Formação

Homem: ser necessário

comshalom


Foto: Wesley Almeida

Na história do itinerário: “Caminho do amor”, percebemos que aspessoas, por mais desejo que tenham de ser santas, de perdoar, de serpacientes, de ser tolerantes e de ter autodomínio, muitas vezes,  têmdificuldade de se sentir amadas por Deus.  Percebemos as feridas dahumanidade. Assim, falamos para que cada pessoa escrevesse a suahistória de vida. Mas, isso não bastava para viver em Deus, pois, oautoconhecimento estava faltando para a humanidade.

Nossaequipe de Fortaleza (CE) pensou em um modo de fazer as pessoas sedescobrirem e se colocarem em oração. Não se iluda machando que estesdias irão trazer a você o autoconhecimento, pois quem o conhece é Deus,Ele o faz se conhecer.

O homem é um ser necessitado, SantaTeresa Benedita da Cruz nos diz que é mais fácil deixar se pregar comCristo na cruz do que se tornar, com Ele, uma criancinha balbuciante.Achamos que somos senhores da vida e da morte. Hoje, a figura do homeme da mulher ideal é a aquela pessoa que não erra, que não precisa deninguém: é o autossuficiente. Como se diz aqui no Brasil: “O narizempinado”.

Vim do Chile, que vem sofrendo muitos terremotos.Nos dias em que estive lá, fiquei olhando aquele povo organizado erico. Você não vê uma folha seca no chão, não vê mendigos,necessitados. Mas vê um povo inteiro dizendo: "Não tem problema, iremosconstruir um novo país!". Nesse encontro eles perceberam que Deus nãoos estava castigando com os terremotos, mas sim lhes dizendo: "Eu sou oDeus Todo-poderoso".

"Eu tenho que ser sucesso, ser admirado,ser venerado" é a mentalidade atual. Se você está rezando para quealguém mude, saiba que quem precisa mudar é você. Temos dificuldade deenxergar o nada que somos, tirados do pó; o homem é um ser limitado.

Alguémvai morrer? Eu não! Irei viver eternamente! As pessoas que vivem emJesus Cristo viverão eternamente. Se você não gosta de si próprio, teráde viver mesmo assim na eternidade. Somos limitados no que vemos,porém, o Senhor Jesus, com Sua cruz, nos liberta e nos salva para avida eterna.

Nossos limites não estão não só no corpo, mas nainteligência. Não sabemos todas as línguas, somos limitados nainteligência, na percepção, no metabolismo, nas nossas razões e nasconclusões. Somos maravilhosamente limitados e precisamos aceitar isso, pois só Deus é Deus.Agradeça ao Senhor por ser fraco, limitado, por não ser Deus, por terlimites e ter a sabedoria de viver de acordo com eles. Eu não sou umsuper-homem, uma supermulher e a minha preocupação nesta vida é estarcom Deus.

Os antropólogos fazem listas sobre a maior dasnecessidades do homem: Alguns dizem que é a liberdade; outros que é aágua; alguns que é a comida e outros que é a pertença. Destas quatro,qual é a maior necessidade do homem?

Fizeram uma experiênciacom algumas mulheres de Ruanda, muitas mães foram tiradas de seusfilhos. Todos estavam em meio à guerra, escolheram algumas mulherespara dar três refeições por dia. E perguntaram a elas: “Vocês preferemescolher os filhos de volta ou fazer as três refeições?” As mulheres sereuniram e resolveram que deveriam dar a comida aos filhos.

Muitas experiências têm mostrado que a maior necessidade deste homemlimitado e fraco, de acordo com pesquisas antropológicas, é amar e nãoser amado. Os teólogos dizem: É ser amado por Deus e amá-Lo emretribuição aos irmãos (cf. João15, 13). Este homem que se acha "omáximo", que é profundamente limitado e não consegue ver o seu limite,pois foi criado como super-homem, até descobrir que o amor de Deus éamar.

Encontrei o amor de Deus três vezes: Quando fiz oCursinho da Cristandade e pouco tempo depois no batismo do EspíritoSanto, mas, nenhuma foi capaz de me transformar tanto quando chegueidiante do Senhor e disse: "Olha, Senhor, como sou incapaz de fazercoisas sozinha… Incapaz de ajudar a Comunidade Shalom. Olha meupecado". O Senhor, naquele momento, me deu uma certeza profunda do Seuamor por mim. Nunca me senti tão amada por Deus quando me senti fraca,limitada, sem saúde… Dessa forma, senti a Misericórdia Divina, queage para nos libertar do pecado. Ele é misericordioso, pois não exigeque eu seja perfeita.

Podemos dizer, a grosso modo, que existem três tipos de amor:

Primeiro:É aquele que "ama por causa de". Um exemplo: "Estou apaixonada, ele éinteligente, bonito… Quando completamos um ano de namoro, ele veio mebuscar com uma Ferrari para chegarmos até o jatinho particular. Fomospara a Torre Eiffel, ainda sinto aquele gosto de vinho francês".

Segundo:
É aquele que "ama apesar de", ela descobriu o amor apesar do que apessoa é. "Estou apaixonada, ele é lindo, tem 1,20m, as canelas tortas,de cabelo espetado, não tem um tostão, terminou a 5ª série, pois seupai era prefeito. Quando completamos um ano de namoro, ele me ligou dotelefone público, a cobrar, e disse: ‘Meu bem! Já te pego, me espera nacalçada, vamos de bicicleta, mas ela não tem freio’. Ele me levou a umapadaria, comprou um pão carioca e o dividiu, me deu uma caixinha comchiclete azul, que mascamos no início do namoro. Ele o guardou nocongelador, o colocou na boca e depois me passou. Que lindo!". É aqueleamor que ocorre com pais de filhos deficientes, de marido alcoólatra,de filho drogado.

Terceiro:
Quando Jesus nosdiz para sermos perfeitos como o Pai é perfeito significa: tenhamentranhas de mãe, entranhas da misericórdia!  Vou contar-lhes umahistória real: "Uma senhora chamada Luiza estava em um encontro. Neste,eu disse: "Quem aqui tem este amor de misericórdia? O amor do Deus, queme amou enquanto pecador, na condição de pecador. Deus não ama você naperfeição, Ele o ama no estado de pecador". Perguntei a ela: "Como vocêama?" Este amor que ama exatamente porque o outro precisa, como o amorde Deus, que não espera nada em troca. Este amor é a maior necessidadedo homem, esse amor para o qual  todos fomos criados. Pois fomoscriados por Deus para ser amados. "Eu não vim para os justos, mas, paraos pecadores", afirma Jesus.

Quem se acha "o máximo" é o "cão" [maligno], por isso foi jogado no inferno.

Luiza me contou: "Sou casada há 16 anos, quando tinha cinco meses decasamento descobri que meu marido era diferente do que pensava.Procurei um padre e este me disse que meu casamento era nulo. Falei aomeu marido que nosso casamento era nulo, que entraríamos num processo[requerendo a nulidade]. Mas, ele me disse: "Não me abandone! Não medeixe! Você dá o sentido à minha vida". Ela ficou louca e fez um retirocom um jesuíta durante três dias. No fim do encontro, ela declarou:"Não posso deixar o meu marido".

Agora vou mostrar a você umamor evangélico, um recado: "Querida mamãe, agradeço pelos quinze anosde vida, pois, através deste amor pude viver".

Esta primeirahistória não dará certo, porque está buscando a satisfação momentânea;com o passar do tempo aparecerão as rugas e ocorrerá o divórcio, porser totalmente humana. Na segunda história o fruto desse amor vai durarum tempo, talvez a vida toda. Ela ficará angustiada, com depressão, éum relacionamento humano e divino. A terceira é a eternidade, pois Deusnos colocou aqui para amar o próximo; esse é o amor de Jesus na cruz.

Deusnos diz quando dizemos que o outro não presta, que, na verdade, quemnão presta somos nós. Quando acho que o outro está errado, quem estáerrado sou eu. Por isso não posso cantar "Você não presta, mas eu teamo". Jesus, na  Eucaristia, nos diz: "Você não ‘presta’, mas eu teamo", justamente porque você peca e é limitado Ele deu a vida por você.

Primeiro, todo homem é um ser limitado, só Deus é perfeito eilimitado. Ele não nos rejeita, nas nossas limitações, Ele veio paranós, nos amou enquanto pecadores. Quando você se coloca diante de Jesusqueira enxergar o seu limite, seu pecado. Diga: "Senhor Jesus Cristo,tem piedade de mim, isso porque sou pecador".

Transcrição e adaptação: Thaís Capucho – Comunidade Canção Nova


Comentários

Aviso: Os comentários são de responsabilidade dos autores e não representam a opinião da Comunidade Shalom. É proibido inserir comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem os direitos dos outros. Os editores podem retirar sem aviso prévio os comentários que não cumprirem os critérios estabelecidos neste aviso ou que estejam fora do tema.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *