Formação

Casamento misto e a disparidade de cultos

comshalom

Em muitos países, a situação do casamento misto(entre católico e batizado não católico) se apresenta com muita frequência.Isso exige uma atenção particular dos cônjuges e pastores. O caso doscasamentos com disparidade de culto exige uma circunspecção maior ainda.

 A diferença de confissão entre os cônjuges nãoconstitui obstáculo insuperável para o casamento, desde que consigam colocar emcomum o que cada um deles recebeu em sua comunidade, e aprender um do outro omodo de viver sua fidelidade a Cristo. Mas nem por isso, devem ser subestimadasas diferenças de casamentos mistos. Elas se devem ao fato de que a separaçãodos cristãos é ainda uma questão não resolvida.

 Os esposos correm o risco de sentir o drama dadesunião dos cristãos no seio do próprio lar. A disparidade de culto podeagravar mais ainda essas dificuldades. As divergências concernentes à fé, àprópria concepção do casamento, como também mentalidades religiosas diferentes,podem constituir uma fonte de tensão no casamento, principalmente no que tangeà educação dos filhos.

 Uma tentação pode então se apresentar: a indiferençareligiosa.

 Conforme o direito em vigor na Igreja Latina, umcasamento misto exige, para sua liceidade, a permissão expressa da autoridadeeclesiástica (CDC, Can 1124). Em caso de disparidade de culto, requer-se umadispensa expressa do impedimento para a validade do casamento (CDC, Can 1086).Essa permissão ou dispensa supõe que as duas partes conheçam e não excluam osfins e as propriedades essenciais do casamento, como também as obrigaçõescontraídas pela parte católica no que diz respeito ao Batismo e à educação dosfilhos na Igreja Católica (DCD, Can 1125).

 Nos casamentos com disparidade de culto, o cônjugecatólico tem uma missão particular: "Pois o marido não cristão ésantificado pela esposa, e a esposa não cristã é santificada pelo maridocristão" (1 Cor 7,14).

 Será uma grande alegria para o cônjuge cristão epara a Igreja se esta santificação levar o cônjuge à livre conversão à fécristã (1 Cor 7,16). O amor conjugal sincero, a humildade e a paciência, assimcomo as práticas das virtudes familiares e a oração perseverante podem prepararo cônjuge não cristão a acolher a graça da conversão.


Comentários

Aviso: Os comentários são de responsabilidade dos autores e não representam a opinião da Comunidade Shalom. É proibido inserir comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem os direitos dos outros. Os editores podem retirar sem aviso prévio os comentários que não cumprirem os critérios estabelecidos neste aviso ou que estejam fora do tema.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *