Formação

Caminhar na Luz

comshalom

François Callens (Dudu)
Membro da Comunidade das Beatitudes – França
Mantido o tom coloquial

      O primeiro passo para caminhar na luz é saber que estamos plantados sobre o Rochedo, que é Jesus, e por isso podemos dizer: “Eu não tenho medo! Não tenho medo do mundo que hoje me diz “procure o prazer”; não tenho medo do ridículo; não tenho medo de ser cristão; eu quero permanecer puro”.

     E a você que diz: “Eu sinto raiva no meu coração; tenho medo de viver; de ficar sozinho; tenho medo de perder meu namorado, se eu não dormir com ele; tenho medo de que todos digam que eu sou ridículo, se eu for um homem e disser: não, eu não quero dormir com você; e porque eu sou medroso muitas vezes eu traio Jesus, traio a Vida. E eu, sendo uma jovem, pratico o aborto, e assim traio o Amor”. Pois eu digo a você, agora: “Procure um sacerdote e conte para ele essa sua fraqueza. Jesus, através do sacerdote, vai romper com este pecado. Você sairá da confissão sem medo, porque o veneno terá sido destruído”.

     O segundo passo, para caminhar e permanecer na luz, é aceitar os mandamentos de Deus, e nós conhecemos bem os seus mandamentos. O terceiro passo que é muito importante, é: proteger-se da mídia; proteger-se do que a propaganda diz; daquilo que o mundo diz, porque tudo isto é mentira, é falso. Ter paz não significa ter dólares; não é ser belo ou poderoso, mas, sim, ser filho e filha de Deus, do Pai. Deus mesmo se ocupa de suas necessidades; Ele se preocupa com você.

     Eu tenho uma resposta, também, para você que tem medo do futuro. Como é que você vai viver, você que tem problemas materiais? Como vai achar uma casa, como vai comer, se você nem sequer tem uma família? Hoje, nesta noite, grite para Deus: “Pai, ocupa-te de mim, cuida de mim”. O mundo não diz isso, mas, sim: “Seja o mais forte, lute por você mesmo, procure ganhar, seja o vencedor”. Mas aquele que é filho e filha de Deus diz: “O meu Pai é o mais rico, é o mais forte, é o mais poderoso e o mais terno”.

     A quarta condição, e a última, é também muito importante: guardar-se do inimigo que injeta mentiras contra a Verdade. Jesus é Deus e Senhor. Foi Ele quem criou tudo. Isso você não deve colocar em dúvida. Preste atenção no que dizem as seitas, o espiritismo, o esoterismo. Se você aceita estas coisas, recusa Jesus, e estará morto, escravizado e ficará cheio de medo. Mas se você é amado e quer viver como filho e filha de Deus, então diga com toda a sua alma: “Por toda a minha vida eu quero caminhar em direção à casa de meu Pai”.

     E haverá um momento em que você estará à porta para entrar na casa do Pai, e este momento chama-se morte. Você deve pensar no momento da sua morte, para que possa amar mais. O que acontece na morte? O mundo diz: “Não pense na morte!” Ele quer enganar você, pois ele não diz a verdade. Não acredite nele. A morte é o caminho para entrar na casa do Pai. Você caminha, como o filho pródigo ao voltar para a casa de seu Pai.

    Talvez você chegue na casa de seu Pai jovem como você é hoje; talvez bem velhinho, não sabemos; ou talvez você chegue correndo ou mal se mantendo em pé, mas chegará à porta. E o que você fará neste momento? O que você dirá ou rezará nesta hora? Será que você vai bater na porta e dizer: “Por favor, sou eu, deixe-me entrar” ou “desculpe, desculpe”. Tarde demais para fazer isto.

     Existe somente uma coisa, preste bem atenção, que se dirá quando se estiver à porta, e é a mesma coisa que você diz ao se confessar. Você vai gritar: “Eis-me aqui, eu estou aqui”. E a porta se abrirá. São Pedro vai dar um empurrão em você, e com ele, todos os anjos e santos e todos os que precederam você: seus avós, seus bisavós, tataravós etc., eles vão gritar no céu: “Ah, lá está ele, lá está ela! Ele chegou, ela chegou! Vem, vem, entre!” Vai ser como o grito dos torcedores do melhor time de futebol num estádio. Vão todos fazer uma “ôla” quando você entrar.

     E você entrará. Talvez seja um pouco difícil no começo, pois será necessário que você se habitue, mas a quê? A deixar-se amar. O que se faz no Paraíso? Não há computador, nem CD; não existe telefone, nem celular, mas lá nós nos deixaremos amar. Desculpem, mas o que as jovens fazem para se sentirem amadas?

     Elas tentam ficar mais bonitas e os rapazes tentam ficar mais fortes. Mas não é isso o amor. O amor é também deixar-se amar. É muito difícil nós aprendermos, compreendermos isto. Vejam uma criancinha, um bebezinho de três meses. O que ela faz? Ela simplesmente deixa-se amar. Quando a mãe coloca uma roupa nela, ela se deixa amar, somente. A única coisa que você terá de fazer é: deixar-se amar. E isto é ser cristão.

     Daqui a pouco teremos a Missa. E como iremos começar? Com uma “ôla”, com cantos de louvor, enquanto o sacerdote chega. E cada um de nós fará isto, enquanto o padre dirá a Deus: “Olha lá, o fulano e o sicrano, eles estão chegando!” E irá acolhê-los. Isso me deixa louco, porque é verdade! E como posso enriquecer-me com isto!

     E depois, o que acontece ? A gente diz: “Eu confesso a Deus Todo-poderoso…" Quando você for ao confessionário, como aproveitará deste sacramento? Deixando-se amar. Você voltará aos braços do seu Pai, seja qual for seu pecado. E o pior pecado, o maior pecado é impedir que o Pai o ame. E isso não é justo. Pelo simples fato de você não estar bem consigo mesmo, jogar a culpa em Deus e ficar descontente com Ele.

     Ao chegar perto de Deus e começar a pedir “perdão”, dizendo: “Senhor, ajuda-me”, ou “eu te adoro”, e “obrigado”, é muito bonitinho, mas não é isso, que Ele espera que você diga. Ele quer ouvir você dizer: “Pai, eis-me aqui, eu quero deixar-me amar por Ti. Apossa-te de mim”.

     Então, Ele correrá para abraçar, acolher e cobrir você de beijos. Deus tem uma pele suave, Ele não é bruto. Deus é doce, terno. Por isso, ao se confessar, diga: “Senhor, eu não me deixei beijar por Ti, eu me afastei e não deixei que você me amasse; e isto é o pecado. Deus quer beijar você! Deixe-se amar por Ele!

     Depois da parte penitencial da Missa, temos a Liturgia da Palavra, onde Deus mesmo vai falar com você. E a primeira leitura de hoje fala de uma viúva (I Rs 17, 7-16). A maioria aqui é jovem, talvez não exista nenhuma viúva aqui, mas, no entanto, você que evangelizou durante toda a semana é como a viúva, e escutará o que o profeta Elias dirá a ela. Ele chama a viúva. Ele não diz: “Por favor, será que você poderia…? Ele diz simplesmente: “Você pode pegar água para mim?

    Evidentemente que ela não poderia trazer água nas mãos. E veja o que Deus diz a você: “Você é jovem, mas é pobre como esta viúva, pobre no amor, pobre de caridade. Por ser jovem, você acha que a vida está à sua disposição? Não, pois na verdade, você é pobre. Se seu pai é rico, você acha que vai conseguir trabalho fácil? Não, você é pobre como a viúva de Sarepta. Eu chamo você. Grite hoje: ‘Eis-me aqui’”. E não pergunte por que Deus o chama, apenas responda: “Eis-me aqui”. Não diga: “Como é? Fale um pouco mais alto”.

     Ele o chama hoje. E, depois… Ele pedirá que você vá buscar um pouquinho de água numa vasilha e um pouco de pão também. Você será a viúva, porque a viúva de Sarepta representa a pobreza da Igreja. A Igreja não é viúva, ela é casada com Aquele que vive. Mas ela é pobre, e nós, por nosso batismo, somos Igreja. E quando Jesus nos chama, mesmo que não ousemos responder, toda a Igreja vai responder por nós: “Eis-me aqui”.

     Agora passamos para a última parte da Missa. Deus diz: “Eu reconheço que você respondeu quando o chamei. Você respondeu: ‘Eis-me aqui’. Então também eu respondo: ‘Eu estou aqui, aqui está meu Filho vivo’. E Jesus também responde: ‘Eis-me aqui’”. Mas muitas vezes você não comunga por ter cometido impurezas. Então, confesse os seus pecados e deposite suas impurezas no coração misericordioso do Pai. Ao comungar o Corpo de Cristo, Jesus, em você, vai dizer ao Pai em seu nome: “Eis-nos aqui”. Isso é “massa”, “é só o poder”. Assim, quando Jesus chama, você não pode responder: “Só se der”, mas tem que dizer: “Eis-me aqui".

     É preciso que nesta noite o número de evangelizadores, de anunciadores da paz, triplique. Clame, então, com a Virgem Maria, ela que realmente leva a sério todas as nossas necessidades, a coragem para dizer com Jesus: “Eis-me aqui, Pai, para fazer Tua vontade”.


Comentários

Aviso: Os comentários são de responsabilidade dos autores e não representam a opinião da Comunidade Shalom. É proibido inserir comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem os direitos dos outros. Os editores podem retirar sem aviso prévio os comentários que não cumprirem os critérios estabelecidos neste aviso ou que estejam fora do tema.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *