Formação

Felizes os que ouvem a Palavra de Deus!

comshalom

José Ricardo F. Bezerra
Consagrado na Comunidade de Aliança Shalom

O método da Lectio Divina consiste em quatro passos que nos ajudam a orar com a Palavra de Deus a cada dia. O primeiro, e mais importante, é a leitura. Leia o trecho pelo menos quatro vezes, de preferência em voz alta ou a meia voz. O segundo passo é a meditação, na qual procuramos ouvir o que o Senhor quer nos dizer pessoalmente neste dia. O terceiro passo é a oração sobre o que o Senhor nos mostrou. E finalmente a contemplação, que é deixar Deus agir livremente em nossa alma.
Neste mês de maio, dedicado a Maria, Mãe de Jesus, e por extensão a todas as mães, escolhemos um pequeno trecho de Lc 11,27-28. Antes de tomá-lo, proponho uma pesquisa: Quantas vezes, nos evangelhos, aparece a expressão “sua mãe”, referindo-se a Maria, Mãe de Jesus?

Agora, tome o trecho de Lc 11,27-28 e leia-o em voz alta, devagar, quatro vezes. Dá até para decorar, não é? Decorar é saber de “cor” (de coração). Quando sabemos de coração, não esquecemos! Às vezes lemos um trecho bíblico pela manhã e à tarde nem lembramos mais. Você é capaz de lembrar o que leu ontem? Pelo menos um versículo inteiro? Se não conseguiu, é sinal de que não leu atentamente ou não meditou profundamente sobre o significado dele em sua vida. Por isso, feche a Bíblia e tente lembrar estes dois versículos de Lc 11,27-28. Abra e confira sua memória. Não deu? Leia novamente e preste atenção a cada palavra, pois é palavra inspirada por Deus!

Você imaginou a cena? Uma multidão ouvindo Jesus, extasiada com sua sabedoria e com os milagres que Ele realizava e, certamente, passou pela cabeça dessa mulher: “Eu queria ter um filho assim!” Imediatamente lembrou-se da mãe de Jesus, de como ela devia ser feliz por tê-lo dado à luz e amamentado. Em Israel, como em muitos países, a função principal da mulher era a de ser mãe. Quem tinha muitos filhos era dita “abençoada” por Deus. Quem não os tinha, a estéril, era uma desonra e até mesmo considerada castigada (cf. Lc 1,25; Gn 30,23; 1Sm 1,5-8).

Aquela mulher, no meio da multidão, proclama a bem-aventurança da mãe de Jesus. Porém, a resposta dele parece contradizer o elogio da mulher à mãe de Jesus. Será mesmo? Jesus, como todo bom judeu, conhecia e praticava a Lei, que ordenava: “Honra teu pai e tua mãe, para que se prolonguem os teus dias na terra que Iahweh teu Deus te dá” (Ex 20,12). “Cada um de vós respeitará sua mãe e seu pai” (Lv 19,3a). Portanto, se a resposta de Jesus fosse algo para desonrá-la, não só seria falta de amor e atenção à sua mãe, mas um pecado, uma transgressão à Lei.

É inadmissível, então, ter a ousadia de pensar que Jesus tenha menosprezado sua mãe. Pelo contrário, Ele aproveita a ocasião para ensinar que Maria não cumpriu apenas um papel físico de concebê-lo. Maria cumpriu, ao longo de toda a sua vida, o que ela respondeu ao anjo Gabriel na Anunciação: “Eu sou a serva do Senhor; faça-se em mim segundo a tua palavra” (Lc 1,38).

A maternidade não se restringe ao momento do parto, mas se prolonga por toda a vida. Maria aceitou ser a mãe de Jesus e passou por muitas dificuldades iguais e até maiores que as que muitas mães passam: dificuldades financeiras, mudanças de casa e de cidade, perda do filho adolescente, morte do esposo, saída do filho de casa, vê-lo ser perseguido e atacado pelas autoridades, sentir-se impotente diante da condenação injusta e vê-lo agonizando e morrendo na cruz.

Se não fosse sua fé e sua vivência prática da Palavra de Deus no dia-a-dia, você acha que Maria estaria de pé ao lado da cruz? (cf. Jo 19,25). A felicidade ou bem-aventurança de Maria não foi apenas por ter gerado Jesus na carne, mas já desde antes, pela escuta e vivência da Palavra.

Que grande ensinamento este, não é? Todas as mães são felizes, bem-aventuradas, pois participam da obra de Deus na criação de seus filhos. Mas, são mais felizes as mães que ouvem a Palavra de Deus e a põem em prática! Não somente, portanto, as mães, mas todo aquele que ouve e pratica a Palavra do Senhor!

Você notou o alcance da resposta de Jesus àquela mulher? Exaltou sua mãe, todas as mães e todos os que crêem em Deus e vivem sua Palavra.

E você, tem ouvido e colocado em prática a Palavra do Senhor? Ou tem escutado sem praticá-la? Leia a parábola do Semeador e sua explicação em Mt 13,18-23 e medite sobre sua escuta da Palavra. Ela tem dado fruto em sua vida?

Faça sua oração de louvor e agradecimento pela Palavra que está perto de você (cf. Dt 30,14 e Rm 10,8). Se quiser, reze com o Sl 119(118). Agradeça a Deus pelos missionários e catequistas e todos os que anunciam a Palavra de Deus. Agradeça por seus pais e em especial por sua mãe, se esta lhe ensinou os caminhos da fé. Agradeça pelo dom da vida física e da vida espiritual, a vida recebida no Batismo. Interceda pelas necessidades e intenções de sua mãe, onde ela estiver.

Louve, agradeça a Deus pelo dom de Maria, a mãe que Ele quis compartilhar com todos os que crêem na sua Palavra. Você a aceita como sua mãe? Você a ama e a honra como ela merece? Peça a Deus que aumente seu amor por ela, que sempre leva a Jesus.

Por fim, deixe que o Senhor aja em sua alma no último passo desta Lectio, que é a contemplação. Contemple a beleza inesgotável do mistério da encarnação do Verbo. Deus se fez carne, se fez homem como um de nós, a ponto de ser confundido como uma pessoa qualquer, mas que na verdade é Deus. “Deus de Deus. Luz da luz”. Verdadeiro Deus e verdadeiro homem. E Maria no centro deste mistério.
Escreva os rhemas em seu caderno de oração e partilhe com seu grupo ou Comunidade. Escreva para nós testemunhando a graça de Deus para o louvor da sua glória! Shalom!


Comentários

Aviso: Os comentários são de responsabilidade dos autores e não representam a opinião da Comunidade Shalom. É proibido inserir comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem os direitos dos outros. Os editores podem retirar sem aviso prévio os comentários que não cumprirem os critérios estabelecidos neste aviso ou que estejam fora do tema.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *