Formação

Provavelmente Deus não existe. Deixe de se preocupar!

comshalom

Dom Redovino Rizzardo

Pregandodiante do Papa Bento XVI e de uma multidão de fiéis na Basílica de SãoPedro no dia 10 de abril, Sexta-feira santa, Frei Raniero Cantalamessademonstrou que, diferentemente do que pensam os ateus e osmaterialistas, a fé em Deus não só não se opõe à felicidade do homem,mas a realiza e plenifica.

Em sua homilia, referindo-se às faixas que apareceram nos ônibus de algumas cidades européias – «Provavelmente Deus não existe. Deixe de se preocupar! Aproveite a vida!» –, ele afirmou: «Amensagem subliminar é que a fé em Deus impede de desfrutar a vida, éinimiga da alegria. Sem ela, existiria mais felicidade no mundo! Oelemento de maior preocupação desse slogan não é a premissa “Deus nãoexiste”, mais a conclusão: “Aproveite a vida!”».

O pregador lembrou que o conselho é lido também por pessoas que têm suas vidas amarguradas por toda a espécie de sofrimento: «Euprocuro imaginar a reação delas ao ler as palavras: “Provavelmente Deusnão existe: aproveite a vida!” Mas, de que forma e com que meios? Essa,porém, não é a única incoerência dessa idéia publicitária. “Deusprovavelmente não existe”: portanto, poderá existir! Não se podeexcluir totalmente a possibilidade. Mas, se Deus não existe, eu nãoperdi nada; se, pelo contrário, ele existe, você, amigo incrédulo, teráperdido tudo!».

OPe. Raniero julga que o slogan, ao invés de atingir os objetivos pelosquais foi difundido, acabou por se tornar uma propaganda a favor deDeus: «Devemos quase agradecer aos que lançaram a campanhapublicitária; ela serviu à causa de Deus mais do que muitos argumentosapologéticos. Mostrou a pobreza de suas razões e contribuiu paradespertar muitas consciências adormecidas. Deus é capaz de fazer deseus negadores mais obstinados os apóstolos mais apaixonados. Paulo é omaior exemplo disso».

Para o religioso, o verdadeiro inimigo da felicidade humana é o pecado, sob qualquer forma se apresente: «Opecado prende a criatura humana na mentira e na injustiça; condena opróprio cosmos material à vaidade e à corrupção, e é a causa última atémesmo dos males sociais que afligem a humanidade. Fazem-se análises semfim da atual crise econômica e de suas causas. Mas quem ousa meter omachado na raiz e falar do pecado? São Paulo define a avarezainsaciável como uma idolatria e vê na desenfreada ganância do dinheiroa raiz de todos os males. Temos coragem de afirmar que ele estáequivocado? Se tantas famílias perderam tudo e uma multidão deoperários ficaram sem trabalho, não foi pela sede insaciável de lucropor parte de alguns? A elite financeira e econômica mundial é fruto deuma locomotiva que avançava numa corrida desenfreada, sem pensar norestante do trem, que ficou parado à distancia, sobre os trilhos.Estávamos todos andando na contra-mão».

Quemacolhe a fé cristã, também recebe a chave que lhe permitirá desvendar osegredo para superar e transformar o mal e o sofrimento, como recordaFrei Raniero: «Cristo derrubou o muro de separação e reconciliou oshomens com Deus e entre si. Com sua morte, não somente venceu o pecado,mas também deu um sentido novo ao sofrimento, inclusive àquele que nãodepende do pecado de ninguém. Ele o transformou num instrumento desalvação, num caminho para a ressurreição e a vida».

Comsua morte e ressurreição, Cristo se ocultou em cada sofrimento,tornando-o semente de ressurreição para quem acolhe o amor que oEspírito Santo derrama nos corações que o procuram. Não é o sofrimentoque impede a felicidade, mas a busca do prazer pelo prazer, sem olharpara nenhuma outra consideração. Esta sede insaciável gera a depressãoe o vazio existencial quando não se coloca o amor acima dos própriosinteresses e das tendências naturais. Era o que São Paulo queria dizerao asseverar que «morria todos os dias» (1Cor 15,31) ao pecado, para também ressuscitar todos os dias a uma vida de realização e felicidade.

Porisso, se realmente quisessem ajudar os leitores e usurários a superaremseus problemas e a serem felizes, os ateus europeus deveriam fazer umapequena, mas fundamental, modificação nas faixas que colocaram nosônibus: «Deus existe. Lance nele suas preocupações! Aproveite a vida!»


Comentários

Aviso: Os comentários são de responsabilidade dos autores e não representam a opinião da Comunidade Shalom. É proibido inserir comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem os direitos dos outros. Os editores podem retirar sem aviso prévio os comentários que não cumprirem os critérios estabelecidos neste aviso ou que estejam fora do tema.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *