Igreja

Papa Francisco: A guerra traz apenas morte e destruição

No final da oração do Angelus neste domingo, o Papa exortou a evitar “a sombra da inimizade”, referindo-se às tensões que estão atravessando várias regiões do mundo.

comshalom

O Papa Francisco exprimiu sua preocupação com o que está ocorrendo em algumas partes do mundo com a crescente tensão que se teme possa levar a uma escalada da violência. No final da oração mariana do angelus deste domingo, o Pontífice recordou que a guerra traz destruição e que é necessário trabalhar para favorecer o diálogo entre as partes.

“Em tantas partes do mundo se sente um terrível ar de tensão. A guerra traz apenas morte e destruição. Convido todas as partes a manterem acesa a chama do diálogo e do autocontrole e a evitarem a sombra da inimizade. Rezemos em silêncio para que o Senhor nos dê esta graça”.

A situação entre os EUA e o Irã

Ainda tensão entre os Estados Unidos e o Irã depois do assassinato, nos dias passados, do general iraniano Qassem Soleimani, num ataque dos EUA em Bagdá. O Alto Representante da União Europeia para os Negócios Estrangeiros e a Política de Segurança, Josep Borrell, interveio no assunto, expressando “profunda preocupação com o aumento dos confrontos no Iraque” e exortando à moderação para evitar uma nova escalada de violência. Borrell convidou o ministro das Relações Exteriores iraniano Mohammad Javad Zarif para ir a Bruxelas.

Entretanto, continuam as acusações recíprocas entre Washington e Teerã. O Irã pede a evacuação das bases militares dos EUA na região, prometendo vingança se isso não ocorrer e afirmando que já identificou 35 alvos a serem atingidos. Não seriam descartados ataques no Estreito de Hormuz, através do qual passa cerca de 20% do tráfego mundial de petróleo por mar. A ameaça foi imediatamente levada a sério por Londres, que dispôs escolta militar para os navios com a bandeira britânica.

Por sua vez, o presidente dos EUA, Trump, declarou que no caso de um ataque iraniano, os EUA estão prontos para a ação contra 52 locais importantes para a cultura iraniana, 52 como os reféns estadunidenses sequestrados por Teerã em 1979. No twitter, o ministro iraniano das Relações Exteriores, Zarif, escreveu que “atingir locais culturais seria um crime de guerra”.

Sako: relançar o diálogo, Iraque não seja atingido pela violência

Neste contexto, o Patriarca da Igreja católica caldeia, Louis Raphael Sako, fez um forte apelo: 

“Os iraquianos – disse -, ainda estão chocados com o que aconteceu na semana passada. Eles temem que o Iraque se torne um campo de batalha, em vez de ser uma nação soberana capaz de proteger seus cidadãos e suas riquezas. Em circunstâncias tão críticas e tensas, é sábio realizar um encontro em que todas as partes envolvidas se sentem em torno de uma mesa para um diálogo sensato e civilizado que poupará consequências inesperadas para o Iraque. Nós imploramos a Deus Todo-Poderoso – concluiu Sako -, que garanta ao Iraque e à região uma “vida normal, pacífica, estável e segura, à qual aspiramos”.

O tuíter de sábado do Papa: Não se obtém a paz se não se espera por ela

Francisco, em um tuíter publicado no sábado, havia invocado a paz: “Devemos acreditar que o outro tem a nossa mesma necessidade de paz. Não se obtém a paz se não se espera por ela. Peçamos ao Senhor o dom da paz!”.  Aos nossos microfones, dom Shlemon Warduni, bispo auxiliar de Bagdá, disse que uma nova guerra no Iraque seria terrível para a população e para a comunidade cristã. Quem pagam as consequências dos conflitos são sempre os mais fracos.


Comentários

Aviso: Os comentários são de responsabilidade dos autores e não representam a opinião da Comunidade Shalom. É proibido inserir comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem os direitos dos outros. Os editores podem retirar sem aviso prévio os comentários que não cumprirem os critérios estabelecidos neste aviso ou que estejam fora do tema.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *