Formação

Por que não adoro Maria

comshalom

 

Vou dizer por que não adoro Maria, a mãe de Jesus; porque ela não é deusa! E…ponto final! Mas vou dizer por que a amo, respeito, louvo e venero. É porque não é todo dia que uma mulher dá à luz um filho como Jesus… Jesus é incomum e sua mãe também é.

E vou dizer por que, além de falar com Jesus, eu também falo com Maria; é que eu creio que Maria não está dormindo o sono da espera pelo último dia da humanidade; ela está no céu, santificada e elevada pelo seu Filho. Falo a cristãos porque ateus não admitem nem Deus nem estes dogmas. Budistas, judeus e muçulmanos também não. Eles têm outros dogmas de fé.

Como creio que o sangue de Jesus tem poder e que Jesus Cristo salva, o céu está repleto de santos, alguns dos quais nós, católicos, retratamos e lembramos em imagens para não esquecer deles. Como não há humanos perfeitos, eles tiveram seus limites, mas assim mesmo eram crentes e pregadores melhores do que nós.

Se Jesus salva a quem o segue, então é claro que a mãe dele está no céu porque Maria foi quem melhor o seguiu. Raciocinem comigo. Se Jesus ainda não levou nem a mãe dele para o céu, então Mateus exagerou; todo o poder não foi dado a ele… Se até agora ninguém entrou no céu, então a estação de baldeação onde ficam as almas à espera do último dia do planeta deve estar superlotada.

 Maria10

Intercessão

Por crer que o céu está repleto de humanos que Jesus salvou, é que peço intercessão dos salvos no céu e aceito também a dos que se proclamam salvos já nesta vida porque aceitaram Jesus. Se eles estão salvos, a mãe de Jesus está super-hiper-salva… É a razão pela qual peço a Maria que, lá no céu, ore por mim e comigo. Se padre e pastor podem interceder a Jesus por mim, então a mãe de Jesus pode mais. Ela é mais de Jesus que todos nós juntos. Se aceito os intercessores da terra, que diante das câmeras, de manhã e de noite, em emocionados programas de rádio e televisão, dizem de boca cheia que vão orar e oram pelos seus fiéis, então eu posso acreditar nos santos do céu que Jesus já salvou. Entre os salvos, escolhi Maria a mãe de Jesus para orar comigo e por mim e pelos que me pedem orações. Eu creio que ela está viva no céu. De Jesus, ela foi quem mais entendeu neste mundo, e imagino que continue a ser no céu a que mais sintoniza com Ele.

Como creio que Jesus não era um simples homem e que ele de fato era o Filho eterno que se encarnou não tenho como explicar isso a um judeu, um muçulmano ou um ateu. Mas para cristãos parece-me lógico explicar por que razão não adoro Maria e por que razão eu escolhi a intercessão desta humana acima de qualquer outro cristão.

Não acho que Deus espera pelo toque da última trombeta para levar seus filhos para perto Dele. Não esperaremos 10 ou 100 mil anos para entrar no céu. Jesus já disse que iria preparar-nos um lugar e que viria e levaria com Ele os que Ele resgatou. E penso que Maria foi o primeiro grande fruto da santidade de Jesus: santificou primeiro a mãe Dele.

Se eu disser que Jesus foi um simples profeta e que Ele não é o Cristo, nem tem poder algum, e que tudo foi empulhação dos primeiros cristãos, então terei que descartar Maria e situá-la no mesmo nível de qualquer mulher mãe. Mas, se eu aceitar que Ele é do céu e que houve um tremendo momento da humanidade no qual Deus se manifestou assumindo a natureza humana, então, seja eu católico ortodoxo, ou evangélico, ou pentecostal, terei que louvar e enaltecer a mãe Dele. Nunca houve mulher mais privilegiada do que ela. Pagou, com o filho o alto preço da redenção, porque mesmo sendo humana esteve lá, de Belém até a cruz, assumindo tudo com Ele, da mesma forma que hoje nós nos associamos às dores dos outros em nome Dele.

Vou dizer outra vez por que não adoro Maria. Eu só adoro a Deus e Maria não foi, não é, nem nunca será deusa. Mas vou dizer outra vez porque a coloco acima de todos os papas, bispos, padres e pastores do mundo. É que nenhum de nós conhece Jesus como Maria conheceu e conhece. A mãe Dele foi o primeiro fruto de sua ação no mundo.

Se você me vir falando com Maria, não com a imagem dela, é claro, porque sei a diferença, pode apostar que é porque acredito no poder de Jesus Cristo e na sua promessa e porque também acredito em intercessão. Tenho um trato com o céu. Eu falo direto com o Pai, usando o nome do Filho que aqui se chamou Jesus, ou falo com Jesus que está no seio da Trindade, ou falo com os santos que ele salvou. E entre eles prefiro Maria a quem todos os dias peço que ore comigo e por mim agora e na hora de nossa morte.

Se você é cristão então não terá dificuldade de entender esse assunto de orar uns pelos outros. Se não for e achar essa doutrina estapafúrdia, continue achando. Ateus e outras religiões também têm seus credos estranhos ou estapafúrdios. Em nome do nazismo e do comunismo ou da ditadura do proletariado ou de uma raça, não defenderam no século passado Marx, Lenin, Stalin, Che Guevara e Fidel e, os da direita, Hitler, apesar das mortes que causaram? Cada qual aceita seus dogmas e faz suas faz a suas escolhas. Não mataram em nome de Jesus e de Maomé? Eu proclamo que os que deram a vida e não mataram estão no céu… Meus dogmas aceitos são muito mais suaves.

Escolhi crer que Deus existe e esteve entre nós e ainda se manifesta. Respeito quem não crê em Deus ou crê, mas não crê como eu. Espero o mesmo respeito. Não sou tão tolo quanto pareço, nem os que duvidam são tão espertos e humanitários quanto parecem. Vivemos de apalpar o tempo e a eternidade, sem saber o que fazer com ambos. Então, cada um defina sua vida a partir do que acha que entendeu. E ponto final!

 

Padre José Fernandes de Oliveira, SCJ

Form 2011


Comentários

Aviso: Os comentários são de responsabilidade dos autores e não representam a opinião da Comunidade Shalom. É proibido inserir comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem os direitos dos outros. Os editores podem retirar sem aviso prévio os comentários que não cumprirem os critérios estabelecidos neste aviso ou que estejam fora do tema.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  1. Nós, católicos, acreditamos que Jesus é a base da infalibilidade da doutrina da Igreja. Porque Ele disse a Pedro, como líder dos apóstolos e base da Igreja, que tudo o que ele ligasse na terra seria ligado no céus e que tudo o que ele desligasse na terra seria desligado nos céus. Ora, Jesus não pode ligar nada de errado no céu. Logo, se tudo o que a Igreja, liderada por Pedro e pelos seus sucessores, ligar na terra deve ser ligado no céu, então Jesus impede que a Igreja ligue na terra coisas que não podem ser ligadas no céu. Ou seja, mesmo a Igreja sendo formada por pecadores, Jesus, por meio do Espírito Santo, não permite que os líderes da Igreja determinem aqui uma doutrina que é incompatível com o céu. Sem contar que Ele prometeu que ficaria com sua Igreja até o fim dos tempos e que as portas do inferno não a venceriam nunca, por mais que tentassem.

    E é por isso que, mesmo com 2 mil anos de história, onde muitos, de dentro e de fora da Igreja, tentaram derrubá-la, a Igreja permanece de pé e sua doutrina continua a mesma.

    Ah! Mas a Igreja se desviou – é o que acusam alguns. Muitos papas pecaram e houve muitos erros na história da Igreja – dizem.

    Sim e não. Sim – muitos membros da igreja se desviaram do reto caminho e cometeram diversas atrocidades em nome de Deus e da fé. Mas Jesus já havia advertido sobre essas pessoas:

    “Jesus disse também a seus discípulos: É impossível que não haja escândalos, mas ai daquele por quem eles vêm! Melhor lhe seria que se lhe atasse em volta do pescoço uma pedra de moinho e que fosse lançado ao mar, do que levar para o mal a um só destes pequeninos. Tomai cuidado de vós mesmos.” (Lucas 17, 1-2)

    Portanto, aqueles que dentro da Igreja desviaram-se da fé e causaram escândalos no mundo terão que se acertar com Deus. Mas qualquer que tenha sido o escândalo que causaram, essas pessoas nunca mudaram a doutrina da Igreja.

    Por isso, não – a igreja, enquanto instituição divina, nunca se desviou. Por que? Porque Jesus nunca deixou. Porque Ele cumpre o que fala e porque Ele é maior e mais forte do que todos os pecadores do mundo inteiro. Acreditar que a Igreja se desviou no meio do caminho é duvidar do poder de Jesus, é não acreditar que Ele fosse capaz de manter sua promessa, de manter sua Igreja na verdade apesar de todos os erros daqueles que pertenceram à Igreja em diversos períodos da História. Em outras palavras, é acreditar que o Corpo da Igreja, que são os homens, é mais poderoso que a Cabeça, que é Cristo…

    Por isso, permaneço sendo católica e confiando na doutrina da Igreja. Não porque creio que a Igreja é feita de santos, nem que porque acho que os homens que estão na Igreja são melhores que os outros. Mas porque creio que Jesus é mais do que tudo e do que todos, que Ele é a fonte e o alicerce de tudo e que, se Ele prometeu que a sua Igreja não seria vencida pelo Inferno, Ele está garantindo que isso aconteça. E Ele só deixará de fazer isso no dia de sua vinda definitiva. Enquanto isso não chega, portanto, podem os homens do mundo inteiro pecar. Eu confio em Jesus e em sua promessa. Eu permaneço na Igreja.

  2. Ou seja, o que os apóstolos escreveram nos livros dos Evangelhos (e nós sabemos como era difícil escrever naquela época) visava apenas falar do que eles achavam essencial sobre JESUS. Os Evangelhos não foram escritos para falar sobre detalhes da vida cristã, do relacionamento com Maria, dos parentes de Jesus ou qualquer coisa que não tivesse relação direta com a Missão de Jesus na terra. Por isso é que Maria só aparece neles quando são citados fatos e acontecimentos diretamente ligados a Jesus. Os detalhes e outras informações sobre a vida cristã e o comportamento da igreja primitiva não foram inclusos nestes textos porque, como disse o apóstolo, “nem o mundo inteiro poderia conter os livros que se deveriam escrever”.

    Essas informações eram passadas para as comunidades de outras formas, por meio de cartas (nem todas estão na Bíblia, até porque provavelmente muitas devem ter se perdido), escritas em outros registros ou por via oral, como nos atesta São Paulo:

    “E pelo anúncio do nosso Evangelho vos chamou para tomardes parte na glória de nosso Senhor Jesus Cristo. Assim, pois, irmãos, ficai firmes e conservai os ensinamentos que de nós aprendestes, seja por palavras, seja por carta nossa.”. (2 Tessalonicenses 2, 15).

    Por isso não se pode chegar a todas as respostas através unicamente da Bíblia. Muita coisa do que Jesus deixou foi transmitida inicialmente somente por meio da pregações dos apóstolos e vieram a ser escritas somente muito tempo depois, conforme a igreja foi se estabilizando e, sem terem mais que fugir das perseguições e martírios, os cristãos passaram a ter condições de redigir tudo aquilo que só vinham transmitindo oralmente.

    E é por isso também que nós católicos não abandonamos a doutrina da Igreja. Mesmo com todos os pecados que diversos membros da Igreja cometeram ao longo de seus 2 mil anos de existência, assim como aconteceu com Judas e vai continuar acontecendo até o final dos tempos, porque onde existir pessoas existe o risco de alguém pecar, nós nos firmamos na promessa que Jesus fez:

    “E eu te declaro: tu és Pedro, e sobre esta pedra edificarei a minha Igreja; as portas do inferno não prevalecerão contra ela. Eu te darei as chaves do Reino dos céus: tudo o que ligares na terra será ligado nos céus, e tudo o que desligares na terra será desligado nos céus.”. (Mateus 16, 18-19)

  3. E quem disse que a Bíblia contém toda a Verdade sobre Deus, sobre Jesus, sobre o Céu, sobre tudo? A Bíblia é apenas uma coleção de livros que foram escritos por homens de fé no intuito de facilitar a transmissão da fé. Mas ela não contém tudo quanto há para se saber sobre Deus e a fé. João deixou isso bem claro quando escreveu seu Evangelho:

    “Jesus fez ainda muitas outras coisas. Se fossem escritas uma por uma, penso que nem o mundo inteiro poderia conter os livros que se deveriam escrever.”. (João 21, 25.)

    Ora, e por que não aparece mais sobre Maria na Bíblia, ou sobre outros temas que geram controvérsias hoje em dia? João responde a isso claramente também:

    “Jesus fez diante dos discípulos muitos outros milagres que não estão escritos neste livro. Mas estes foram escritos, para que creiais que Jesus é o Cristo, o Filho de Deus, e para que, crendo, tenhais a vida em seu nome.”. (João 20, 30-31).

  4. Ou seja, será que durante todo esse tempo, Deus está sozinho no céu, sendo Deus de mortos? O ser humano peca quando quer saber e poder mais do que Deus. Jesus deixou bem claro: “Errais, não conhecendo […] o poder de Deus”. O que é o ser humano? O que Ele entende de Deus? Do que Deus quer e pode fazer? Deus tem poder para levar os seus com Ele em espírito, independentemente do corpo, que só será ressuscitado no final dos tempos, no julgamento final. E Ele é um Deus de amor, um Deus que criou a humanidade para estar com Ele. Por que razão havia então de deixar todos os que o serviram de forma honrada por todos esses séculos trancados em algum lugar, ao invés de leva-los para a sua presença? Nós é que vamos determinar o que Deus pode fazer, só porque “isso não aparece na Bíblia”?