Formação

Interceder com Jesus e o zelo pelas almas

comshalom

 Gostaríamos de começar celebrando a nossa graça do Batismo. Sabemos que pelo Batismo nos tornamos novas criaturas, porque nos tornamos filhos de Deus, assumimos uma nova identidade, a identidade dos filhos de Deus. No Batismo além de termos apagado nosso pecado original temos justificados em nome de Jesus e por Jesus todos os nossos pecados é a graça santificante, a graça de justificação do batismo. É exatamente por causa da graça que, como Jesus Cristo ,nós somos incorporados a Cristo que é a cabeça da Igreja. E somos também configurados a Cristo quer dizer, tomamos a imagem do próprio Filho de Deus. E é exatamente isso: porque somos configurados a Cristo podemos interceder com Jesus e podemos partilhar com Jesus do zelo pelas almas. Veja bem o maior desejo de quem ama é certamente ser um com quem se ama. E com o pecado original houve uma ruptura terrível entre o homem e Deus. Você sabe muito bem que foi também em Jesus Cristo e só por Jesus Cristo que essa ruptura foi anulada porque por Jesus em Jesus e com Jesus o Pai incorporou a si próprio a humanidade que crê, incorporou a si próprio o mistério da reconciliação entre Deus e os homens. Por isso, a oração final de Jesus (Jo17) aquela oração tão linda onde Jesus diz: "Pai, que todos sejam um que eles estejam em ti como eu estou em ti, que através de mim eles estejam em ti, que comigo eles estejam em ti e que todos sejam um". Porque? Exatamente o maior desejo do Pai que nos ama é nos fazer um com Ele no seu filho Jesus Cristo pelo poder do Espírito Santo.

Quando a gente entende que o maior desejo de Deus é nos fazer um com Ele através de Jesus e pelo poder do Espírito, a gente já de partida entende várias coisas sobre o ministério da Intercessão. Primeiro o intercessor deve ser uma pessoa profundamente ligada a Jesus, profundamente consciente da sua incorporação a Jesus Cristo pelo Batismo. Eu intercedo eu posso interceder porque eu estou incorporando a Cristo e a Igreja, porque em mim se realiza o sacerdócio de Cristo, eu posso interceder porque também eu estou incorporado a Igreja. E a finalidade última da minha intercessão deve ser sempre aquele maior desejo de Deus, e zelo enorme pelas almas para que elas sejam um com Deus. É interessante na nossa intercessão, muitas vezes morrermos de pena de alguém doente, de alguém que está sofrendo porque o marido deixou a casa, de alguém que está nas falsas doutrinas, de alguém que tem um filho doente; mas precisamos pedir a Deus a graça de sermos mais profundos, porque a grande dor do coração de Deus não é por alguém que está doente, que tem um filho doente, ou cujo o marido saiu de casa isso também dói no coração de Deus, mas a maior das dores do coração de Deus é seu filho separado dele, é aquele que não crê, e aquele que nem conhece Jesus, é aquele que nunca foi evangelizado, é aquele que rejeita Jesus, são os que vivem na impiedade, no pecado, os que vivem na indiferença a Deus. Como intercessores configurados a Cristo, como intercessores incorporados a Cristo que formamos a Igreja a nossa maior dor deve ser esta mesma dor do coração do Pai, esta mesma dor do coração de Jesus a dor de não ter ainda todos os seus filhos reunidos perto de si. Isso vai trazer p/o intercessor um autêntico zelo pelas almas,um desejo de levar todo homem pra Deus,um desejo de sacrificar a própria vida p/ levar todos os homens p/ Deus. É isso que significa no fundo, no fundo, interceder com Jesus. É assumir a vida de Jesus de tal maneira que, como Jesus, o nosso maior desejo seja levar almas para Deus, seja conquistar filhos de Deus, seja expandir o Evangelho no mundo inteiro. É preciso que nós coloquemos os nossos olhos no céu e saibamos que somos chamados a uma vida eterna,como diz S.Paulo em Col 3: "É preciso buscar as coisas do alto porque somos criados para as coisas do alto".

O intercessor deve interceder pelas pequenas coisas, pelas necessidades do povo, pelas necessidades de fulano ou de sicrano, mas a maior intercessão que um ministro intercessor pode ter é a intercessão de incorporar a sua vida à vida de Cristo ,de ser configurado a Cristo, de viver de tal forma que Cristo viva nele, viver de tal forma que ele possa dizer: "não sou eu quem vive,mas é Cristo que vive em mim". E se Cristo vive em mim, eu em Cristo sou um intercessor eficaz. E a minha intercessão, o meu maior desejo é que todos os homens conheçam Jesus Cristo, todos os homens procurem o Pai, todos os homens sejam de Deus, conheçam a Deus. No meu coração nasce um zelo especial pelas almas, no meu coração brota, pelo poder do Espírito Santo, um desejo de sacrificar a minha vida ,um desejo de sacrificar cada instante da minha vida para que Jesus seja louvado, para que mais almas conheçam a Deus. O sofrimento de Deus. O Sofrimento de Deus por não ter em si, unido a si, cada um de seus filhos passa a ser também o meu sofrimento de intercessor por não ter unidos a Deus cada um dos meus irmãos. Então aprofundando essa configuração a Jesus Cristo podemos pegar a 1º epístola de S.Paulo cap.2,9, esse versículo explica como e porque somos configurados a Cristo, como nos tornamos figuras de Cristo, como o Espírito Santo vai moldando em nós a própria face de Jesus, mas muito mais do que isso a própria entrega de vida obediente e sacrificial de Jesus na sua cruz. Vers. 9 “ Vós porém, sois uma raça escolhida, um sacerdócio régio, uma nação santa,um povo adquirido para, Deus a fim de que publiqueis as virtudes daquele que das trevas vos chamou a sua luz maravilhosa”.


Comentários

Aviso: Os comentários são de responsabilidade dos autores e não representam a opinião da Comunidade Shalom. É proibido inserir comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem os direitos dos outros. Os editores podem retirar sem aviso prévio os comentários que não cumprirem os critérios estabelecidos neste aviso ou que estejam fora do tema.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *