Formação

A Oração das Vésperas

Diante do Sol que se põe, o fiel reconhece a Luz que não seapaga.
Márcio André Teixeira Barradas
Missionário da Comunidade Católica Shalom

 

“Se o pôr do Sol nos trouxe as trevas,

Outro Sol fulge, coruscante,

E envolve até os próprios anjos

Com o seu brilho radiante.”

(Hino das Vésperas da 2ª Semana da segunda-feira).

 

Quando iniciamos o nosso dia, a Igreja nos dispõe, por meioda Liturgia das Horas, a louvar a Deus através das Laudes, recordando erevivendo a experiência com o Ressuscitado, para a santificação de todo o nossodia. Seguindo o curso do nosso dia, temos a Hora Média, que corresponde àoração das Nove, das Doze e das Quinze horas, rememorando respectivamentePentecostes, a oferta de Cristo na cruz e a sua expiação e morte no madeiro.

Dando curso ao nosso dia, na forma que a Igreja nos dispõepara santificá-lo, unindo-se em oração, tomemos as Vésperas como a oração dofim do dia. Podemos, então, destacar três pontos principais:

 

1. AAção de Graças

“A oração da tarde é celebrada quando anoitece, e o dia jádeclina, para agradecer o que nele temos recebido ou o bem que nele temosfeito” . Assim, não é mera mudança de tempo, ou seja, do fim do dia e início danoite, mas para o cristão, as Vésperas representam a oração de ação de graçaspelo trabalho realizado ao longo do dia, que inclui todo gesto que reflete umaprova concreta de amor a Deus e aos irmãos.

Dessa forma, ao término do dia, já quando inicia oanoitecer, a Igreja unida em oração, nos convida ao louvor pelos feitos de Deusem nossas vidas ao longo do dia, e pelas obras praticadas por força do nossotrabalho. Podemos, dessa maneira, entender que o nosso trabalho diário e o amorfraterno vivido nos momentos mais simples e corriqueiros, são ofertasagradáveis a Deus que, se apresentadas em oração, sobem a Deus como umsacrifício vespertino.

 

2. Memória da Redenção

“Isso pode também entender-se no sentido mais sagradodaquele verdadeiro sacrifício vespertino que nosso Senhor e Salvador entregou aosApóstolos, enquanto ceavam juntos, ao instituir os sacrossantos mistérios daIgreja. Ou também daquele outro sacrifício vespertino, isto é, da plenitude dostempos, pelo qual ele mesmo, no dia seguinte estendendo as mãos, se entregou aoPai pela salvação do mundo inteiro” .

Assim, podemos nos unir ao sacrifício vespertino de Cristo,sempre que, ao final do dia, meditamos com a oração das Vésperas, sejaapresentando a Deus o nosso dia, seja apresentando os esforços do nossotrabalho, ou ainda na súplica do perdão dos pecados cometidos ao longo do dia.

Podemos ainda relacionar as vésperas e o mistério pascal emuma oração que está ambientada na cena dos discípulos de Emaús, colocando osorantes num contexto pascal e eucarístico da tarde do dia da Ressurreição.Porém, as vésperas das sextas-feiras das quatro semanas expressam, com profundainspiração bíblica, alusões claras à Paixão e Morte do Redentor.

3. Aesperança da vida eterna

“E para que nossa esperança se focalize, afinal, naquela luzque não conhece o ocaso, oramos e pedimos para que a luz venha de novo a nós,rogamos pela vinda gloriosa de Cristo o qual nos trará a graça da luz eterna”(São Cipriano).

Além da dimensão do louvor nas Vésperas, no qual nosapresentamos diante de Deus por meio do sacrifício diário dos nossos esforços,seja do trabalho como também da luta contra o pecado, existe uma dimensãoescatológica. Ora, as Vésperas têm como grande fruto também nos alimentarmoscom a esperança na vinda definitiva do Reino de Deus, dando assim o sentidoescatológico relacionado com a última vinda de Cristo, que nos trará a graça daluz eterna.

Estrutura das Vésperas

Hino

Nas Vésperas, os hinos próprios fazem refletir sob a luz quese desfaz ao poente, que representa as obras sem Deus que perecem, e a luz queprevalece que é o próprio Deus, que nos aponta para a verdadeira luz quedevemos seguir e guiar as nossas vidas: “Ó luz, ó Deus Trindade, ó unidade, ófonte: na luz do sol que morre, a vossa em nós desponte” .

Além da dicotomia luz-trevas, temos também descanso-cansaço,que o cansaço do dia de trabalho deve em nós encontrar o descanso não numa vidapervertida pelos prazeres da noite e da carne, mas com o profundo desejo de serrenovado na graça e verdade de Cristo: “Aos servos que vos louvam, cansados dolabor, as trevas não envolvam, pedimos, ó Senhor. Assim, durante a noite,guardados pela graça, na luz da vossa luz, a treva se desfaça” .

Os hinos das Vésperas também observam a graça de clamar aDeus o perdão pelos pecados cometidos nesse dia. É o retornar para Deus,reconhecendo que Ele esteve presente ao longo do nosso dia, e que mais uma vezexperimentamos a ação salvífica de Cristo: “Todas as culpas desse dia apague oCristo bom e manso, e resplandeça o coração durante as horas de descanso” .

Salmos

Nos dois salmos das Vésperas do dia, podemos perceber algunspontos centrais: a esperança em Deus ou do caráter lucernário, o agradecimentoou pedido de perdão, reflexões sapienciais ou com sentido escatológico. Tanto agraça de Deus quanto o pecado do homem estão em voga, fazendo refletir na luzque é precária e na luz que não perece jamais.

Por fim, a salmodia termina com um cântico do NovoTestamento, que é tipicamente de louvor e que se refere à obra de Deus Pai emCristo.

Leitura Breve e Magnificat

A leitura breve é sempre um convite a meditar na Palavrasobre a esperança diante do findar do dia, refletindo sobre o que é overdadeiro servo fiel e produtor de bons frutos, e refletindo com relação aoamor à Palavra e Vontade de Deus na vivência do dia que se transcorre.

Já o Magnificat é um cântico evangélico que exalta comlouvor e ação de graças a obra Redentora de Deus. Por isso, devemos nos unir aolouvor mariano reconhecendo que em cada dia, em especial no hoje, Deus operamaravilhas por manifestar o seu amor generoso e cuidadoso nas nossas vidas.

Preces e oração final

As intercessões das Vésperas pedem pelas diversas intençõesda humanidade, da Igreja, da nação e de todas as outras categorias de pessoas .A última intenção das Vésperas é sempre dedicada aos defuntos . Devemosentender que as nossas preces não se resumem ao nosso pedido pela nossa oraçãoparticular o do grupo que reza naquele instante, mas é com o mérito da Igrejado mundo inteiro que suplica, como esposa, ao Deus amoroso que é o nossoEsposo.

Por fim, a oração conclusiva encerra a oração das Vésperas,suplicando a santidade e a obediência a Deus. A nossa última oração é o pedidoque dirigimos a Deus para conservar em nossos corações e em nossas vidas asantidade, para nós, em particular, e para todo o povo de Deus.


Comentários

[fbcomments]

Aviso: Os comentários são de responsabilidade dos autores e não representam a opinião da Comunidade Shalom. É proibido inserir comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem os direitos dos outros. Os editores podem retirar sem aviso prévio os comentários que não cumprirem os critérios estabelecidos neste aviso ou que estejam fora do tema.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *