Formação

Como está a sua ficha?

comshalom

Há poucos dias, num encontro com os seminaristas, eu lhesdizia que a crise por que passa parte do clero – e que, por bem ou por mal,veio à tona precisamente durante o Ano Sacerdotal –, está a exigir que oscandidatos à vida religiosa e presbiteral tenham ficha limpa. Pois só poderãoexigir dos fiéis – sejam eles médicos, advogados, políticos, fazendeiros,empresários, etc. – o que eles próprios se esforçam por viver. Caso contrário,incorreriam na crítica que Jesus dirigia às lideranças de seu tempo: «Amarramfardos pesados e os põem nos ombros das pessoas, enquanto eles não estãodispostos a movê-los nem sequer com um dedo» (Mt 23,4).

 Pelo que parece, porém, ficha limpa é um privilégioreservado às crianças de peito, pois só elas não foram ainda contaminadas pelomal. As demais, ao chegarem ao uso da razão – como se dizia antigamente –passam a ser bombardeadas pelos sete vícios capitais. E, em pouco tempo, aficha limpa se transforma em ficha suja… Ainda bem que a misericórdia de Deusé infinita e realiza milagres que a justiça humana não percebe nem consegue.Desta forma, um criminoso pode readquirir ficha limpa em poucos instantes. É o quea Bíblia garantia muitos séculos antes de Cristo revelar a verdadeira face deDeus, que é amor: «Se o pecador se arrepende de todos os erros que fez e passaa praticar a justiça e o direito, ele viverá, não morrerá. Todo o mal que tiverfeito, não será mais lembrado. Pois eu não sinto prazer com a morte do pecador»(Ez 18,21-23).

 Isso diante de Deus – o que é sempre o mais importante. Aquina terra, porém, cada um deve pagar pelos seus erros. Nesse sentido, deve-sereconhecer que a Ficha Limpa é um grande presente que a população honesta doBrasil ofereceu a quantos lutam por uma sociedade alicerçada na justiça, nasolidariedade e no bem comum. Talvez nem todos saibam que essa vitória do bemsobre o mal se deve, em grande parte, à ação da Igreja Católica, que colaboroucom 1.600.000 assinaturas para a aprovação da lei.

 «A ação da Igreja Católica foi indispensável para a aprovaçãoda Lei Ficha Limpa, pois contribuímos desde as comunidades até as paróquias edioceses, o que, em números, significa 90% da contribuição, dados que nosorgulham muito».

 Sobre as eleições políticas programadas para o início deoutubro, o prelado afirmou: «A Igreja espera uma corrida eleitoral justa edemocrática, com respeito ao diferente e à diversidade de nosso país. Aoeleitor, pedimos que avalie os candidatos e lembre que o processo eleitoral nãotermina ao confirmar o voto, mas continua ao longo dos mandatos».

 No dia seguinte, confirmando a sintonia de intentos entre oepiscopado brasileiro, Dom Walmor Oliveira de Azevedo, arcebispo de BeloHorizonte, afirmou que a Lei Ficha Limpa é «um instrumento de valorincalculável para garantir que as eleições sejam, de fato, uma oportunidade demudanças e de novo tempo na vida da sociedade brasileira. A conduta “fichalimpa” é indispensável para que uma eleição seja, de verdade, um grande ganhoque assegure avanços na sociedade».

 E, referindo-se aos candidatos, o arcebispo acrescentou:«Todos sabem que é fácil falar e prometer. O desafio é ser capaz de cumprir.Não cumpre, ainda que tenha competência executiva ou de outra ordem, quem nãotem autoridade moral. No processo de discernimento e nas escolhas é precisoconsiderar a medida da credibilidade de cada candidato. A credibilidade moralprecisa ser acolhida como critério determinante de escolhas, colocando-a acimada filiação ou de simpatia partidárias, da sedução das promessas e,particularmente, da troca de favores, pagamentos e outras barganhas. É hora deredobrar a atenção e o interesse, e fazer, pelo voto, escolhas que possamgarantir novos rumos nesse momento de eleições e de mudança».

 A prática, porém, nem sempre se ajusta à teoria; assim,sobrarão artimanhas a candidatos de ficha suja para continuarem a fazer o quesempre fizeram. Nem faltarão magistrados e eleitores que os compreendam eapoiem…


Comentários

Aviso: Os comentários são de responsabilidade dos autores e não representam a opinião da Comunidade Shalom. É proibido inserir comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem os direitos dos outros. Os editores podem retirar sem aviso prévio os comentários que não cumprirem os critérios estabelecidos neste aviso ou que estejam fora do tema.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *