Formação

“Falai, Senhor, que vosso servo escuta”

comshalom

Frei Gabriel de Santa Maria Madalena, OCD

Como o jovem Samuel, de que fala a Bíblia, deve o cristão estar sempre pronto para qualquer chamado de Deus. Na verdade, porém, difícil é, por vezes, reconhecer a voz do Senhor. Reconheceu-a Samuel só depois de ter sido iluminado pelo sacerdote Eli, a quem recorreu e que lhe sugeriu o modo de se comportar: “Presta atenção! Se te chamar ainda, dirás: ‘Falai, Senhor, porque vosso servo escuta’” (1Sm 3,9). Mesmo quando chama Deus diretamente a pessoa, quer que ela, para ser iluminada a respeito do sentido desse chamamento, recorra à Igreja, que tem a missão de reconhecer e interpretar as inspirações divinas. Suposto isto, a disposição de fundo para acolher o chamado de Deus são a prontidão e a disponibilidade, assim como o desejo de conhecer e seguir o Senhor.
Exemplo típico oferece o Evangelho na vocação de João e de André. Não são chamados diretamente por Deus, mas por meio do Batista, mestre deles. Ouvem-no dizer, certo dia, referindo-se a Jesus: “Eis o Cordeiro de Deus” (Jo 1,36); nestas palavras reconhecem o anúncio do Messias tão esperado e imediatamente o seguem. Querem conhecê-lo, saber onde mora, vão com ele: “E ficaram com ele aquele dia” (ibidem, 39).
Comovem-nos a retidão e o desinteresse do Batista, que não se preocupa de fazer prosélitos, mas de anunciar-lhes o Messias, guiá-los ao Messias, plenamente fiel à sua missão de “voz” que prepara os caminhos do Senhor (ibidem, 23)! Em seguida, desaparece no silêncio. Mas comove-nos também a prontidão com que João e André deixam o antigo mestre e seguem a Jesus. Souberam que é o Messias e isto basta para o seguirem e procurarem atrair outros a ele, como faz imediatamente André, chamando o irmão Simão.
Cada cristão é chamado – segundo seu estado de vida – ao seguimento de Cristo, à santidade, ao apostolado. “Não sabeis que vossos corpos são membros de Cristo?” (1Cor 6,16); exatamente porque é membro do Corpo místico de Cristo, deve o cristão ser santo e seguidor de Cristo. Como o membro impuro, assim o cristão não santo desonra a Cabeça e prejudica todo o Corpo. Ao contrário, o membro santo honra a Cristo, ajuda na santificação do Corpo da Igreja e colabora com o próprio Cristo na salvação dos irmãos.

“Como sois bom, ó meu Senhor Jesus, em querer trazer este nome de Cordeiro de Deus, que significa serdes vítima como o cordeiro e manso como o cordeiro… e que pertenceis a Deus, isto é, tudo o que fazeis, por Deus o fazeis!
Somos também nós vítimas segundo o vosso exemplo, ó amantíssimo Jesus, vítimas por vosso amor, holocaustos que ardem em vossa honra, por meio da mortificação, da oração, entregando-nos à absoluta renúncia de nós mesmos, por vós só, esquecendo-nos, do modo mais radical, e dedicando todos os nossos instantes ao esforço por vos sermos agradáveis o mais possível…
Devemos ser como vós, ‘vítimas pela redenção de muitos’, unindo, pela santificação dos homens, nossas orações às vossas, mergulhando-nos, segundo o vosso exemplo, na mortificação, para ajudar-vos eficazmente na vossa obra redentora, pois que o sofrimento é a condição indispensável para fazer o bem ao próximo: ‘Se o grão de trigo não morre, não produz fruto’…
Ó Jesus, vossa primeira palavra aos discípulos foi: ‘Vinde e vede’, isto é: ‘segui-me e observai’, ou: ‘contemplai e imitai’… A última foi: ‘Segui-me’… Quão terna, suave, salutar, amorosa é esta palavra! ‘Segui-me’, isto é, ‘imitai-me’!… Que há de mais agradável que ouvirmos tais palavras dos lábios de quem nos ama? Que há de mais salutar, já que está a imitação assim tão unida ao amor?” (Charles de Foucauld, Meditações sobre o Evangelho, Obr. Esp. pp.194,200,201).

Extraído de: Madalena, Gabriel de Sta. Maria. Intimidade Divina. São Paulo: Loyola, 1988, pp. 460-461.


Comentários

Aviso: Os comentários são de responsabilidade dos autores e não representam a opinião da Comunidade Shalom. É proibido inserir comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem os direitos dos outros. Os editores podem retirar sem aviso prévio os comentários que não cumprirem os critérios estabelecidos neste aviso ou que estejam fora do tema.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *