Formação

Como meditar os Mistérios Gloriosos?

A contemplação do rosto de Cristo não pode se restringir à sua imagem de Cristo Crucificado. Ele é o Ressuscitado!

comshalom

Os mistérios gloriosos comemoram os triunfos do Cristo sobre o poder das trevas. A glória de Deus (kãbhôdh ou doxa) significa dignidade, honra, vitória, proteção, reputação, esplendor.

1º Mistério – A Ressurreição de Jesus ao terceiro dia após sua morte de cruz.

ELE RESSUCITOU COMO HAVIA PROMETIDO!

Numa certa ocasião, pude presenciar um momento onde uma Senhora recebia do marido e filhos, o resultado de um laudo de perícia medica. Esse laudo mostrava, que ela depois de um longo e doloroso tratamento, estava curada do câncer. O marido entre soluços, dizia repetidas vezes a esposa: “Você está curada meu amor! Você está curada!” Ela, o esposo e os filhos se abraçavam, se beijavam e choravam. A felicidade causada por uma boa notícia, é proporcional ao tamanho da expectativa que se tinha pelo bem esperado. Quando olhamos nos evangelhos, cenas de momentos vividos pela Virgem Maria com o amado Filho Jesus, podemos intuir ainda que de muito longe o tamanho da sua dor. Sua tortura, morte e sepultamento de modo tão humilhante. Durante esses quarenta dias tão dolorosos, quantas vezes esse coração materno, não foi visitado por cenas da infância desse Ser que se tornou carne da sua carne? A saudação do anjo: “Não temas, Maria, pois encontraste graça diante de Deus. ” (Lc: 1,30)

O belo é que o evangelista em toda a narrativa bíblica, relacionada às cenas da paixão e morte de Jesus, faz questão de evidenciar um detalhe: “Estava em pé, junto, cruz de Jesus, sua mãe...” (João: 19,25)

Só uma coisa seria capaz de fazer, uma mãe amorosa, permanecer de pé, diante de uma cena tão dolorosa ocasionada ao fruto de suas entranhas, um amor e confiança incondicional em Deus. A fé e o amor a Deus, nos faz ficar de pé, mesmo nas grandes e humilhantes provas da vida.

Os evangelhos canônicos relatam as aparições de Jesus ressuscitado a Maria Madalena, aos onze discípulos, aos dois discípulos de Emaús, a Tomé e a Pedro e outros, no mar de Tiberíades. Entretanto, nenhum evangelista faz qualquer menção a alguma aparição de Jesus à sua Mãe. Porque será? Penso, que Maria não precisava de nenhum sinal dessa natureza. Sinais é para quem está vacilante na fé e na confiança em Deus.

A oração atenta e meditativa desse mistério do santo Rosário, deve criar um espaço oportuno em nosso coração, para que recebamos o transformador choque na ressurreição. “Ele ressuscitou, como havia dito! ” Estas palavras do anjo a “Maria Madalena”, ao amanhecer do primeiro dia, deve ser hoje, também, um brado de alerta e de esperança para nós. Posso sofrer, chorar, me entristecer, mas a alegria renascerá.

2º Mistério – A Ascenção de Jesus aos céus

UMA VIDA DE LOUVOR CONSTANTE, NOS LABIOS E CORAÇÃO.

Às vezes fico pensando e analisando os vários impactos emocionais na cabeça desses homens e mulheres fiéis a Jesus. Viviam sem esperança, oprimidos de um lado pela Lei judaica, de outro pela violência do Império Romano. Nesse contexto de espera e ansiedade Jesus se apresenta a eles como um Oceano de consolação e esperança. Esse amoroso Mestre, porém, é torturado e humilhado publicamente. Quando tudo parecia acabado, Ele ressuscita, mais uma vez a alegria e a esperança retorna aos corações.

Os entusiasmados discípulos, suspiraram e diziam: Que maravilha! O Mestre voltou, ainda mais poderoso do que antes! Quando pensavam que era o tempo da implantação definitiva do Reino de Deus, o mestre agora, os deixa novamente subindo aos céus e confiando a Eles uma missão aparentemente mais árdua do que até então. Leia:

“Então Jesus levou-os para fora, até perto de Betânia. Ali ergueu as mãos e abençoou-os. Enquanto os abençoava, afastou-se deles e foi levado para o céu. Eles o adoraram. Em seguida voltaram para Jerusalém, com grande alegria. E estavam sempre no Templo, bendizendo a Deus. (Lucas, 24.50-53)

O belo é ver que, apesar dessa aparente separação, eles estavam felizes e bendiziam a Deus. Nesse mistério, vamos juntos entre uma Ave Maria e outra, suplicar a Jesus, o Choque da Ressurreição. Que vivamos nossos dias, como esses corações, adorando com grande alegria, sempre na Igreja e em nossa família, bendizendo a Deus, na certeza de que Ele está conosco e cumprirá sempre suas promessas.

3º Mistério – A vinda do Espírito Santo sobre Maria e os apóstolos, em Pentecostes.

DEUS SEMPRE CUMPRE SUA PALAVRA.

Nesse mistério do Santo Rosário, somos motivados a contemplação do grande acontecimento, da vinda do Espírito Santo sobre os apóstolos. Falar do Espírito Santo é falar de uma Santa promessa de Deus. A simples pronúncia da palavra promessa, já pode gerar desconforto em alguns corações. Sobretudo daqueles que foram frustrados e decepcionados por promessas feitas por pais, amigos, cônjuges e não cumpridas.

Não conheci pessoalmente meu avô paterno, quando nasci ele já havia falecido. Os parentes porém que conviveram com ele, diziam que Ele era um homem sério, falava pouco e muito responsável. Ele dizia, às vezes, que haviam três coisas que se um homem viesse a perder ele poderia morrer. Que coisas eram essas? A fé, a vergonha e a palavra. Não quero entrar no mérito ou nos limites dessa afirmação do meu falecido avô, só queria porem enfatizar que já no tempo dele, ele repudiava algo que hoje nós chamamos de crise de palavra. Pessoas desonestas e mau-caráter sempre existiram, mas não sei se em algum momento da história tenha chegado ao índice que vemos hoje.

Vivemos um clima de pensamento e comportamento tão hostis à virtude, que há até quem sinta vergonha de ser honesto e honrado. Ter boa índole em alguns discursos equivale a ser trouxa. Tudo isso faz com que um clima de suspeita e desconfiança paire no ar.

Sabe o que é pior? Corremos um sério risco de projetarmos nossas suspeitas e desconfianças em Deus. Deus porém é fiel, sempre honra e cumpre suas promessas e constantemente faz mais do que prometeu. Nesse mistério do Santo Rosário, eu te convido a renovar sua confiança nas promessas de Deus. Entre essas várias promessas, há uma em particular que devemos abraçar nessa dezena do terço:

“Derramarei sobre vós uma água pura, e sereis purificados. Eu vos purificarei de todas as impurezas e de todos os ídolos. Eu vos darei um coração novo e porei um espírito novo dentro de vós. Arrancarei do vosso corpo o coração de pedra e vos darei um coração de carne; porei o meu espírito dentro de vós e farei com que sigais a minha lei e cuideis de observar os meus mandamentos. Habitareis no país que dei a vossos pais. Sereis o meu povo e eu serei o vosso Deus. ” (Ezequiel, 6,25-28)

Entre uma Ave Maria e outra, traga no seu coração essa certeza: “Deus é sempre fiel e honrará sua palavra”. Assim seja, Amém!

4º Mistério – Assunção de Nossa Senhora ao Céu

A MÃE FOI PARA JUNTO DO FILHO.

Quando meditamos e analisamos os aspectos teológicos desse princípio de fé, baseado na assunção de Maria ao céu, sem passar pela morte corporal, algumas perguntas podem surgir: “Se Jesus o Filho de Deus, a segunda pessoas da Santíssima Trindade morreu, porque a Virgem Maria, subiu ao céu de corpo e alma, sem passar pela morte?” Esse questionamento foi conteúdo de longas reflexões teólogos e de muitos santos, na história da Igreja. Os pastores da Igreja fizeram essa pergunta, discutiram e analisaram com muita seriedade. Foi então que com o auxílio da graça e estudos sérios das escrituras, foram encontrada as respostas. Existe uma diferença fundamental entre a morte de Jesus e a morte de um outro ser humano qualquer. “Não compreendeis que é de vosso interesse que um só homem morra pelo povo e não pereça a nação toda? ” (João 11,50).

Jesus na cruz, assume a culpa, os erros, os pecados de todos os homens, cometidos em todos os períodos da história, Ele morre no meu e no seu lugar. Mostra então com esse gesto, algo que foi a alma de tudo o que Ele se esforçou para nos ensinar:

“Este é o meu mandamento: amai-vos uns aos outros, assim como eu vos amei. Ninguém tem amor maior do que aquele que dá sua vida pelos amigos” (João 15,12-13).

A cruz que temos nas paredes de nossas casas, que trazemos no pescoço, ou no terço, deve ser um símbolo que nos lembre constantemente essa declaração profética de Isaias e cumprida de modo pleno em Jesus: “Mas ele foi ferido por causa das nossas transgressões, e moído por causa das nossas iniquidades; o castigo que nos traz a paz estava sobre ele, e pelas suas chagas fomos curados”. (Isaías 53-4,5)

Baseado então, nessas premissas teológicas tão sublimes, é que a Igreja acredita piamente que a Virgem Maria, escolhida de Deus, para a realização de uma missão tão particular, em favor do seu povo, não morreu, mas está no céu, coroada de gloria pela Majestade Divina. Termino ainda enfatizando um dado de fé: Lá no céu, ela está a realizar de modo mais pleno, algo que já fazia muito bem, quando estava neste mundo, intercedendo por nós.

5º Mistério – A Coroação de Nossa Senhora como Rainha do Céu e da Terra

UMA MULHER SAGRADA

A coroação é um ato realizado pelas monarquias de muitos povos. Esse objeto, feito com material nobre é o símbolo mais importante da realeza. Coroa representa poder, autoridade, liderança, legitimidade, imortalidade e humildade. A coroa em outras palavras é o sinal de que o seu portador é Herdeiro de heranças, nobrezas e honras. São Paulo, foi um dos que muito ansiaram por essa coroa, tanto que em um dos seus últimos discursos vai dizer:

“Quanto a mim, eu já estou para ser derramado em sacrifício; aproxima-se o momento de minha partida. Combati o bom combate, completei a corrida, guardei a fé. Agora está reservada para mim a coroa da justiça, que o Senhor, justo juiz, me dará naquele dia; e não somente a mim, mas também a todos que esperam com amor a sua manifestação gloriosa. (2Tm 4,6-8)

Essa coroa é o símbolo máximo daqueles, que honraram sua filiação Divina. O que a coroa de espinho oferecida e colocada pelos homens em Jesus, tinha de humilhante e desonrosa, a coroa oferecida pelo amor perfeito e misericordioso de Deus, a nós, seus filhos, tem de gloriosa. Ela é dada a todos os que viveram sua estadia neste mundo com sinceridade, fé e amor.

Com isso, quero ainda dizer que, depois de Jesus, ninguém nesse mundo viveu e se conformou de modo tão pleno à essa Divina vontade, a não ser Maria. Por isso, se tem alguém que é destinatária por excelência dessa profecia, proferida pelo apostolo Paulo, esse alguém é sem dúvida Maria, Santa Maria, Virgem escolhida de Deus, Rainha do céu e do nosso coração. Conclua sua leitura meditativa, desse último texto, do Santo Rosário, rezando comigo:

“Salve, Rainha, Mãe misericordiosa, vida, doçura e esperança nossa, salve! A vós bradamos os degredados filhos de Eva. A vós suspiramos, gemendo e chorando neste vale de lágrimas. Hei-a pois, advogada nossa, esses vossos olhos misericordiosos a nós volvei, e depois deste desterro mostrai-nos Jesus, bendito fruto de vosso ventre, ó clemente, ó piedosa, ó doce sempre Virgem Maria. Rogais por nós Santa Mãe de Deus. Para que sejamos dignos das promessas de Cristo. Amém.”

Veja também: 

Como meditar os Mistérios Gozosos 

Como meditar os Mistérios Luminosos

Como meditar os Mistérios Dolorosos


Comentários

Aviso: Os comentários são de responsabilidade dos autores e não representam a opinião da Comunidade Shalom. É proibido inserir comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem os direitos dos outros. Os editores podem retirar sem aviso prévio os comentários que não cumprirem os critérios estabelecidos neste aviso ou que estejam fora do tema.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *