Formação

Obediência à verdade

comshalom

04.11O tempo de criança deixa marcas indeléveis no fundo do coração. Por isso, esse tempo tem uma importância determinante na vida de cada pessoa. Não é um tempo qualquer. Este é o tempo do assentamento daquelas matrizes que sustentam o futuro e alimentam as condutas que mudam histórias e mantém a vida sob o tônus da verdade. Tudo o que se ouve tem valor e ecoa lá no fundo da alma, deixando marcas e direcionando os rumos. O que se vê marca ainda mais. Particularmente, condutas e posturas diante dos outros e nas diferentes circunstâncias da vida. A conduta dos adultos sinaliza e tem força de poder sobre as escolhas que brotam no coração dos que vão se fazendo cidadãos, adultos. Não é por acaso que aqui e ali se ouve de alguém algum testemunho, muitas vezes saudoso ou com uma ponta de santo orgulho, a respeito de tempos idos, de lições aprendidas e de admiração a pessoas que marcaram vidas e épocas, na sociedade, na Igreja e na família. Existem admiráveis testemunhos que marcaram e inspiram a vida de tantas pessoas. Em especial, merece referência e apreço a conduta daqueles que hospedam, com naturalidade, e como opção fundamental, o gosto e o esforço da obediência à verdade. Estas referências têm grande força inspiradora no coração da criança, depois adulto. Os raciocínios e as escolhas, no entanto, nem ainda são emoldurados por um alcance adequado da maturidade afetiva e psicológica própria deste tempo da vida.

Entre tantos exemplos que comprovam esta reflexão está aquele do jovem, muito menino, respondendo ao desafio de observações a respeito de sua escolha vocacional. Interpelado como alguém não competente, por razões diversas, para a missão a que se propunha, não hesita em dizer que em lugar daquela escolha proposta, na impossibilidade, satisfeito ficaria na vida por um jeito de ser, viver e trabalhar que lhe bastaria ser igual ao pai. A semelhança pretendida em relação ao pai nada tinha a ver com riquezas ou poderes conquistados pelo pai, nem mesmo com a profissão. Aliás, o pai era pobre, ganhando apenas o extremamente necessário para viver e sustentar a família. O anelo de ser como o pai não vinha de uma sua consideração enquanto detentor de títulos ou ocupante de lugares de poder na sociedade. A escolha do filho pelo caminho trilhado pelo pai tinha a ver tão somente com o que ele tinha crescido ouvindo a respeito daquele homem admirável. Um homem honesto. Uma honestidade incontestável, sem deslizes. Esta constatação era um coro só a respeito daquele homem que era seu pai. Sem o domínio de grandes elucubrações racionais, o menino que ia se tornando grande compreendera que o valor maior de tudo, em qualquer opção fundamental de vida, é a obediência à verdade. Isto é, a honestidade. Uma honestidade que se traduz no sentido e o alcance da fidelidade aos outros, enquanto obediência à verdade. Curiosamente, foi esta a única herança deixada por este amado pai. Nenhuma outra herança vale tanto quanto esta. Esta é a única herança que não se corrompe. Esta convicção ficara no coração do filho no acompanhamento e na consideração da conduta do próprio pai. Esta força de persuasão nasce do acompanhamento diário do jeito de ser do próprio pai. Há como princípio a fidelidade aos princípios. É inadmissível transgredir. Inestimável se torna o valor da fidelidade. Não é a fidelidade às próprias conveniências ou àquelas grupais. Fidelidade não é simplesmente sinônimo de interesses. Fidelidade é obediência à verdade. Uma obediência que deve desmontar até dinâmicas culturais.

Há culturas que se gabam da propriedade de conseguir enganar aos outros e usar artimanhas de linguagem para se conseguir o que se quer, elegendo estes artifícios como legítimos na conquista e consecução dos seus objetivos. E na medida em que vão escasseando estes homens e mulheres de ilibada conduta, surge a demanda de saber da existência daqueles que primam pela fidelidade, numa conduta transparente e disponível na oferta de si. Pensa-se que fidelidade é adesão incondicional àquilo que defende ou perpetua os direitos e conquistas próprios e dos segmentos da sociedade aos quais se pertence. Fidelidade chega ao absurdo de ser sinônimo de conivência. Confunde-se fidelidade com atuações perversas e instintos diabólicos de destruição e fracasso. Estes que são assim influenciarão e inspirarão muitas crianças nas suas escolhas e na definição do modo de tratar a sociedade e as suas coisas.

O profeta Isaías advertia seus contemporâneos a respeito do risco de se abrir mão da verdadeira fidelidade como obediência à verdade. Ele lembrava que só ficaria longe da eterna chama ‘aquele que caminha na justiça, diz a verdade e não engana o semelhante; o que despreza um benefício extorquido e recusa um presente que suborna; o que fecha o seu ouvido à voz do crime e cerra os olhos para o mal não contemplar’. As consequências são boas para este que escolhe o caminho da obediência à verdade: “Esse morará sobre as alturas, e o seu refúgio há de ser a rocha firme; o seu pão não haverá de lhe faltar, e a água lhe será assegurada” (Is 33, 13-16).

Dom Walmor Oliveira de Azevedo

 Formação: Outubro/2009

04.11Em um mundo marcado pelos traumas e medos, onde as pessoas se sentem paralisadas e por isso muitas vezes deixam de viver normalmente, este livro surge como uma luz no fim do túnel, trazendo respostas à luz da Palavra de Deus para ajudá-las a superar os desafios hodiernos. Com uma linguagem muitos simples a Emmir Nogueira, traz relatos vivenciados ao logo da sua vida, onde testemunhou e ajudou pessoas a superarem os seus bloqueios e medos. Com certeza, você conhece alguém que vai precisar desse livro.

Adquira o seu [AQUI]


Comentários

Aviso: Os comentários são de responsabilidade dos autores e não representam a opinião da Comunidade Shalom. É proibido inserir comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem os direitos dos outros. Os editores podem retirar sem aviso prévio os comentários que não cumprirem os critérios estabelecidos neste aviso ou que estejam fora do tema.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *