Formação

Encontrei meu lugar!

comshalom

Entre tantas alegrias que o Senhor nos permite experimentarsobre esta terra, existe uma que gostaria de destacar: a alegria de estarexatamente onde Ele deseja. Recordo que durante certo período de minha vidamissionária, longe do meu país, da minha língua materna, da minha família eirmãos de comunidade, houve momentos duros em minha vida apostólica e pessoal.Vivi dores que ninguém próximo a mim parecia compreender, momentos em que meeram exigidas decisões que estavam acima de minhas capacidades humanas. Noentanto, uma coisa era para mim motivo suficiente para prosseguir: a alegria desaber que apesar de tudo eu estava no lugar que eu deveria estar, no lugar queDeus havia escolhido para mim.

Como é frustrante encontrar pessoas, nos mais diversosâmbitos da sociedade, insatisfeitas com suas vidas, suas profissões. “O queestou fazendo aqui?” lamentam alguns, “Se não fosse pelo dinheiro, eu já tinhatrocado de trabalho”, suspiram outros. Ao contrário, quando uma pessoa descobresua vocação, todo esforço e sacrifício vale a pena. Em se tratando de umavocação particular, cuja origem está na identidade mais profunda do nosso ser,esta realidade é ainda mais importante.

A vocação particular de uma pessoa é este lugar na Igreja eno mundo especialmente escolhido por Deus. Vai muito além do que simplesmenteuma vocação profissional. É uma vocação ontológica, ou seja, que se refere nãoao que você faz ou é capaz de fazer, mas àquilo que você é. Todos possuem umavocação universal enquanto filhos de Deus, chamados a viver a plenitude doamor. Alguns, porém, são chamados a abraçar um carisma particular inspiradopelo Espírito Santo e autenticado pela Igreja. Franciscanos, carmelitas,agostinianos, salesianos… são muitos os carismas que embelezam o belo jardimda Igreja. São carismas com características próprias estampadas em suaespiritualidade, forma de vida, apostolado e outras expressões.

Se cada carisma autêntico parte do coração de Deus como umsocorro à Igreja e ao mundo, então, se você deseja descobrir sua vocação, devecomeçar esta busca justamente lá, no coração do Pai. É impossível trilhar estecaminho sem vida de oração, sem uma busca sincera, paciente, humilde edesapegada dos planos e projetos pessoais. Se você deseja descobrir a vontadede Deus para a sua vida, muito mais é o Senhor que deseja que você a encontreatravés da oração (Jr 29,12s). A oração é indispensável para o discernimentovocacional, mas é preciso também se lançar no jardim da Igreja e começar acontemplar suas mais diversas flores, com seus diversos perfumes, cores eformas. Dentre estas, haverá uma flor específica, um perfume inigualável, umacor e forma belos o suficiente para fazer arder seu coração.

Santa Teresinha do Menino Jesus, por exemplo, só em ver ohábito das carmelitas ou contemplá-las ao longe, sentia grande alegria. “Oh,como me sentiria feliz, se pudesse ver o semblante de uma dessas carmelitas”(cf. História de uma alma), afirmou ao ver se aproximar dela em sonho umacarmelita. E os discípulos de Emaús que sentiram seu coração arder quando Jesuslhes falava pelo caminho (Lc 24,23b)? Sim, de fato arde o coração dovocacionado quando encontra alguém ou algo que lhe remete àquela florzinhaparticular.

No meu caso, a florzinha se chama Shalom. Bastava ouvir essapalavra, ver um tau no pescoço de alguém ou de longe contemplar aquele queseria também meu fundador, para sentir arder uma chama que cada vez se tornavamais viva e mais real dentro de mim. Era uma inflamação que se instaurava notecido vivo do meu coração e que não havia remédio capaz de o curar. Quantomais eu lia sobre este carisma, convivia com outros shalomitas e rezava sobreisto, mais inquieto ficava meu coração.

No entanto, é importante não trilhar este caminho sozinhopara não incorrer no perigo de escutar somente a própria voz ou se deixar levarpor motivações ainda imaturas. Cada vocação particular possui uma forma própriade ajudar seus vocacionados a melhor discernirem se possuem ou não aquelecarisma e se é o tempo certo de dizer “sim”. Geralmente, um irmão mais madurona fé e na vivência daquela vocação será apontado para ajudar o vocacionado.Ele será de grande valor para esta escuta sincera da vontade de Deus.

Na vocação Shalom, descobri que aquele fogo e aquela feridaque nunca cicatrizava, mas ao contrário, crescia mais e mais e consumia todo omeu ser, se chamava Amor Esponsal. Era o amor-gratidão a Jesus Cristo que haviame tirado da morte e da infelicidade e a quem agora eu tinha uma enorme dívida.Essa dívida só podia ser paga com amor, ou seja, amando e me consumindo aindamais para tirar outras almas da morte. A partir daí, onde quer que euestivesse, qualquer que fosse a terra de missão a que o Senhor me enviasse, eusaberia que estava exatamente no lugar que Ele havia escolhido para eu estar.Isto é motivo de grande alegria e paz.

Sentiu seu coração arder com estas palavras? Você seidentificou com este Amor Esponsal que quer se consumir sempre mais e mais emgratidão à Jesus Cristo, o Amado de nossas almas? Quem sabe não seja este omomento para iniciar um sincero caminho vocacional para enfim poder dizer comonossa querida Santa Teresinha “Sim, encontrei o meu lugar na Igreja, e tallugar, ó meu Deus, fostes Vós que o me destes” (cf. História de uma alma).


Comentários

Aviso: Os comentários são de responsabilidade dos autores e não representam a opinião da Comunidade Shalom. É proibido inserir comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem os direitos dos outros. Os editores podem retirar sem aviso prévio os comentários que não cumprirem os critérios estabelecidos neste aviso ou que estejam fora do tema.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *