Formação

Desapego, a alegria do cristão

comshalom

Dom Eurico dos Santos Veloso

Estamosnum mundo assolado pela tristeza. Basta abrirmos os noticiários eestamos diante de um mundo em sempre é ressaltados fatos, que nos levama pensar que tudo está perdido.

Tudo isso nos conduz a uma civilização em que a morte é mais ressaltada do que o amor.

Mas a mensagem cristã é outra, bem outra.

Jesus no sermão da montanha proclamou o código da felicidade e  da alegria.

Se trilharmos pelo caminho das bem-aventuranças, a alegria, o encanto da vida e a felicidade serão nossas companheiras.

Aorigem de toda infelicidade, de toda tristeza, está no apego que temosaos nossos pertences, isto é, bens materiais, bens da mente, bens docoração.

Háuma filosofia diabólica que está por trás de toda notícia ruimdivulgada pela nossa imprensa. É o seguinte: enquanto ficamosdesalentado com as más notícias, seguidas de propaganda maciça sobrebens materiais, isso nos leva a consumir esses bens, cada vez mais.

Éa filosofia pagã do “carpem die ”,  usufruir o máximo da vida, pois,ante um mundo tão desalentador, não sabemos se amanhã podemos consumiresses bens.

NossoSenhor Jesus Cristo no código da felicidade disse: bem-aventurados ospobres, porque deles é o reino dos céus”. Esse ensinamento de JesusCristo tem um grande significado para o cristão.

Comefeito, se estamos apegados aos bens materiais, tais como propriedades,dinheiro, jóias, valores enfim ou aos bens espirituais, como a fama, oprestígio, as honrarias, se, por acaso as vermos ameaçadas temos duasatitudes: ou ficamos com medo de sua perda e ficamos tristes ou asperdemos e ficamos deprimidos.

Franciscode Assis, o pobre de Assis, quando fundou a fraternidade franciscanaproibiu que seus seguidores tivessem propriedades de qualquer espécie.Dizia ele: quem tem propriedades e as vê ameaçadas procura defendê-lase a defesa é uma guerra, pois a propriedade reclama por seu dono.

Assim,a fonte perene da alegria é o desapego de tudo, para termos um coraçãopobre e humilde como o de Cristo, nosso mestre e ideal.

A tristeza não é coisa boa, mas  fonte de morte e depressão.

Quero finalizar essas breves considerações com o ensinamento do livro sacro do Eclesiástico, Capítulo 30, versículos 22 a 27:

“ Não entregues tua alma à tristeza,

Não atormentes a ti mesmo em teus pensamentos.

A alegria do coração é a vida do homem,

É um inesgotável tesouro de santidade;

A alegria do homem torna mais longa sua vida.

Tem compaixão de tua alma e torna-te agradável a Deus e sê firme;

Concentra o teu coração na santidade,

E afasta a tristeza para longe de ti;

Pois a tristeza matou a muitos deles.

E não há utilidade alguma nela.

A inveja e a ira abreviam os dias,

E a inquietação acarreta a velhice antes do tempo.

Um coração bondoso e nobre banqueteia-se eternamente,

Pois seus banquetes são preparados com solicitude.”


Comentários

Aviso: Os comentários são de responsabilidade dos autores e não representam a opinião da Comunidade Shalom. É proibido inserir comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem os direitos dos outros. Os editores podem retirar sem aviso prévio os comentários que não cumprirem os critérios estabelecidos neste aviso ou que estejam fora do tema.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *