Formação

Curandeiros e charlatões

“A magia, com todas as práticas conexas, é superstição, idolatria,porque toda ela é uma busca fora de Deus e das suas leis, que nãosatisfazem aquele que crê; por isso procuram-se outros caminhos, outrasleis, outras divindades que venham em auxílio”.

Padre Gabriel Amorth
Exorcista do Vaticano

Loredana, de 17 anos, tem um caderno de capa cor-de-rosa, onde anotaletra de musicas. Foi uma das poucas coisas que levou consigo quandofui de casa, há três meses, junto com duas irmãs mais novas. As trêseram frequentemente estupradas pelo pai, a mando da própria mãe.

– Minha mãe é curandeira e mandava meu pai dormir conosco para serrica e ter saúde – explica numa voz quase inaudível e os olhos fixos emum ponto qualquer da parede por sobre o ombro do interlocutor.

Ela e as irmãs vivem atualmente no Centro Nhamai (mulher, no dialetobitonga), na periferia da capital Maputo, que acolhe mulheres vítimasde violência e abuso sexual. Todos os seus pertences, inclusive ocaderno, cabem numa mochila, guardada atrás da cama de ferro quedelimita seu único espaço individual no centro.

Não se trata de uma história isolada. Os casos de abuso sexual pororientação de curandeiros não são raros em Moçambique e são apontadospor especialistas como um dos fatores da acelerada disseminação da aidsna África Subsaariana, que concentra 70% dos casos mundiais da doença.Estatísticas atribuídas ao governo indicam que existem 72 milcurandeiros em todo o país e a epidemia se tornou uma fonte de lucropara os oportunistas.

Não por acaso, o tema é debatido em horário nobre, na novela “Vidasem Jogo”, uma co-produção entre Brasil e Moçambique, estrelada poratores moçambicanos, que aborda a aids e os aspectos culturais esociais da epidemia.

– Mostramos os curandeiros charlatães que dizem que podem curar adoença usando lâminas sem assepsia, por exemplo, mas também mostramosque existe o curandeiro mais consciente, que encaminha os pacientespara o posto de saúde – conta Caroline Menezes, sócia da Cinevideo eprodutora executiva da novela.

Moçambique é o oitavo país mais afetado do mundo pela infecção, comuma prevalência que chega a 14% entre a população adulta. A expectativade vida hoje pouco ultrapassa os 40 anos. Crendices e tradiçõesculturais muito arraigadas forjaram uma epidemia de parâmetros únicos.

– Existe o mito disseminado de que a relação com uma virgem vailivrar o homem do HIV – conta Cecília Tembe, a coordenadora do centro.– E há curandeiros que dizem que, se um homem dormir com sua filha, otratamento vai correr bem. E ele ainda vai ficar rico.

Dinheiro e saúde são os bens mais preciosos num país em que 70% dapopulação vivem abaixo da linha da pobreza e uma em cada seis pessoas éportadora do HIV.

– Alguns curandeiros dizem que o sangue de um animal pode livrar ohomem do vírus, mesmo que ele tenha feito sexo sem camisinha. Masoutros recomendam a relação com a filha virgem – confirma Nacima Figia,coordenadora de Direito da Mulher e da Criança da ONG Actionaid.

E não só.

– Alguns deles garantem que quanto mais nova for a menina, maisfácil o vírus sai do corpo dele e ele fica curado – conta Paula VeraCruz, coordenadora nacional do Comitê da Mulher e do Jovem. – Há casosde abuso de meninas de dois anos de idade (1).

POBREZA E O MAL INVISÍVEL

“Nada destrói a alma como a pobreza”.

Jane Austen (1775-1817)

Escritora Britânica

“Não tenho dúvida que a questão mais urgente da agenda brasileira éo combate à pobreza. A pobreza mata. Limita o presente e destrói ofuturo. Aniquila gerações. As conseqüências dramáticas da pobrezadeveriam justificar a implantação de uma sólida agenda nacional capazde resolver o problema de forma definitiva, mas, infelizmente, isso nãotem sido possível. O combate à pobreza é responsabilidade do Estado eexigência da sociedade. A segurança de renda é uma conquista, masprecisamos avançar ainda mais conduzindo programas sociais que ofereçamcaminhos para uma inclusão social sustentável”, escreve Marcelo Garcia,presidente do Colegiado Nacional de Gestores Municipais de AssistênciaSocial e secretário executivo do Instituto CNA (2).

Em Moçambique a pobreza disseminada potencializa a questão cultural.É uma prática disseminada o sexo em troca de pequenos presentes, comotelefones celulares e roupas de grifes caras. As moças que usam oscobiçados jeans de cintura baixa são chamadas, na gira de Maputo, de“tchunga baby”, ou seja, elas têm um parceiro mais velho e maisendinheirado, que lhes dá presentes.

Formado pela School of Foreign Service da Universidade deGeorgetown, em Washington, Parag khanna tornou-se PhD em RelaçõesInternacionais pela London School of Economics, trabalhou no BrookingsInstitution e foi conselheiro na campanha de Barack Obama. Atualdiretor da Iniciativa Governamental Global e pesquisador sênior doPrograma e Estratégia Americana do think tank New America Foundation,Khanna analisa a transformação do inabalável poder americano sobre omundo com a guerra no Iraque e o cenário com o qual o novo presidenteamericano terá de lidar, com uma equipada União Européia, a triunfanteChina e o crescimento silencioso do segundo mundo, em que o abismoentre ricos e pobres foi aprofundado com o processo de globalização (3).

Exorta o Papa Bento XVI: “Dar de comer aos famintos (cf.Mt25,35.37.42) é um imperativo ético para toda a Igreja, que é respostaao ensinamentos e solidariedade e partilha do seu fundador, o SenhorJesus. Além disso, eliminar a forme no muno tornou-se, na era daglobalização, também um objetivo a alcançar para preservar a paz e asubsistência da terra”(4).

Via o óbolo de São Pedro e a Cáritas, o Papa têm ajudado e socorrido muitos países pobre e vitimas de catástrofes.

É notável que uma das mais eloqüentes vozes em defesa dos 18 milhõesde habitantes do planeta que morrem desnecessariamente a cada ano nospaíses em desenvolvimento saia da boca e da pena de um grande filósofo.Segundo o australiano Peter Singer, professor de bioética naUniversidade de Princeton, essa tragédia mostra que “há uma máculamoral em um mundo rico como o nosso! em um mundo rico como o nosso”. Emseu mais recente livro, A Vida Que Você Pode Salvar, Singer prega queas pessoas em situação financeira confortável deveriam separar 5% desua renda atual para impedir o sofrimento e a morte dos demaisnecessitados. Os muitos ricos deveriam doas muito mais. Ele ensina queessa ajuda aos pobres trará significado e propósito às nossas vidas.

O Escritor entende que “filantropia para as artes e atividadesculturais, em um mundo como este, é normalmente dúbio”. Comenta que osUS$ 45 milhões pagos pelo Metropolitan Museum of Art, de Nova York, porum quadro de Duccio, daria para pagar operações de catarata para 900mil pessoas cegas nos países em desenvolvimento. Isso nos leva a crerque, se o museu estivesse em chamas, alguém consideraria certo salvar oquadro do incêndio – e não uma criança.

Muito antes de Singer, os Provérbios ensinavam que “quem despreza opróximo comete pecado, mas como é feliz quem trata com bondade osnecessitados” (Prov. 14,21). Jesus amplia esse pensamento e declara:“Há maior felicidade em dar do que receber” (Atos 20,35).

Peter Singer não é um teórico sobre o assunto. Além de doar 25% desua renda anual, em um de seus sites ele encoraja as pessoas a fazeremo mesmo, combatendo assim a pobreza mundial. Segundo Dwight Garner,Singer já obteve mais de 1.800 adesões (5).

“O mercado é o deus do mundo pós-moderno”, diz o filósofo francês Dany-Robert Dufour.

Temos que lutar bravamente contra os inimigos da humanidade como: oscharlatães da magia, as seitas, a Nova Era, curandeirismo, esoterismo,espiritualismo, bruxaria, feitiçaria, superstição, astrologia,cartomancia, teologia da prosperidade, o neopentecostalismo, a fome, apobreza, o deus do mercado e toda cultura que gera a morte.

O nosso inimigo não é só visível como à ignorância, a boçalidade, afalsa religião e o sistema com a sua cultura de morte, mas invisívelcomo afirma São Paulo Apóstolo: “Revesti-vos da armadura de Deus, parapoderes resistir às insídias do diabo. Pois o nosso combate não écontra o sangue nem contra a carne, mas contra os Principados, contraas Autoridades, contra os Dominadores deste mundo de trevas, contra osEspíritos do Mal, que povoam as regiões celestiais. Empunhando sempre oescudo da fé, com o qual podereis extinguir os dardos inflamados doMaligno”.

“E tomai o capacete da salvação e a espada do Espírito, que é a palavra de Deus” (Ef 6,10-17).

De forma magistral nos ensina o Papa Bento XVI em sua CartaEncíclica Caritas in Veritate: “As novas formas de escravidão da drogae o desespero em que caem tantas pessoas têm uma explicação não sósociológica e psicológica, mas essencialmente espiritual” (nº 76).

CONCLUSÃO

A nossa missão é pregar o amor de Deus, a verdade que liberta e asolução em Jesus Cristo e o poderoso Consolo do Espírito Santo para omundo que vive em aflição e conturbado pelas drogas, pela violência,pela desagregação familiar, pela destruição do meio ambiente, pelapobreza, pela corrupção, pela decadência moral, pelas doenças, pelofundamentalismo religioso, pelo terrorismo, o medo de uma guerranuclear, a ameaça das armas de destruição de massa, e pelo tráfico emgeral.

Só o ensinamento de Jesus de Nazaré é a solução para todos os males:“ESTE É O MEU MANDAMENTO: AMAI-VOS UNS AOS OUTROS, ASSIM COMO EU VOSAMEI. NINGUÉM TEM AMOR MAIOR DO QUE AQUELE QUE DÁ A VIDA POR SEUSAMIGOS” ( Jo 15,12.13).

Notas

(1) O Globo, 06/09/2009, p. 37.
(2) O Globo, 08/09/2009, p. 7.
(3) Jornal do Brasil, 01/12/2008, p. 21.
(4) Carta Encíclica Caritas in Veritate, n. 27.
(5) Ultimato, set/out, 2009, p.16.

Bamonte, Francesco. Magia ou ciência? Como liberta-se dasuperstição, da feitiçaria e dos charlatões , São Paulo:Ave-Maria,2005,p. 98.


Comentários

Aviso: Os comentários são de responsabilidade dos autores e não representam a opinião da Comunidade Shalom. É proibido inserir comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem os direitos dos outros. Os editores podem retirar sem aviso prévio os comentários que não cumprirem os critérios estabelecidos neste aviso ou que estejam fora do tema.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *