Formação

Por que tenho um coração duro?

comshalom

Porque tenho um coração duro?
Essa é uma pergunta que pode ter varias resposta, dependendo de ponto de vista de cada um. Mas, acredito que a mais correta seria a falta de amor. Sem amor não sei perdoar, não sei amar, não sei respeitar o outro, não sei e nem tenho paciência de escutar o que Deus tem a me dizer, não aceito as diferenças dos outros, não aceito ser contrariado nem pela Igreja nem por ninguém.
A dureza do coração é a pior “doença” do ser humano, nos diz o Papa Francisco. O coração duro não aceita ser contrariado de suas ideias nem se submete a Deus, quer ser maior que Deus, ele acha que não precisa rezar e escutar a Deus para tomar uma decisão.
Por isso quem tem o coração duro, é mais fácil obedecer as leis humanas, do mundo, do que obedecer os ensinamentos de Deus. A pessoa que caminha na Igreja ou fora dela com o coração duro, ele ama mais o pecado que o próprio Deus.
Porque para uma pessoas assim, o pecado (as vezes até sem muita consciência do que está fazendo, mas como se fosse uma grande vantagem para o seu ego), é a melhor opção, para estas pessoas, os ensinamentos de Deus é perca de tempo, grupo de oração, Igreja, vida de oração é tudo perca de tempo.
Em vários momentos da vida de Jesus, Ele fala sobre a dureza do coração do home. E é pela dureza do coração do homem que o pecado reina na vida das pessoas, que o mal entra e destrói a vida do homem. É por causa da dureza do coração do homem que Jesus é levado ao sofrimento e a morte de cruz.
Em um dos trechos do evangelho de São Marcos (Mc3,1-6), quando Jesus se coloca a faze o bem a um homem que sofria com uma deficiência na mão (tinha a mão seca). Ao tentar ajudar este homem, Jesus é questionado por um grupo dos fariseus, que Ele não podia fazer aquilo, porque era dia de sábado e aquele homem era um pecador e por isso tinha que continuara sofrer. É como se eles, fariseus que se diziam “religiosos”, assim como outros grupos, fossem santos e não fossem impuros, por isso não precisavam dos milagres de Jesus.
Porque antes da vinda de Jesus, o povo guardavam o sábado como o dia santo, o dia do Senhor, como Deus fez no livro do Gêneses. E eles não entendiam nem aceitavam reconhecer que Jesus era o filho Deus e tinha vindo para mudar tudo que o homem estava vivendo. Até se admiravam com o que Jesus fazia, mas não aceitavam todas as coisas que Ele, fazia e ensinava ao povo.
A vinda de Jesus quebra essa tradição vivida no antigo testamento tendo o sábado como o dia do Senhor, mas os fariseus e os outros religiosos da época não aceitavam mudar o dia do Senhor de sábado para o domingo. Por isso, Jesus é repudiado por eles ao tentar ajudar aquele homem.
Então Jesus pergunta aos fariseus: “É permitido fazer o bem ou o mal no sábado?” Mas eles se calavam. E voltando o olhar indignado sobre eles, e contristado com a dureza de seus corações, diz ao homem: “Estende tua mão!” Ele estendeu e foi curado. E saindo deli os fariseus e os horodianos começaram a tramar como haviam de prender Jesus.
Por isso é mais fácil uma criança que cresce sendo evangelizada, se tornar um adulto com um coração novo do que uma pessoa que nuca foi evangelizada. Quem conhece a Deus depois de adulto, a dificuldade é maior, as raízes do mundo já estão mais fortes em seu coração. Por isto se torna mais difícil, dar mais trabalho e leva mais tempo para Deus corta-las.
Mas, se você permitir, Ele cortar essas raízes e aos poucos vai quebrando essa pedra, Ele muda sua vida e te dar um coração novo. São Paulo é um grande exemplo de homem que tinha o coração duro, quando Deus chegou até ele, o mundo já estava na vida de Paulo. Porem Deus não desistiu de Paulo por causa das barreiras que ele colocava, mas no momento oportuno o Senhor chega a Paulo, com mansidão, com amor e misericórdia e faz Paulo reconhecer o seu erro, e que sem Deus ele não teria uma vida de santidade.
Quem muda a vida de Paulo, é o próprio Deus. A conversão de Paulo nos faz lembrar do ditado popular (água mole em pedra dura tanto bate até que fura), e essa água mole de tanto bater na pedra dura, ela rompe tudo aquilo que antes era impossível a este homem. Deus também deseja mudar sua vida, e romper com todas as pedras que ainda existe em seu caminho.
Por isso, Jesus não bate de uma só vez nesta pedra, para não quebra-la logo em pedaços, Ele vai desmanchando a pedra aos poucos. Como Ele mesmo diz, para que o nosso coração não se perturbe, porque Ele nunca tirou o olhar de nós.
Lembremo-nos, quando nós somos obedientes a Deus Ele faz grandes obras em nossa vida. Por tanto, para nós cristãos do novo testamento, a companhia de Maria em nossa vida espiritual é fundamental para ouvirmos à Jesus. O coração duro só amolece quando escuta a voz de Cristo, o salvador das almas.
Ele nos deixa um caminho a seguirmos, e neste caminho Jesus nos deixa Maria sua mãe as pés da cruz para caminhar conosco, nos ajudar a chegar a Ele, porque ela sabe o caminho certo para chegar ao seu filho, nosso Senhor Jesus Cristo.
No alto da cruz quando Jesus viu sua mãe e perto dela estava o discípulo que amava, disse à sua mãe: “Mulher, eis ai teu filho.” Depois disse ao seu discípulo: “ Eis ai tua mãe.” Depois disso o discípulo levou Maria para sua casa (João19,26-27). Por tanto, caminhar com Maria é a certeza de que nunca vamos nos perder de Jesus, além de ser um grande passo para uma mudança de coração.


Comentários

Aviso: Os comentários são de responsabilidade dos autores e não representam a opinião da Comunidade Shalom. É proibido inserir comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem os direitos dos outros. Os editores podem retirar sem aviso prévio os comentários que não cumprirem os critérios estabelecidos neste aviso ou que estejam fora do tema.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *