Formação

Ilusórios sentidos de vida

comshalom

Hoje, no entanto, a modernidade apresenta para o homem falsos e ilusórios sentidos de vida.

O sentido hedonista, em que o prazer imediato é o único bem possível de se conseguir nesta vida é bastante divulgado. A Palavra de Deus, porém, e a própria experiência nos ensinam que o prazer é uma linguagem usada por Deus para abençoar um alimento, um relacionamento; é sinal de doação e quando é buscado como fim, colhe-se o fel e o vazio. O princípio de viver buscando o prazer se torna o maior estraga prazer.

O viver em função do sucesso neste mundo globalizado e competitivo é outra ilusão que envolve os nossos jovens. A própria etimologia da palavra, que vem do latim sus-cedere, indica "o que vem depois". Portanto, viver em função de algo que vem depois e não está em meu poder obter, não seria alienar-me? Os santos nos ensinam, assim como a Palavra, que devemos dar tudo de nós no que nos é confiado e esperarmos o resultado como se tudo dependesse de Deus. Muitas angústias, depressões e ansiedades vêm da total falta de preparação do homem de hoje para enfrentar o fracasso. Esquecemo-nos de que foi através do aparente fracasso da cruz que fomos salvos e herdamos a ressurreição de Cristo; foi pelo aparente fracasso do martírio dos santos nas arenas de Roma que a Igreja pôde crescer qual árvore frondosa adubada pelo sangue dos seus filhos.

O consumismo é outro forte apelo, porque a posse dos bens leva a uma aparente segurança e felicidade. Esquecemo-nos de que o objetivo e a felicidade plena do homem não é possuir, mas ser possuído por Deus no seu Espírito Santo. Quantos testemunhos temos de pessoas como Estêvão, que na hora do martírio viu o céu aberto e o Filho do homem à direita de Deus (cf. At 7). A Bíblia nos diz que "onde está o nosso tesouro, aí estará o nosso coração" . O homem torna-se aquilo a que ama. Se ele ama o dinheiro, torna-se corruptível, algo que se vende ou compra, e o sentido da sua vida reduzir-se-á aos bens deste século. Se ele ama a Deus, por Deus será glorificará e com Ele reinará eternamente.

Outra mentalidade sutil que contaminou o homem moderno é de que sua herança genética, espiritual, psíquica unida aos traumas de sua vida condicionam o comportamento humano; é um determinismo trágico que enfraquece a vontade levando-a a justificar vícios e distúrbios comportamentais. Esquecemo-nos do que São João nos diz: "O que está em vós é maior do que o que está no mundo". O homem não é um ser condicionado, mas com condicionamentos que podem ser superados com a graça de Deus, pois "a Deus, nenhuma coisa é impossível" (Lc 1,37), haja visto a ação divina nos personagens que mencionamos.

Há ainda os "problemocêntricos", cujo sentido da vida é resolver os seus problemas e os dos outros. Eles esquecem que há problemas que nunca serão plenamente resolvidos nesta vida, como o espinho na carne de São Paulo e que fomos criados para o louvor da glória de Deus.

Por isso, oremos: "Batiza-nos, Pai, com teu Espírito, concede-nos renovada experiência da salvação de nossos caminhos e ilumina a nossa memória para que nunca esqueçamos que um Deus deu seu próprio sangue para nos fazer retornar de onde saímos: o teu misericordioso coração. Que assim seja em teu Filho e Nosso Salvador, Cristo Jesus".


Comentários

Aviso: Os comentários são de responsabilidade dos autores e não representam a opinião da Comunidade Shalom. É proibido inserir comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem os direitos dos outros. Os editores podem retirar sem aviso prévio os comentários que não cumprirem os critérios estabelecidos neste aviso ou que estejam fora do tema.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *.

O seu endereço de e-mail não será publicado.