Formação

Mensagem e crise

comshalom



Dom Walmor Oliveira de Azevedo

Acrise econômica é o assunto primeiro da pauta mundial. Em questão estáo sistema financeiro, analisado na busca de explicitação do processo desua saída dos parâmetros da regulagem, quanto na discussão dosprocedimentos para se conseguir sua salvação. Neste contexto alinguagem sofisticada da economia é domínio só de parte seleta dasociedade. O que se pode conhecer dos seus descompassos se alcança apartir dos efeitos sobre a vida quotidiana de cada um, particularmentedos mais pobres da terra. A linguagem da economia tem um vocabulárioque é verdadeiro maré magnum para a compreensão e explicação dasquestões Inclui vocábulos e expressões como hipotecas, desregulação dosmercados, colapso do sistema financeiro, autoridade monetáriainternacional, capitalismo, operações, lucros e tantos outros. Mas,inclui também o vocábulo credibilidade. Os entendidos no assunto sabembem a extensão semântica da referência credibilidade. Sua significaçãopermite desdobramentos ou trava avanços.

Naextensão da significação, pois, do que é credibilidade há umaincontestável referência à dimensão de valores. Credibilidade éreferência a valores. Valores configuram a credibilidade. Para além dosnúmeros e das quantidades, os valores que configuram a credibilidade sereferem a irrenunciáveis dimensões de caráter ético e moral. Naverdade, a credibilidade no sistema financeiro não é apenas uma questãode números. Se fosse, tudo poderia se resolver até mesmo, como é praxeem tantos procedimentos, com os números virtuais que, tantas vezes, tema propriedade de cobrir com ilusória maquiagem tantas feridas darealidade social e política. Esta credibilidade que pode devolver aosistema financeiro um equilíbrio, para não comprometer a justiça e adignidade humana, tem raízes, pois, na questão fundamental dos valoresque inspiram e formatam concepções, ideários sociais, políticos eeconômicos.

Estareferência a valores pode não ser admitida e percebida de maneira fácile natural, em razão das cristalizações que o sistema perverso instaladoem economias tem envolvido as mentes e os corações. Contudo, sabe-seque a força de influência e incidência nas instituições, que devem serrepensadas a partir do estouro de uma crise, deve-se ao que é tocado noâmbito dos valores. Os entendidos da área econômica sabem, também, aimportância dos valores na configuração dos entendimentos econômicos.Por isso, são perversos ou favoráveis à justiça. Quando sãocomprometidos os valores, compreende-se a inconsistência de propostas ea falta de solidez nos funcionamentos que trazem prejuízos para a vidado cidadão comum. A crise econômica mundial, portanto, não é apenas umacrise de dinheiro perdido, injetado, favorecido, emprestado. Esta criseé um terremoto tocando as esferas dos valores. Isto requer umacompreensão cuja lucidez precisa ser iluminada por valores ereferências quando se considera a mesa de discussão em vistas dasuperação da crise.

Éimportante encontrar saídas e soluções para que o equilíbrio permita osavanços nas conquistas sociais e no desenvolvimento global das nações eculturas. Neste contexto a Igreja Católica, na sua fidelidade à verdadeque é Jesus Cristo, levanta a voz e proclama sua palavra, acendendo umaluz neste momento crítico da crise econômica mundial. Sua voz vem, demodo especial, na Mensagem do Sínodo dos Bispos, ao concluir a sua XIIAssembléia Sinodal, em 26 de outubro de 2008. Uma Mensagem como sinalde esperança e de aposta, fruto do caminho percorrido sob a presidênciado Santo Padre o Papa Bento XVI. Em foco está o seguimento de JesusCristo, fonte inesgotável da verdade que Ele é. Em quatro partes amensagem do Sínodo lança luzes para o caminho, a partir dasconsiderações que estão na raiz das questões. Há uma voz, a voz daPalavra, a revelação de Deus, que precisa ser escutada. Nesta primeiraparte, focaliza-se que “no princípio era o verbo, e o verbo era Deus.Tudo foi feito por meio dele e sem Ele nada do que existe foi feito.”(Jo 1,3)

Acriação, sublinha a mensagem, não nasceu de uma luta intra-divina, comoensinava a mitologia, mas de uma palavra que vence o nada e cria o ser.Esta palavra está na raiz da história humana. Esta palavra é a Palavrade Deus que se fez carne. É uma pessoa, Jesus Cristo, o Salvador. Suarevelação é o tesouro fonte deste entendimento da vida e de suaconfiguração nas medidas de seu verdadeiro sentido. Esta Palavra deDeus, fonte de toda credibilidade, por estar na raiz dando início evida, diz a segunda parte da mensagem, tem em Jesus Cristo o seu rostoconcreto e visível. O encontro com ele e sua escuta permitem asuperação dos fundamentalismos religiosos e sociais, políticos eeconômicos. Toda crise indica, pois, que é preciso beber em fonte maislimpa e verdadeira na busca do caminho novo para as instituições e paraa vida de todos.


Comentários

Aviso: Os comentários são de responsabilidade dos autores e não representam a opinião da Comunidade Shalom. É proibido inserir comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem os direitos dos outros. Os editores podem retirar sem aviso prévio os comentários que não cumprirem os critérios estabelecidos neste aviso ou que estejam fora do tema.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *