e para a inteligência tão importante quanto o alimento o é para o corpo. Incontestavelmente, existem problemas que se perpetuam em razão da falta de adequado entendimento. Não menos comprometedor é o desperdício que caracteriza a sociedade em razão da falta de um entendimento clarividente de questões, necessidades, pontos de vista e prioridades. É o entendimento que leva cidadãos e cidadãs a uma concepção classista de seus privilégios e da manutenção de benesses que comprometem o bem de todos. Não são poucas as instituições que vão à bancarrota como resultado de entendimentos egoístas, justificando configurações e funcionamentos que não passam de vaidades e gosto pela manutenção de benesses até injustas. A sociedade, por isso, para garantir sua saúde e conferir diariamente os necessários ajustes na sua direção, precisa de instâncias para produzir e fomentar o entendimento. Um conselho, seja ele o mais simples na sua composição, pode garantir no interno de uma instituição ou de um grupo a conquista dos elementos para o devido discernimento e a busca da verdade na construção do seu bem, o bem de todos. O entendimento é fruto, pois, de um acurado diálogo derrubando cristalizações muito comuns arquitetadas e mantidas por todos aqueles que se pensam donos da verdade, perpétuos nos lugares e condições que ocuparam certa vez. Assim, em todo processo educativo se torna importante a aprendizagem do como ser capaz de adequado entendimento. A ocupação de cargos e lugares para fazer andar uma sociedade depende da capacidade de entendimento próprio de homens e mulheres no exercício de sua cidadania. De grande importância é, pois, a aposta que uma sociedade faz nas suas instituições enquanto instâncias para gerar o verdadeiro e indispensável entendimento para uma sua justa condução.

Olhando o cenário complexo da sociedade, composto de tantas e importantes instituições, neste momento em que se abre o ciclo de uma nova legislatura, em foco estão o parlamento e as assembléias legislativas. Assim como noutras instituições, de diferentes identidades, é uma verdadeira aposta o funcionamento do parlamento e das assembléias. Espera-se a produção do adequado entendimento, confeccionando leis, clareando princípios e garimpando as decisões justas e embasadas na verdade como garantia do bem de todos. O entendimento justo favorece em primeiro lugar aos outros.
* Dom Walmor Oliveira de Azevedo
Arcebispo de Belo Horizonte (MG)

Fonte: CNBB


Comentários

Aviso: Os comentários são de responsabilidade dos autores e não representam a opinião da Comunidade Shalom. É proibido inserir comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem os direitos dos outros. Os editores podem retirar sem aviso prévio os comentários que não cumprirem os critérios estabelecidos neste aviso ou que estejam fora do tema.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *