Formação

Intercessão com Jesus

comshalom

Aquele que intercede com Jesus. Nossa caminhada sobre o Sacerdócio Régio, sobre o intercessor que é chamado, é eleito para assumir com Cristo, o sacerdócio de intercessão pelo seu povo, o intercessor que tem no seu ministério todos os outros ministérios e que se torna um co-responsável pela ação do Espírito Santo, pela nossa abertura ao Espírito e pela salvação dos homens. Meu irmão essa é a grande responsabilidade, a responsabilidade pela salvação dos homens, e é lindo saber que você, intercessor, você é missionário, você é ministro de cura, você é ministro de música, você é pregador, você é ministro de aconselhamento, você é tudo o mais o que Deus lhe disser, é muito lindo e eu lhe agradeço muito por saber que você participa do nosso ministério, e por saber que sem você, o Senhor certamente não teria como derramar tantas graças sobre a Igreja do Brasil e especialmente através da Renovação.

O intercessor deve assumir, não só os carismas do Espírito, mas também esse poder de intercessão, esse poder de libertação em nome de Jesus. O intercessor aberto ao Espírito vai sempre estar intercedendo segundo a vontade de Deus e vai poder dar sinais de consolação da sua intercessão às pessoas que sofrem, às pessoas que têm ministérios e que precisam de um estímulo, como é lindo você receber um cartãozinho do intercessor não mandando um recadinho, mas dizendo: “eu estou orando por você, esteja firme, o Senhor te ama e te quer”. Coisas assim que digam, “meu irmão você não está só, eu como intercessor assumi o sacerdócio de Cristo, eu como intercessor me aniquilo por você, não intercedo só com palavras, eu intercedo com minha vida, com a minha penitência, com os carismas do Espírito Santo para o perdão dos pecados e para sustentar o seu Ministério”.

Em Hebreus 5,2 que diz que o sacerdote sabe compadecer-se dos que estão na ignorância e no erro, porque também ele está cercado de fraqueza, por isso ele deve oferecer sacrifícios tanto pelos próprios pecados quanto pelos pecados do povo. É muito lindo, mas o mais importante é isto, ninguém se aproxima desta honra senão aquele que é chamado por Deus como Aarão. Então vamos aos pouquinhos, o intercessor, o sacerdote, aquele que participa do sacerdócio comum pela graça do batismo, aquele que é sacerdote com Cristo, aquele que tem o sacerdócio régio pela graça do batismo, aqueles que pela graça sacerdotal do batismo pedem a Deus constantemente com sua vida e com a graça atual para que os seus irmãos cresçam para Deus, para que a Igreja de Jesus se expanda no mundo inteiro, para que os outros ministérios ajam com poder e com eficácia.

Esse intercessor tem como características aquela compaixão da qual nós já falamos, ele sabe compadecer-se dos que estão na ignorância e no erro, São Paulo nos diz aqui ou quem quer que tenha escrito a carta aos Hebreus, ele não diz que se compadecem dos que estão sofrendo e chorando, ele diz que se compadecem dos que estão na ignorância e no erro, porque eles também estão cercados de fraquezas. E aqui meu irmão entra algo muito importante na vida do intercessor que quer estar unido a Cristo. Você sabe muito bem que a graça do Batismo que lhe fez intercessor, essa graça justifica os seus pecados, caso você seja adulto, retira de você o pecado original, caso você seja batizado na infância, porém como você continua vivendo na carne, como você está aqui nessa terra igual a mim, você ainda é sujeito a concupiscências, e o Catecismo da Igreja é muito claro quando fala do batismo, que essas concupiscências foram deixadas para que você possa batalhar por Deus, para que você possa vencer o mal, pra que você possa provar o seu amor a Deus. É muito linda sabedoria de Deus.

Deus nos dá a graça santificante no Batismo, Deus dá todas as graças atuais das quais necessitamos, e Deus quer deixar também para nós o mérito; claro, todo mérito vem de Jesus Cristo e eu não tenho como merecer nenhum caroço de feijão apodrecido, a não ser em Jesus Cristo. Mas Deus quer ver o mérito da nossa vontade incorporada a Cristo, advinda de Cristo, consentindo somente em Cristo, mas Deus quer deixar para nós a chance de nós provarmos o nosso amor a Ele resistindo a concupiscência do poder, do prazer e do possuir, porque tudo o que o intercessor vence, é a vitória da Igreja inteira, tudo o que você como intercessor vence de pecado, de fraqueza, de imperfeição, quando você como intercessor, como batizado, quando você vence, eu também venço. Uma meninazinha lá no Japão também vence, um lá na Indonésia também vence, outro lá no Alasca também vence.

Como intercessor você une-se a Cristo intercessor no ministério da sua Igreja e cada vez que você prova o seu amor a Jesus vencendo a concupiscência do poder, do prazer e do possuir, cada vez que você vence por amor a Jesus, provando o seu amor a Jesus, inserido em Jesus intercessor, configurado a Cristo, mais poder ter a sua intercessão, porque mais santo você fica. Escute meu irmão, não é verdade essa história de dizer: Ah! Tanto faz ser santo como um pecador, a intercessão tem o mesmo valor. Desculpe-me, isso não é catolicismo.

A Igreja Católica acredita que pelo batismo foi nos dada a graça santificante, porém foram deixadas as concupiscências para que ao vence-las nós provássemos o nosso amor a Deus e nos tornássemos mais santos, quanto mais você é vitorioso sobre o pecado, quanto mais você combate na sua vida, a sede de ser amado e de ser apreciado ou de possuir isto ou aquilo, de ter este ou aquele prazer como a gula, o sexo, a vontade de aparecer, a vontade de vestir-se muito bem, de ter uma vida muito boa, muito confortável, com muito dinheiro, muita “paz”, quanto mais você vence essas idéias falsas na sua vida, mais você diz: Jesus, eu te amo, eu te amo, eu te amo e corresponde a graça do batismo com a sua vontade dizendo: eu não quero o pecado, eu quero Jesus; quanto mais você se torna assim parecido com Jesus, quanto mais pela vitória sobre o pecado, você se configura a Cristo e se torna mais um com Ele, mais a sua vida tem poder de intercessão, mais sua oração tem poder, quanto mais santo você é mais sua oração tem poder diante de Deus. Essa é uma verdade na qual a Igreja Católica crê, chama-se mérito.

A graça do Batismo você responde com a sua vontade e responde com o seu mérito aderindo a Jesus Cristo, e mais Jesus vai fazer você viver a graça do seu Batismo, e mais o Senhor vai partilhar da Sua natureza divina com você através dos sacramentos lhe dando a graça sacramental, através de você lhe dá o que seus irmãos precisam naquele momento para ser mais santos. Uma graça atual só tem sentido se leva uma pessoa a ser mais santo. Deus só vai lhe dar uma graça de cura, Deus só vai lhe dar uma graça de arrependimento se isso lhe levar a ser mais santo, Deus só vai lhe dar a graça de ter essa ou aquela questão resolvida, de ter esse ou aquele problema solucionado se isso for contribuir para sua santidade. Quanto mais você intercessor, vive essa perspectiva mais você está configurado a Cristo que só queria fazer a vontade do Pai e mais a sua intercessão vai ter poder, por isso é preciso que o intercessor peça a Deus que lhe tire toda a cegueira espiritual, para que, como diz em Hebreus, você saiba que está cercado de fraquezas.

É uma grande graça conhecermos os nossos pecados, é uma grande graça que você intercessor, e eu digo: mais que graça, é uma grande necessidade que você intercessor, peça a Deus que tire toda essa cegueira espiritual, que lhe dê uma consciência muito refinada, muito clara, muito rigorosa no sentido de detalhes do próprio pecado; é preciso que você intercessor, esteja cercado de fraquezas e então você vai poder oferecer sacrifícios a Deus pelos seus próprios pecados e pelos pecados do povo e você vai poder compadecer-se dos que estão na ignorância e no erro porque você também é fraco. O intercessor orgulhoso, altivo, cheio de si, não é um intercessor com Jesus; o intercessor que acha não ter pecado é um pobre pecador, então para que você intercessor, possa se compadecer dos que vivem na ignorância e no erro, no erro que é não conhecer Jesus, para que você intercessor possa oferecer sacrifício da sua vida pelo seu próprio pecado e pelo pecado do povo que não conhece Jesus, você deve pedir a Deus no seu aniquilamento, que pela penitência, você deve pedir a Deus o aniquilamento pelo conhecimento do seu próprio pecado, da sua própria fraqueza. Talvez a maior das penitências seja essa constante consciência do seu nada e da misericórdia de Deus que aumenta quanto mais você sabe que não é nada.

Santa Teresa de Jesus falava sempre, que seu maior sofrimento era ver que ela não era nada, que ela era pecadora, fraca, infiel, e que era cheia de imperfeições, fraquezas e pecados, e quanto mais ela via esse seu pecado, mas Deus derramava sobre ela a sua misericórdia. Esse era um sofrimento gozoso porque ela sofria pelo seu pecado, mas se alegrava com a misericórdia de Deus. Isso é essencial para um intercessor, como diz em Hebreus, se o intercessor não tiver esse sofrimento ele não vai ter como se compadecer com a fraqueza do povo, e vocês devem se lembrar de Jesus que chorou olhando para Jerusalém, chorou porque Ele iria ser morto, Ele sabia que apesar de Jerusalém acolhê-Lo com palmas, Jerusalém havia de fazer com Ele a maior das traições.

Comunidade Católica Shalom


Comentários

Aviso: Os comentários são de responsabilidade dos autores e não representam a opinião da Comunidade Shalom. É proibido inserir comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem os direitos dos outros. Os editores podem retirar sem aviso prévio os comentários que não cumprirem os critérios estabelecidos neste aviso ou que estejam fora do tema.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *