Formação

Aborto de anencéfalos. Base científica

comshalom

À primeiravista, pode parecer que as razões contrárias ao aborto provocado sejamexclusivamente da alçada da religião. Uma reflexão mais acurada, porém,demonstrará que elas têm raízes na própria ciência. É indispensável analisar osargumentos científicos. O primeiro passo é a descoberta do verdadeirosignificado do zigoto. Segundo os ilustres embriologistas Moore e Persaud, ozigoto e o embrião inicial são organismos humanos vivos, nos quais já estãofixadas todas as bases do indivíduo adulto. Sendo assim, não é possívelinterromper qualquer ponto do contínuo — zigoto, feto, criança, adulto, velho —sem causar danos irreversíveis ao bem maior, que é a própria vida.

Reconhecemoso grande valor da Teoria Neodarwiniana. Mas ela é insuficiente para explicar aevolução como um todo, porque tem no acaso um dos seus pilares. Acreditamos quea Teoria do Planejamento Inteligente, que não tem por base o acaso, dispõe deargumentos científicos bem mais sólidos para explicar a evolução dos seresvivos.

Descobertas recentes da neurocientista Candace Pert demonstram que a memóriaestá presente não somente no cérebro, mas em todo o corpo, através da ação dosneuropeptídeos, que fazem a interconexão entre os sistemas nervoso, endócrino eimunológico. Outras pesquisas já detectaram a presença, no zigoto, de registros( imprints ) mnemônicos próprios, que evidenciam a riqueza da personalidadehumana, manifestando-se muito cedo, na embriogênese. O conjunto destestrabalhos demonstra a competência do embrião: capacidade para autogerir-sementalmente, adequar-se a situações novas; selecionar situações e aproveitarexperiências.

Se unirmos a Teoria do Planejamento Inteligente a essas descobertas,concluiremos que a vida do embrião não pertence à mãe, ao pai, ao juiz, àequipe médica, ao Estado, mas exclusivamente a ele mesmo. Há, pois, fortesrazões científicas para ser contra o aborto, mesmo do anencéfalo. Aprendemos,com a genética, que a diversidade é nossa maior riqueza coletiva. E o feto,mesmo portador de grave deficiência, faz parte dessa diversidade e deve serpreservado e respeitado.
A mulher que gera um feto deficiente precisa de apoio psicológico, direito quena prática não lhe é assegurado. Sem ajuda para trabalhar seu sentimento deculpa, ela pode exacerbá-lo pela incitação à violência contra o feto. Seriaimportante inclinar seu coração à compaixão e à misericórdia, mostrando-lhe oreal significado da vida.

por Marlene Nobre, médica


Comentários

Aviso: Os comentários são de responsabilidade dos autores e não representam a opinião da Comunidade Shalom. É proibido inserir comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem os direitos dos outros. Os editores podem retirar sem aviso prévio os comentários que não cumprirem os critérios estabelecidos neste aviso ou que estejam fora do tema.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *