Formação

Páscoa, passagem da velhice à juventude

comshalom

Tentemos agora assinalar algumas consequências práticas queesta visão bíblica do papel do Espírito Santo pode ter para nossa teologia e paranossa vida espiritual. Quanto às aplicações teológicas, recordo apenas uma: aparticipação dos cristãos no empenho pelo respeito e a salvaguarda da criação.Para o crente cristão, a ecologia não é apenas uma necessidade prática desobrevivência ou um problema apenas político e econômico, mas tem um fundamentoteológico. A criação é obra do Espírito Santo!

Paulo nos falou de uma criação que “geme e sofre dores departo”. A esta dor de parto, hoje se mescla uma dor de agonia e morte. Anatureza está submetida, uma vez mais “sem sua vontade”, a uma arrogância ecorrupção, diferentes daquelas de ordem espiritual que Paulo entendia, masderivadas da mesma fonte que é o pecado e o egoísmo do homem.

O texto paulino que estamos meditando poderia inspirar maisde uma consideração sobre o problema da ecologia: nós que recebemos asprimícias do espírito estamos apressando a “plena libertação do cosmo e suaparticipação na glória dos filhos de Deus”, ou a estamos atrasando, como osdemais?

Mas vamos à explicação mais pessoal. Dizemos que o homem éum microcosmo; a ele, portanto, como indivíduo, aplica-se tudo o que dissemosem geral do cosmo. O Espírito Santo é aquele que faz passar a cada um de nós docaos ao cosmo; da desordem, da confusão e da dispersão, à ordem, unidade ebeleza. Essa beleza que consiste em ser conformes à vontade de Deus e à imagemde Cristo, passando do homem velho ao homem novo.

Com uma referência veladamente autobiográfica, o apóstoloescrevia aos Coríntios: “É por isso que não desfalecemos. Ainda queexteriormente se desconjunte nosso homem exterior, nosso interior renova-se dedia para dia” (2 Cor 4, 16). A evolução do espírito não acontece paralelamenteà do corpo, mas em sentido contrário.

Nestes últimos dias, através dos três prêmios Oscarrecebidos e da celebridade do protagonista, falou muito do filme “O curiosocaso de Benjamin Button”, tomado de uma narrativa do escritor Francis Scott KeyFitzgerald.

É a história de um homem que nasce velho, com fortes traçosde um octogenário, e, crescendo, rejuvenesce, até morrer como uma verdadeiracriança. A história é naturalmente paradoxal, mas pode ter uma aplicaçãoverdadeira se se transfere ao plano espiritual. Nós nascemos como “homensvelhos” e devemos nos converter em “homens novos”. Toda a vida, não apenas aadolescência, é uma idade evolutiva”!

Segundo o Evangelho, criança não se nasce, mas se chega aser! Um Padre da Igreja, São Máximo de Turim, define a Páscoa como uma passagem“dos pecados à santidade, dos vícios à virtude, da velhice à juventude, que seentende não em idade, mas em simplicidade. Éramos de fato decadentes pelavelhice dos pecados, mas pela ressurreição de Cristo fomos renovados nainocência das crianças”.

A Quaresma é o tempo ideal para aplicar-se nesterejuvenescimento. Um prefácio deste tempo diz: “Tu estabeleceste para teusfilhos um tempo de renovação espiritual, para que se convertam a ti com todocoração e, livres dos fermentos do pecado, vivam as vicissitudes deste mundo,orientados sempre para os bens eternos”. Uma oração que remonta aoSacramentário Gelasiano do século VII e que ainda se usa na vigília pascal,proclama solenemente: “Que todo o mundo veja e reconheça que o que estádestruído se reconstrói, e tudo volta a sua integridade, por meio de Cristo,que é o princípio de todas as coisas”.

O Espírito Santo é a alma desta renovação e desterejuvenescimento. Comecemos nossos dias dizendo, com o primeiro verso do hinoem sua honra: “Veni, creator Spiritus”: Vem, Espírito criador, renova em minhavida o prodígio da primeira criação, sopra sobre o vazio as trevas e o caos domeu coração, e guia-me para a realização plena do “plano inteligente” de Deussobre minha vida.


Comentários

Aviso: Os comentários são de responsabilidade dos autores e não representam a opinião da Comunidade Shalom. É proibido inserir comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem os direitos dos outros. Os editores podem retirar sem aviso prévio os comentários que não cumprirem os critérios estabelecidos neste aviso ou que estejam fora do tema.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *