Formação

Gocce: Vaidade, confiar no que passa…

comshalom

Vaidade, pois, buscar riquezas perecedouras e nelas por sua confiança. (IC I,4)

Se a vaidade é, por definição, tudo o que é vão, inútil, sem valor e passageiro, se a palavra grega utilizada na Bíblia significa “borboleta” com sua transparência, fragilidade e fugacidade, então, buscar riquezas e nelas por nossa confiança é vão, tolo, insano, desumanizante.

Olhe em volta de você e veja como tudo parece girar em torno do possuir riquezas materiais, perecedouras. Riquezas que perecem, que passam ou, ainda que fiquem com você até a morte, não lhe servem de mais nada e ultrapassam seu tempo de vida para gerar, não raro, brigas em família.

A riqueza perecedoura parece ser o centro da vida das pessoas. Passam anos a fio tentando conseguir “aquele” emprego que paga melhor. Submetem-se a humilhações injustas para não perder dinheiro. Jogam, toda semana, na loteria, com maior fidelidade do que vão à missa dominical. Sua felicidade é ter mais que o outro. Sua segurança é possuir dinheiro e bens. Sua tristeza é perdê-los. Agarra-se a eles como à própria vida e cerca de segredos o valor exato que possui, indisposto a dividi-lo com quem necessite.

Confiar no dinheiro! Confiar nos bens! Confiar no que passa! Insensatez! Insanidade! Desvario semelhante ao agarrar-se a uma borboleta e querer que ela o alce bem alto. Vaidade! Loucura!

Maria Emmir Oquendo Nogueira


Comentários

Aviso: Os comentários são de responsabilidade dos autores e não representam a opinião da Comunidade Shalom. É proibido inserir comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem os direitos dos outros. Os editores podem retirar sem aviso prévio os comentários que não cumprirem os critérios estabelecidos neste aviso ou que estejam fora do tema.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *