Formação

Esperteza

comshalom

4dc2458647Estamos no mundo da esperteza, e de forma até desleal e injusta, que revela a busca desenfreada da cultura do ter a todo custo. É um caminho, às vezes assumido com uma garra toda particular, que envolve todo o instrumental capaz de produzir lucro econômico.

Na visão de Jesus, a salvação supõe esperteza e sagacidade, mas de forma diversa daquela do mundo. Para ele, a grande esperteza é a pessoa não ser absolvida e enredada pelo culto ao dinheiro. O ter acaba destruindo o que é fundamental na pessoa, a sua dignidade e o seu ser.

Quem abraça o caminho da salvação em Cristo não dá espaço para outras realidades na vida, especialmente àquelas que confirmam situações passageiras e que não levam à verdadeira felicidade duradoura. Seu caminho é assumido com mais determinação e de coração aberto.

Tendo como meta a esperteza, os bens não são equitativamente distribuídos. Isto favorece privilégios e acúmulos que provocam pobreza e marginalização. Passa a dominar a onda de corrupção tão presente na vida do nosso povo, trazendo como consequência a insegurança e a violência.

Nos princípios de uma espiritualidade madura, a prática é outra. A dignidade humana é colocada em evidência, reconhecendo o valor natural presente em cada pessoa, como destinatária dos bens de consumo e como condição para sua própria realização.

Muitos administradores são espertos, administrando os bens públicos em proveito próprio, e até de forma fraudulenta. É a prática da corrupção quando tudo é feito com má intenção. A sociedade necessita de bons e honestos administradores. Na área política, o momento é de escolha de pessoas honestas.

A ética é fundamental no trato com os bens públicos. Muito mais com aqueles de influência social. Agir com desonestidade e querendo tirar vantagem em tudo desabona a autenticidade do administrador. O lucro não pode ser o valor maior.

O cristão não pode separar sua fé, que exige compromisso ético, da administração dos bens da vida. Não pode deixar a exploração econômica dominar, sacrificando o interesse da coletividade.

Form set 2010


Comentários

Aviso: Os comentários são de responsabilidade dos autores e não representam a opinião da Comunidade Shalom. É proibido inserir comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem os direitos dos outros. Os editores podem retirar sem aviso prévio os comentários que não cumprirem os critérios estabelecidos neste aviso ou que estejam fora do tema.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *