Formação

Que quer que eu te faça?

comshalom

UMdos quadros mais deliciosos do evangelho de Marcos é o de Bartimeu, maisconhecido como cego de Jericó. Uma cena comum, onde Jesus passava era sempreseguido por uma grande multidão; estava ele não entrando na cidade, massaindo…a sua fama já se tinha espalhado por tudo quanto é canto. Todosfalavam do mestre, do taumaturgo, “aquele que faz milagres, que cura”. Nãohavia outra conversa a não ser sobre Jesus. Até os mendigos, os cegos, sabiamda notícia de Jesus.

Haviaum mendigo que era cego, Bartimeu, sentado à beira do caminho. Mendigos e cegossempre estão à beira do caminho, onde passa muita gente, esperando obter algumaesmola e suplicando por amor de Deus. Bartimeu não é diferente. Ele está lá.Cego não vê, não pode saber quem estápassando, somente perguntando. Quando se conscientiza que é Jesus de Nazaré, não lhe resta senão uma coisa:GRITAR. Há momentos de quase desespero em nossa vida, por tantos problemas quepassamos, por dificuldades, noites escuras, abandono de todos, que nos sentimos“mendigos, cegos e sentados à beira da estrada”…na espera que passe Jesus deNazaré para gritar-lhe que precisamos dele, necessitamos de sua ajuda e de seuamor.

Quando estamos tomados pela dor Jesus é o únicoamigo que nunca nos abandona, mas ele quer que nós lhe gritemos pedindo ajuda.Mas o nosso grito de confiança e de amor escandaliza os que vêem em Jesussomente um líder e não o salvador. Por isso que Bartimeu chamando Jesus faz a sua profissão de fé:“Jesus, filho de Davi, tem piedade de mim!” Que significa “Jesus ama-me!” Este grito perturba os que não têm fé por isso omandam calar até com maus modos. Mas ele não desiste. Nunca devemos desistir deinvocar Jesus nas nossas dificuldades, mesmo quando nos mandam calar. O gritoda fé e da necessidade supera todos os medos.

O amor de Jesuspara os que o chamam é sempre maior dos que querem impedir-lhe de encontra-lo. Ele veio por nosso amor. Não importaquem o chama, pode ser “rei, santo, pecador, mendigo, cego, surdo…” Uma vezque o chamamos com amor e perseverança sem nos cansar ele nos manda chamar…Étão bonito o gesto de Jesus que manda chamar o cego Bartimeu. Nós nos sentimosferidos e felizes ao mesmo tempo pela mudança de atitude dos que estão perto docego e o repreendiam porque gritava, mas agora que o mestre o chama dizem-lhe:“coragem, levante-se, ele te chama!”

Sempreencontraremos alguém que nos nossos sofrimentos nos estimulará para que possamos corajosamente continuar a nossa oraçãoe pedido. Diante deste chamado de Jesus o evangelista nos apresenta uma transformação do mesmo cego: “jogou forao manto, deu um pulo e correu para Jesus.” Vale a pena tentar reviver esta cena de uma beleza rara, mística: ummendigo que joga fora o manto, um cego que corre…e se aproxima de Jesus.Ninguém pode parar a força do amor que nos dá coragem e olhos, pés, vontadede superar todas as limitações.

Quequer que te faça? A pergunta de Jesuspara o cego pode nos parecer até descabida, obvia, inútil e ofensiva. O queJesus poderia fazer para um cego? Mas Jesus quer ouvir dele mesmo, de Bartimeu, que assuma a sua verdadeira necessidade e peça o quemais deseja. O cego não diz que querescutar…estava escutando demais…Que eu corra, estava correndo, dandoprovavelmente cotoveladas em todos…Mas que eu veja. É a vista que necessita,sabe que a única coisa que ele precisa para ser feliz. E Jesus reconhecendo oseu pedido, cura-o para sempre. “Rabi, mestre, que eu veja!”

Estas palavraspossam se gravar na profundidade de nosso coração e que quando a noite chegar, não saibamosdesistir de buscar a luz. Ele o mestre, sempre nos chama e nos perguntará: quequer que te faça?

Pensebem o que hoje você mais necessita de Jesus. O que você gostaria que ele te fizesse? Ele te vai perguntar e te curar.


Comentários

Aviso: Os comentários são de responsabilidade dos autores e não representam a opinião da Comunidade Shalom. É proibido inserir comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem os direitos dos outros. Os editores podem retirar sem aviso prévio os comentários que não cumprirem os critérios estabelecidos neste aviso ou que estejam fora do tema.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *