Formação

Quem são os autores da bíblia?

comshalom

Está difundida na internet uma reportagem que revela osensacionalismo com que certos temas são abordados. No caso se trata daBíblia. Eis alguns tópicos do referido texto:
“Livros bíblicos podem ter autoria “falsa”, afirmam especialistas.[…] Escritores usavam nome de antigos profetas e apóstolos para selegitimar. […] Três Isaías, dois Zacarias? Dois Pedros, váriosPaulos?” É lógico que para as pessoas que não aprofundaram seus estudossobre a Sagrada Escritura tais afirmativas simplistas causam enormeconfusão. Todas as questões acima referidas já foram há muito temporespondidas pelos hermeneutas.

Nas Bíblias há no início de cada um doslivros amplas explicações. Cumpre, em primeiro lugar, observar que oAutor principal da Bíblia é Deus. Os escritores humanos foraminstrumentos inspirados pelo Ser Supremo. É de se notar que todos osoriginais da Bíblia desapareceram. Isto se deu por causa daprecariedade do material então utilizado. Como Deus não costumamultiplicar milagres, só restaram cópias. Como sói acontecer, oscopistas cometeram erros, pois apenas uma cadeia de prodígiosexcepcionais impediria os equívocos. Entretanto, a mensagem divina foitransmitida integralmente. A comparação dos diversos manuscritoscomprovam ter havido modificações acidentais que não deturparam nunca onúcleo básico da revelação.

A integridade do escrito foi preservada.Descobertas de traslados antigos levam também a esta conclusão.Diversos os motivos das falhas. Houve confusão dos caracteres entãoempregados os quais eram muito semelhantes entre si. No caso dohebraico, este não possuía vogais e a vocalização, que foi feita pelosrabinos, ditos massoretas, não é necessariamente a do original.Aditem-se a distração, a negligência e a ignorância de quem copiava.Note-se que há hoje cerca de quatro mil cópias manuscritas do NovoTestamento, sendo a maior parte incompleta. As mais antigas remontam aoséculo quarto. Os livros da Bíblia são atribuídos a determinadosautores humanos inspirados, mas sempre há uma explicação plausívelquanto tal autoria. Assim, por exemplo, no caso do Pentateuco, os cincoprimeiros livros são ditos de Moisés por que a personalidade de Moisésos marcou.

Foi ele o iniciador religioso do povo e seu primeirolegislador. Pouco importa que não se possa atribui-lhe com certeza aredação de nenhum dos textos do Pentateuco. Moisés, porém, é a figuracentral e tradição judaica tinha razão de chamar o Pentateuco de livroda Lei de Moisés. O mesmo se diga quanto aos Livros de Isaías,Zacarias, as Cartas de Pedro e de Paulo ou acerca de outros livros dasEscrituras. Cumpre um estudo sério sobre a questão e os biblistassempre foram claros em elucidar tudo. No caso de Isaías, por exemplo, aTeologia do Segundo Isaías, o Dêutero-Isaías (Is 40-55) fixa as idéiasdeste profeta atinentes ao processo criador e soteriológico e opensamento do Terceiro Isaías (Is 56-66) vinca a preocupação dainfidelidade como óbice à recepção da redenção divina. Todos estestextos estão diretamente ligados à pregação do notável profeta.

OTrito-Isaías deixa, portanto, advertências oportunas advindas do queele pregava. No caso se São Paulo, as treze cartas que trazem o nomedeste Apóstolo são geralmente atribuídas a ele, havendo controvérsiamaior quanto à autoria da epístola aos Hebreus. Quanto a esta, boaparte dos biblistas afirma tenha existido uma orientação paulinaindireta, pois foi o Apóstolo das Gentes quem a direcionou. SegundoDattler, são incontestavelmente da autoria de São Paulo: Romanos, 1 e 2Coríntios, Gálatas, Filipenses, 1 Tessalonicenses e Filêmon. Ballarinisubdivide nestes grupos as cartas paulinas: “as duas epístolas dosTessalonicenses ligadas entre si pela data de composição e a afinidadedo conteúdo, as quatro grandes cartas (1 e 2 Coríntios, Gálatas eRomanos), as quatro da prisão (Filipenses, Colossenses, Filêmon,Efésios), as Pastorais (1 e 2 Timóteo, Tito). E fora de qualquer grupose coloca a epístola aos Hebreus”. O mesmo se diga das Cartas de SãoPedro, nas quais se pinça a orientação clara deste apóstolo.

Como foidito há necessidade de um estudo criterioso da Bíblia e, em hipótesealguma, há falsidade ideológica. Adite-se que a Bíblia é uma revelaçãode Deus e, portanto, só tem valor para quem tem fé. A Bíblia relataexatíssimamente a mensagem divina e esta chegou até os dias de hoje emtoda sua prístina pureza, apesar das peripécias pelas quais passou aredação do texto que conhecemos


Comentários

Aviso: Os comentários são de responsabilidade dos autores e não representam a opinião da Comunidade Shalom. É proibido inserir comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem os direitos dos outros. Os editores podem retirar sem aviso prévio os comentários que não cumprirem os critérios estabelecidos neste aviso ou que estejam fora do tema.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *