Formação

Cultivar paz com diálogo, respeito, reconciliação e perdão

comshalom

“Ser cristão é um caminho, ou melhor, uma peregrinação, umcaminhar juntamente com Jesus Cristo. Ir naquela direcção que Ele nos indicou eindica” – esta a mensagem que Bento XVI quis deixar aos jovens, neste Domingode Ramos, vigésimo quinto Dia Mundial da Juventude, celebrado desta vez a níveldas dioceses. Sob um esplêndido sol primaveril, dezenas de milhares de fiéis,na maioria jovens, congregaram-se na Praça de São Pedro, em Roma, para acelebração que dá início à “Semana Santa”, a “Semana Maior”, que conduz àPáscoa de Ressurreição, domingo próximo.

O tema do domingo de Ramos – sublinhou o Papa, na homilia da Missa – é “oseguimento (de Cristo)”: “ser cristãos significa considerar a via de JesusCristo como a via justa para sermos homens – aquela via que nos conduz à meta,a uma humanidade plenamente realizada e autêntica”. O Evangelho da bênção dosRamos começa com a frase “Jesus caminhava à frente de todos, subindo aJerusalém”. O caminho no qual somos chamados a seguir Jesus é antes de mais umasubida, um subir. “Antes de mais (reflectiu Bento XVI) um subir à verdadeiraaltura do ser homem. O homem pode escolher uma via cómoda e pôr de ladoqualquer fadiga. Pode também descer para baixo, para o que é indigno. Podeenterrar-se no lodo da falsidade e da desonestidade. Jesus caminha à nossafrente, em direcção ao alto”.

“Ele (Jesus) conduz-nos para o que é grande, puro, conduz-nos para o ar sadiodas alturas: para a vida segunda a verdade; para a coragem que não se deixaintimidar pelo palavreado das opiniões dominantes; para a paciência que suportae sustenta o outro. Conduz-nos à disponibilidade para com os que sofrem, paracom os abandonados; para a fidelidade que está da parte do outro mesmo quando asituação se torna difícil. Conduz-nos ao amor – conduz-nos a Deus”.

Seguir Jesus na sua “subida a Jerusalém”, uma via que prossegue até ao fim dostempos – prosseguiu Bento XVI – recorda o que significa “Jerusalém”, a cidadeonde se encontrava o Templo de Deus, cuja unicidade devia aludir à unicidade dopróprio Deus. Este lugar diz-nos, portanto, que “Deus é um só para todo omundo, supera imensamente todos os nossos lugares e tempos: é aquele Deus a quepertence toda a criação. É o Deus que todos os homens, no mais fundo de sipróprios procuram e do qual todos, de algum modo, têm conhecimento. Mas esteDeus tem um nome. Deu-se-nos a conhecer, empreendeu com os homens uma história…O Deus infinito é ao mesmo tempo o Deus próximo. Não pode ser retido emqualquer edifício, e contudo quer habitar no meio de nós, quer estar totalmenteconnosco”.

Jesus sobe a Jerusalém para aí celebrar, com Israel, a Páscoa. E sobe com aconsciência de ser Ele próprio o Cordeiro no qual se cumprirá o que o Livro doÊxodo diz a propósito: um cordeiro sem defeito, macho, que ao pôr-do-sol,perante os olhos dos filhos de Israel, é imolado “como rito perene”.

“Na amplidão da subida de Jesus tornam-se visíveis as dimensões do nossoseguimento – a meta a que Ele nos quer conduzir: até às alturas de Deus, àcomunhão com Deus, ao estar-com-Deus. É esta a verdadeira meta, é a comunhãocom Ele, que é a via. A comunhão com Ele é um estar em caminho, uma permanentesubida para a verdadeira altura da nossa chamada. Caminhar juntamente com Jesusé sempre, ao mesmo tempo, um caminhar no nós daqueles que querem seguir comEle. Ele introduz-nos nesta comunidade”.

Sendo um caminhar para a verdadeira vida, até sermos homens conformes ao modelodo Filho de Deus, Jesus Cristo – considerou ainda o Papa – isso supera asnossas próprias forças. Seguir este caminho é também ser conduzidos,transportados. É Jesus que nos atrai e nos sustenta. Faz parte do seguir aCristo que nos deixemos integrar nesta “comitiva” e neste movimento conjunto…

“Requer este acto de humildade, o entrar no nós da Igreja. O agarrarmo-nos aosoutros, a responsabilidade da comunhão – o não romper a corda (que nos liga)com contumácia e pedantismo. Crer humildemente com a Igreja, mantermo-nosfirmes conjuntamente com os outros na subida para Deus é uma condição essencialdo seguir a Cristo. Requer também o não nos comportar-se como padrão da Palavrade Deus, não seguir uma ideia incorrecta de emancipação. É essencial para asubida a humildade do ser-com”.
 
Nas saudações finais, ao concluir a Missa, passado já o meio-dia, antes darecitação do Angelus, Bento XVI evocou o Domingo de Ramos de há 25 anos atrás.Esse ano de 1985 tinha sido consagrado pelas Nações Unidas aos jovens. JoãoPaulo II decidiu a partir daí congregar os jovens, em todo o mundo, neste diada entrada de Jesus em Jerusalém.

“Há 25 anos o meu amado Predecessor convidou os jovens a professar a suaprópria fé em Cristo que tomou sobre si a causa do homem. Renovo hoje esteapelo à nova geração, a que dê testemunho, com a força mansa e luminosa daverdade, para que aos homens e mulheres do terceiro milénio não falte o modelomais autêntico: Jesus Cristo”.

Finalmente, uma referência especial a “Jerusalém, onde se cumpriu o mistériopascal”.

“Sofro profundamente com os recentes contrastes e tensões mais uma vezverificados à volta desta Cidade, que é a pátria espiritual de Cristãos, Judeuse Muçulmanos, profecia e promessa daquela reconciliação universal que Deusdeseja para toda a família humana.
A paz é um dom que Deus confia à responsabilidade humana, para que cultiveatravés do diálogo e no respeito pelos direitos de todos, a reconciliação e operdão.
Rezemos pois para que os responsáveis pela sorte de Jerusalém empreendam comcoragem o caminho da paz e o sigam com perseverança!”


Comentários

Aviso: Os comentários são de responsabilidade dos autores e não representam a opinião da Comunidade Shalom. É proibido inserir comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem os direitos dos outros. Os editores podem retirar sem aviso prévio os comentários que não cumprirem os critérios estabelecidos neste aviso ou que estejam fora do tema.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *