Formação

Bíblia: O Pentateuco e os Livros Históricos

Bíblia: O Pentateuco e os Livros Históricos

Falar sobre a bíblia é falar sobre um conjunto de livros inspirados por Deus, essa palavra também tem origem do grego, que significa “livros”. Por isso, na bíblia não temos apenas um único livro, mas um conjunto de 73 livros, divididos em duas partes: 46 no Antigo Testamento e 27 no Novo Testamento.

Deus quis se revelar ao homem através da palavra, no primeiro livro da bíblia, pertencente ao pentateuco, chamado Gêneses ele nos faz sua primeira revelação, apresentar-se como nosso criador, “No princípio, Deus criou o céu e a terra”. E assim, segue a Revelação Divina ao longo dos livros sequentes 

O PENTATEUCO

A palavra Pentateuco é originária do grega “penta”, significa “cinco”, e “teuco”, significa “rolo”, um conjunto dos cinco primeiros livros da bíblia. Na Bíblia hebraica (judaica) o Pentateuco é chamado de “a Lei Torá”, porque é o fundamento da religião judaica. É o livro canônico (a Lei) dos judeus.

HISTÓRIA DO PENTATEUCO

Na história do Pentateuco encontramos as grandes linhas da fundação do reino de Deus na terra. A formação do mundo, da humanidade e do povo escolhido por Deus. As leis contidas foram sendo escritas durante cinco séculos, reformulando, adaptando e atualizando tradições mais antigas, que vieram desde os tempos de Moisés. Mostra a Revelação gradativa de Deus aos homens. Deus se revelando aos patriarcas, libertando seu povo da escravidão, alimentando seu povo, conduzindo-o e criando leis.

LIVROS DO PENTATEUCO

Gênesis 

Narra o começo de tudo, o nascimento da humanidade. Fala sobre o surgimento do mundo, da história e do povo de Deus e ao longo dos capítulos vemos como a Providência Divina preparou desde o princípio a salvação de um povo, o povo de Israel, alvos do amor de Deus.

Gn 1-11 – A criação do mundo e do homem por Deus e a história deles na luta contra o pecado
Gn 12-36 – História dos Patriarcas
Gn 37-50 – História de José

Êxodo 

Êxodo significa saída, pois começa narrando a saída dos hebreus da terra do Egito, pois eram escravos e nesse livro narra como Deus libertou e formou esse povo. A mensagem do Êxodo é uma prefiguração da mensagem do Novo Testamento. Pois, a Páscoa dos hebreus, no Antigo Testamento é um simbolismo do batismo, que é a passagem do povo da escravidão do Egito para a terra Prometida (O Reino de Deus estabelecido na terra). Porém, no Novo Testamento a Páscoa agora é de Jesus, Deus na Pessoa de Jesus, liberta o homem da escravidão do pecado para uma vida nova. Estabelece uma nova e plena Aliança.

Levítico

Levítico provém do nome Levi, a tribo de Israel que foi escolhida por Deus para exercer a função sacerdotal no meio do seu povo. Trata-se da formação de um povo santo, pois o povo toma conhecimento de sua natureza “santa”. Sua mensagem central é  “Sêde santos como vosso Deus é Santo” (Lev 19, 2).

Números 

O livro chama-se assim porque começa com um grande recenseamento do povo hebreu no deserto. Fala sobre a divisão das 12 tribos de Israel; o tabernáculo, onde ficava guardada a arca da aliança; as funções de cada um; a escolha dos levitas e sua missão de cuidar do tabernáculo; Aarão como sacerdote. E o povo a caminho das Terra Prometida, toma conhecimento de sua organização. Com isso, essa caminha do povo até a terra prometida nos fala que todo o povo de Deus é peregrino e caminha para a terra prometida (a glória). A organização mostra que, dentro do povo de Deus, as funções devem ser repartidas, mas com um único objetivo: realizar o projeto de Deus. A arca da aliança no centro: indica que, nessa caminhada, Deus está sempre presente no meio de seu povo.

Deuteronômio 

A palavra grega deuteronômio significa: segunda lei. Lei de Moisés, segundo às necessidades do povo de Israel. Ao longo dos acontecimentos o povo toma conhecimento de seu espírito baseado no amor e na obediência. Logo, Israel viverá feliz na terra se forem fiel à aliança com Deus; se for infiel, terá a desgraça e acabará perdendo a vida. Ele nos mostra que o comportamento fundamental do homem para com Deus é o amor com todo o ser (Dt. 6, 4-9).
“Amarás o Senhor, teu Deus, de todo o teu coração, de toda a alma e de todas as tuas forças”.

LIVROS HISTÓRICOS

Nos livros históricos encontramos a história do povo de Deus, desde a entrada na terra prometida até próximo a época de Jesus. Mostra-nos as relações entre Deus e os homens, através dos acontecimentos.

Podemos dividir em três grupos:
a. História deuteronomista: Josué, Juízes, Samuel, Reis.
b. História do cronista: Crônicas 1 e 2, Esdras e Neemias.
c. História de Pessoas como modelos de fé: Macabeus, Rute, Tobias, Judite, Ester.

HISTÓRIA DO DEUTERONOMISTA

Josué, Juízes, Samuel, Reis- Mostraram que a história de Israel depende da atitude que o povo toma na aliança com Deus: “Se o povo é fiel à aliança, Deus lhe concede a bênção (saúde, felicidade). Se o povo é infiel, atrai para si a maldição (fracasso, doença, miséria). Esta ideia faz parte faz parte da história deuteronomista.

Josué- Deus libertou o povo do Egito para ser livre na Terra prometida. Mas o povo teria que conquistar a Terra que Deus lhe dera. Deus concede o dom, mas não viola a liberdade e nem dispensa o esforço do homem para assumí-la em seu viver. Deus exige que o homem busque e conquiste o dom que Ele concede. Deus quer a colaboração do homem.

Juízes- Depois das morte de Josué, as tribos se dispersaram, o povo começa a adorar deuses, consequentemente perde a liberdade e se torna escravo dos ídolos. No sofrimento toma consciência, se arrepende e suplica para que Deus lhe liberte. Deus faz surgir um juiz que reúne o povo e o conduz à liberdade.

Samuel- O último juiz. Este sagrou o primeiro rei – Saul. Estabelecimento da monarquia sob Saul e Davi.
Afirma que qualquer autoridade que não obedece a Deus e não serve o povo é ilegítima e má, pois ocupa o lugar de Deus para explorar e oprimir o povo. Toda autoridade vem de Deus.

Reis- Mensagem Central: “O rei deve ser fiel a Deus e governar com sabedoria e justiça, servindo o povo que pertence a Deus”. Mas os reis são sempre infiéis e fazem o mal diante do Senhor (praticam idolatria, oprimem o povo, perseguem os profetas). Por isso o Reino do Norte (Israel) e o Reino do Sul (Judá) são levados à ruína.

O templo- lugar da reunião do povo com Deus.

Os Profetas- guardiões da consciência do povo, e os críticos da ação política dos reis.

HISTÓRIA DO CRONISTA

Esdras e Neemias- Procuram dar as normas básicas para a sobrevivência e a organização do povo de Deus depois do exílio.
Esdras- sacerdote conhecedor da Lei de Moisés
Neemias- Leigo corajoso.
As bases da reforma de Esdras e Neemias são os alicerces do judaísmo.
Crônicas 1 e 2- Para fundamentar essas normas, eles repensam a própria história do povo, desde o início. Com o objetivo de dirigir a atenção do povo para a esperança de Israel que se reúne: no templo e no Messias.
Templo: onde Deus estabeleceu sua morada.
Messias: que há de vir e cumprir as promessas feitas aos patriarcas e profetas.

HISTÓRIA DE PESSOAS COMO MODELOS DE FÉ

Macabeus 1 e 2, Rute, Tobias, Judite, Ester- Se apresentaram como modelos de vivência da fé diante de situações difíceis, seja de vida pessoal (Rute, Tobias), como nacional (Judite, Ester, Macabeus).

Macabeus- Mostraram a resistência heroica de um grupo diante da dominação grega, que impõe a sua culta e religião ao povo de Israel.

Rute- Uma história emocionante do amor de Deus, que quer gente de todas as nações formando a sua família, o seu povo. O amor de Deus é para todos.

Tobias- A finalidade do livro é estimular e fortalecer a fidelidade e a confiança do povo nas mãos de Deus, nos valores de Israel e no seu Deus.

Judite- É um convite à coragem. Leva o povo a louvar o verdadeiro Deus que vence os ídolos opressores.

Ester- Deus dá força e coragem e derrota o orgulho humano, fazendo vencer os oprimidos

 

VEJA MAIS

Curso gratuito sobre Pentateuco – Instituto Parresia

Bíblia e Revelação

O que é a Bíblia

Passo a passo para fazer o Estudo Bíblico


Comentários

Aviso: Os comentários são de responsabilidade dos autores e não representam a opinião da Comunidade Shalom. É proibido inserir comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem os direitos dos outros. Os editores podem retirar sem aviso prévio os comentários que não cumprirem os critérios estabelecidos neste aviso ou que estejam fora do tema.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *