Formação

Mobilização Bíblica, Dez Passos

comshalom

 Dom Orlando Brandes

OSínodo sobre a Palavra de Deus realizado em Roma é uma ótima chancepara deslancharmos uma mobilização bíblica. Por sermos discípulosmissionários, precisamos mais de Bíblia que de projetos pastorais.Nosso povo deve ter acesso à Bíblia, formação bíblica, vivência bíblicapara que suscitemos um “catolicismo bíblico”. Eis os passos dessamobilização:

1. Ter a Bíblia.Para a maioria do povo, a Bíblia é cara. A paróquia e a diocese podemfazer campanhas para o povo ter acesso à Palavra de Deus. Há casas ondenão há Bíblia, noutras ela é um enfeite, aliás, bastante caro. Ter aBíblia nas mãos é uma boa propaganda da Palavra. Para o povo simples epobre a Bíblia é muito cara. Vamos popularizar a Bíblia com preçoacessível ao povo.

2. Saber abrir a Bíblia.O mundo da Bíblia é complexo. Como aprendemos a abrir a TV, o celular,o computador, cada paróquia, pastoral e movimento deve ensinar aspessoas a abrir o Livro Sagrado. Não ignoremos as Escrituras. Basta deanalfabetos bíblicos.

3. Saber interpretar.A Bíblia não é um livro fácil. É perigoso cada um fazer suainterpretação pessoal. Não podemos nos fixar ao pé da letra. Isso sechama fundamentalismo. Daí a necessidade de escolas bíblicas. Ouvir ecompreender, ler e compreender, eis o que produz fruto.

4. Rezar com a Bíblia.É a Leitura Orante da Bíblia. Ler, meditar, rezar, contemplar. Esta é aporta de entrada para um entusiasmo bíblico e a conseqüentetransformação da vida e da realidade. A meditação da Palavra deve serdiária e não menos de meia hora.

5. Estudar as Escrituras.São as escolas bíblicas, cursos, leituras para que a Palavra sejaentendida e nunca falsificada. É perigoso ler a Bíblia sem saberinterpretar, ler fora do contexto e desligados da Igreja.

6. Formar grupos bíblicos.Conhecemos os grupos bíblicos de reflexão, os círculos bíblicos eoutros grupos que se alimentam da Palavra. Nestes grupos acontece oensino bíblico e a vivência da mensagem. Vamos proliferar grupos bíblicos para que o povo sacie a fome da Palavra.

7. Bons microfones, bons leitores, e bons anunciadores.A Palavra deve ser bem ouvida para produzir o efeito esperado.Precisamos ter todo cuidado com o som, a proclamação e o anúncio daPalavra. Ela não pode cair por terra. A Palavra deve atrair, comover,converter. Haja o ministério que prepara os leitores porque onde se lêa Palavra, ali Deus está falando.

8. Dar primado à Palavra.A Bíblia deve vir antes do catecismo e de outros livros. Nossacatequese deve ser dada com a Bíblia. A Palavra é alma da missão, daliturgia, da teologia. Nada antepor à Palavra de Deus que é Jesus. Oprimado da Palavra irá realizar a primavera da Igreja porque dará gostoà celebração dos sacramentos e vigor à ação evangelizadora.

9. Ter ministros da celebração da Palavra bem preparados.A celebração da Palavra deve enfocar a Palavra, a homilia, a partilhabíblica. Não transformá-la numa “quase missa”. Os ministros da Palavra,os sacerdotes, religiosos e religiosas, leigos e leigas devem estar nasrádios, jornais, esquinas de rua, casas e templos, divulgando asSagradas Escrituras. Chegou a hora do “mutirão bíblico”, de umamobilização bíblica.

10. Transformar o catolicismo devocional e sacramentalizador em “catolicismo bíblico”.A V Conferência propõe uma “pastoral bíblica” Precisamos ir além destaproposta e vislumbrar um horizonte ainda maior que o catolicismobíblico, porque a Palavra é criadora, eficaz, regeneradora.  Éhora de formar nos católico um “coração bíblico”, um apego efamiliaridade com a Bíblia para que a Igreja renove suas forçasmissionárias. A Palavra de Deus, mais precisamente a Bíblia, deve estarna mão de cada criança, de cada jovem, de cada casal, cada cristão. Nãopodemos ser analfabetos bíblicos, nem tornar rotineira a Palavra viva,fecunda e eficaz. Só podemos ser discípulos com a Bíblia na mão, nocoração e pés na missão. A Igreja será atraente e convincente a partirde uma renovação bíblica, eis que chegou a hora da mobilização bíblicanacional.


Comentários

Aviso: Os comentários são de responsabilidade dos autores e não representam a opinião da Comunidade Shalom. É proibido inserir comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem os direitos dos outros. Os editores podem retirar sem aviso prévio os comentários que não cumprirem os critérios estabelecidos neste aviso ou que estejam fora do tema.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *