Formação

Bem aventurados os mansos

comshalom

bem aventurança
bem aventurança

 Na vida de São Clemente Hofbauer, há um fato que mostra aforça do perdão e da mansidão. Certa vez ele entrou numa taverna para pedir umaesmola para as obras que realizava. Um homem, Kalinski, o odiava, e estava presente.São Clemente entra, se dirige à mesa de Kalinski e pede uma esmola. ´Como éKalinski, você não vai fazer nada ?´ falou alguém. Kalinski pegou o copo decerveja que bebia, encheu a boca e despejou no rosto de São Clemente. Embora deíndole colérica, o santo não se perburba. Puxou o lenço, limpou o rosto e disseao agressor: ´Você já deu o que eu mereço. Agora, dê uma esmola para meuspobres´. A atitude do santo desconcertou Kalinski e os demais do grupo. Namesma noite Kalinski mandou a São Clemente um saquinho de moedas de ouro e,arrependido e penitente, tornou´se grande amigo e colaborador do santo. É aforça da mansidão e do perdão. Isto é amontoar brasas ardentes sobre a cabeçado pecador.

 Para praticarmos essa bela virtude é preciso estarmos convencidosde sua beleza, eficácia e poder, pois o mundo nos ensina o contrário: ´bateu,levou!´ Jesus ensina o oposto: ´bateu, dê´lhe a outra face!´ É certo, como doismais dois são quatro, que o agressor ficará desconcertado e envergonhado do seugesto. Senão na hora, depois, quando esfriar o seu sangue. As brasas do amorforam acumuladas sobre a sua cabeça…

 Estou convencido de que esta é a maior prova para o cristão:´pagar o mal com o bem, amar o inimigo, orar pelo que te persegue…´. Não éfácil perdoar e orar pela mulher que levou o seu marido; pelo rapaz queassassinou o filho; pelo ladrão que roubou o seu carro; pelo sujeito que tehumilhou em público, etc,etc,etc… Não é fácil ! A natureza reage, esperneia,quer vingar´se, quer o revide, quer beber o sangue do outro… Só pela graça deDeus é possível, pois, como disse Santo Agostinho: ´o que é impossível ànatureza, é possível à graça´.

 Quando olho para Jesus crucificado, a lição mais forte queaprendo é essa: ´Eu que sou Deus, morri crucificado, perdoando os meus algozes.Faças o mesmo se queres ser cristão´. Não há mérito maior diante de Deus.

 Que o Teu preciossíssimo Sangue caia sobre nós Senhor, e nosconceda essa graça.

 A mansidão deve ser vivida em pensamentos, palavras e atos.No trato com as pessoas é preciso ser cordial, bem´humorado, ter o sorriso noslábios e ser paciente com os defeitos dos outros, principalmente quando essesnos irritam. Se Jesus sofreu tanto, sem perder a calma e a paz, porque nãopodemos aceitar os pequenos defeitos dos outros?

 São Francisco de Sales diz que: ´Não há nada que tantoedifique o próximo como a caridosa benignidade nos tratos´. Nunca elerepreendia alguém com agressividade; apenas os advertia dos seus erros combondade. O seu grande amigo, São Vicente de Paulo, admirava a sua mansidão eaprendeu com ele a ser manso. Dizia também: ´Para os superiores, não há melhormeio de se fazer obedecer do que a mansidão´.

 É preciso evitarmos o mal hábito que às vezes temos derepreender os outros com aspereza, com raiva e nervosismo, pois isto faz maismal do que bem a quem queremos corrigir. Muitos pais enganam´se muito nesteponto e corrigem os filhos com agressividade, por palavras e atos. É um mal.São Paulo diz aos pais: ´Não exaspereis os vossos filhos. Pelo contrário,criai´vos na educação e na doutrina do Senhor´ (Ef 6,4). Não exasperar o filho,é não deixá´lo com raiva de nós, pais. É preciso saber corrigir os filhos, compaciência, bondade e mansidão, na hora oportuna e sem humilhar o filho nafrente dos outros, principalmente dos seus amigos. Não devemos também corrigiruma pessoa quando ela estiver irritada, pois ela ficaria ainda mais exasperada,ao invés de fazê´la mudar o seu comportamento. Espere a pessoa se acalmar.

 Jesus foi manso e bondoso com os pecadores: Com a samaritanano poço de Jacó, com Zaqueu, com Madalena, com Pedro após negá´lo três vezes, eaté com Judas no horto das Oliveiras. ´Judas, é com um beijo que me trais? Comum beijo trais o Filho do Homem?´ (Lc 22,48). Para Pedro foi um olhar debondade: ´O Senhor voltou´se e olhou para Pedro´ (Lc 22,48´61). Esse olhar debondade de Jesus fez correr as lágrimas de arrependimento dos seus olhos.

 São Vicente de Paulo ensinava que: ´A afabilidade, o amor ea humildade tem uma força maravilhosa para ganhar os corações dos homens elevá´los a abraçar as coisas mais desagradáveis à natureza humana´. E diziaainda que: ´O espírito infernal se serve do rigor de alguns para causar maiordano às almas´.

 Diz o livro dos Provérbios que:

 ´Uma resposta branda aplaca o furor, uma palavra dura excitaa coléra´ (Pr 15,1). É preciso saber calar quando estamos com o sangue fervendonas veias. Uma coisa é certa: só dizemos coisas erradas quando estamosinflamados pela paixão. Depois ficamos com vergonha de nossas palavras eatitudes destemperadas. Saber calar na hora do aborrecimento e da irritação égrande sabedoria e mansidão. São Francisco de Sales disse: ´Eu nunca me deixeiconduzir pela ira sem que logo me tenha arrependido´. Penso que cada um de nóspode fazer suas essas palavras do santo.

 É preciso também ser manso consigo mesmo. Não se irritar comas próprias faltas. Santo Afonso de Ligório ensina´nos que: ´Irritar´se contranós mesmos, após uma falta, não é humildade, mas refinada soberba, como se nósnão fossemos fracos e miseráveis criaturas´. Santa Teresa dizia: ´A humildadeque irrita não vem de Deus, mas do demônio´.

 O grande perigo, de zangar´se contra si mesmo após umafalta, está no fato de deixar a alma perturbada e, nesse estado deixa´se aoração, a comunhão e as demais práticas da piedade, ou então as fazemos mal.Santo Afonso afirma que: ´Uma alma perturbada pouco conhece a Deus e aquilo quedeve fazer´.

 Após uma falta é preciso voltar´se com humildade e confiançapara Deus, e dizer como Santa Catarina de Gênova: ´Senhor, estas são as ervasdaninhas do meu jardim´.

 Na Oração de Judite ela diz: ´Os soberbos nunca vosagradaram, mas sempre vos foram aceitas as preces dos mansos e humildes´ (Jd9,16).

 Ninguém e nada rouba a paz de quem tem o coração manso ehumilde, e é neste sentido que eles ´possuirão a terra´ (Mt 5,4).

 Os santos ao invés de odiarem aqueles que os maltratavam, osamavam ainda mais, e oravam por eles, porque sentiam pena deles. Santa Teresadizia que: ´As pessoas que falam mal de mim, parece que eu as amo com maisamor´.

 Uma coisa é certa ´ afirmam os santos ´ só possui a mansidãoquem cultiva a humildade, e tem pouco conceito de si mesmo. É preciso, porexemplo, saber receber as correções que os outros nos fazem, com mansidão e semrevolta. São Francisco de Sales dizia que isto ´é um grande sinal de progressona perfeição´. É muito difícil encontrar alguém que, ao ser corrigido, nãofique se desculpando e se defendendo. É um ótimo exercício de humildade e mansidãocalar´se ao ser corrigido por alguém, mesmo tendo´se certa razão. O fato deficarmos ofendidos quando somos criticados é sinal forte de que precisamosdessa crítica. ´Aquele que odeia a correção segue os passos do pecador´ (Eclo21,7).

Bem aventurados os mansos – parte 1»
Bem aventurados os mansos – parte 2 »


Comentários

Aviso: Os comentários são de responsabilidade dos autores e não representam a opinião da Comunidade Shalom. É proibido inserir comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem os direitos dos outros. Os editores podem retirar sem aviso prévio os comentários que não cumprirem os critérios estabelecidos neste aviso ou que estejam fora do tema.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *