Formação

Morte de seres humanos inocentes: o aborto

comshalom

Roger Pereira Valim
Médico pediatra e neonatologista
Missionário da Com. Católica Shalom

O aborto tem assumido lugar de destaque nas discussõeslegais e políticas sobre o valor da vida humana. O que veremos é que muitasvezes estas discussões seguem uma linha parcial, com cunho eminentementepassional, sem espaço para uma séria reflexão científica e racional, que agravidade do assunto exige.

O aborto espontâneo, ou seja, a perda não provocada de umfilho na gravidez é uma fatalidade que a medicina empenha-se por evitar.Aquelas famílias que já passaram por isto sabem a dor da morte daquelepequenino ser humano.

Diferentemente o aborto provocado ou induzido é intencionale consiste na retirada do filho do útero materno com a intenção de matá-lo. Ostermos como “eliminação do embrião”, ou “interrupção da gravidez” sãoexpressões que não revelam claramente o fato acontecido: a morte intencional deum ser humano inocente e indefeso.

Podemos então nos perguntar: Será que existe algumajustificativa plausível para esta terrível prática? Numa sociedade que se dizcivilizada como explicar a condenação à morte de um ser humano sabidamenteinocente e sem direito de defesa? Quem pode se proclamar com o direito de matarum ser humano inocente?

Embora a vida do pequeno ser humano esteja em grave risco,nas discussões o que menos se fala é dela e do seu valor inestimável. Adiscussão parece girar em torno da destruição ou não de um objeto, uma coisa,enquanto a verdadeira pauta é: mata-se ou não um ser humano. Para se aprovar oaborto, tenta-se, a muito custo, fazer com que a sociedade não enxergue aqueleser humano vivo dentro do útero. Tenta-se suprimir toda beleza das imagens esons fetais. Tenta-se emudecer ou distorcer o conhecimento científico sobre oinício da vida.

Cada ser humano, pelo simples fato de existir, já deve serintegralmente respeitado. A nossa dignidade é intrínseca. Isto nos garante que,independente do que fazemos ou tenhamos, de estarmos sadios ou doentes,conscientes ou em coma, de sermos analfabetos ou doutores, de estarmos na faseembrionária ou adulta, continuaremos sempre sendo pessoas dignas de respeito econsideração. As coisas é que são valorizadas e classificadas pela utilidade.Discriminar um ser humano e diminuir sua dignidade, com quaisquer basesbiológicas, fisiológicas, econômicas, culturais é algo inaceitável.

Estes valores devem ser considerados como “pétreos” daexistência humana. São verdades absolutas que protegem a vida humana.Configuram-se como pilares do genuíno progresso humano. O aborto intencionalnega estes valores e verdades. O aborto é um ato injusto e mal pois agride edestrói a vida humana inocente e indefesa, assim como o terrorismo, a pedofiliae a violência sexual.


Comentários

Aviso: Os comentários são de responsabilidade dos autores e não representam a opinião da Comunidade Shalom. É proibido inserir comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem os direitos dos outros. Os editores podem retirar sem aviso prévio os comentários que não cumprirem os critérios estabelecidos neste aviso ou que estejam fora do tema.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *