Formação

Educação Religiosa

comshalom

Dom Benedicto de Ulhôa Vieira


AEducação religiosa da criança é necessária e deixa raízes para a vidatoda. A linguagem tem de ser infantil, acompanhada de pequenos gestosque a criança compreende e assimila na beleza encantadora da sua idade.

Felipe,um menino de três anos, aprendeu que Nossa Senhora é a nossa mãe docéu. Para uma criança que, por experiência pessoal, sabe o que é termãe e o que ela representa de bondade, de carinho e de amoroso cuidado,é fácil compreender o papel materno de Maria Santíssima. Por isto,quando alguém lhe ensina que Nossa Senhora é “a mãe do céu”,compreende quem é Maria Santíssima e o que Ela é para nós. Aofrequentar o Santuário da Medalha, ensinaram ao pequeno Felipe que alié a casa dEla, da mãe do céu.

Tendoeu certa vez ido em visita aos pais, para presenteá-los com a foto dofilho levando uma flor para o altar, a mãe o chamou, anunciando minhachegada. E ele, lá do fundo do apartamento, associando minha presençacom o Santuário, onde me conhecera e ali algumas vezes me vira,perguntou à mãe: “A Mamãe do céu veio junto com ele?” Graciosa e encantadora pergunta do menino de três anos.

Estacena infantil é uma lição: pais religiosos começam, desde muito cedo, aeducar os filhos e incutir na alma da criança, a noção de Deus como paie criador e o papel materno de Maria Santíssima na espiritualidadecristã. Hoje a televisão, desde cedo, dá à criança a colorida visão dascoisas que existem e do que acontece. Pela viveza das imagens éimpossível não gravá-las na mente da criança. Daí, já não sobra tempopara a prática religiosa da família e a educação religiosa dos filhospequenos. A TV ocupa todo o tempo.

Ocaso aqui citado do menino de três anos é um lembrete para que não seesqueçam os pais da educação religiosa de seus filhos, desde a maistenra idade. Pequenos gestos, pequenos fatos da vida diária podem darocasião para a mãe – também o pai – incutir na alma do filho osprimeiros gestos de amor ao Criador. Oxalá o lar seja a “escola primária” do aprendizado do que é eterno e insubstituível.

Nãose pode aceitar que as crianças vivam sem nunca terem ouvido da mãe oudo pai uma palavra iluminadora sobre Deus que é pai e criador. Educaçãoreligiosa: não deixem seus filhos crescer sem lhes despertar os olharespara além das estrelas que brilham, à noite, na escuridão do céu.


Comentários

Aviso: Os comentários são de responsabilidade dos autores e não representam a opinião da Comunidade Shalom. É proibido inserir comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem os direitos dos outros. Os editores podem retirar sem aviso prévio os comentários que não cumprirem os critérios estabelecidos neste aviso ou que estejam fora do tema.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *