Formação

Referências Éticas

comshalom

Dom Luiz Demétrio Valentini

ACampanha da Fraternidade deste ano toca numa questão nevrálgica dasociedade, mostrando sua gravidade e a urgência de ser enfrentada comeficácia. A violência coloca em xeque a civilização atual. Arecuperação da segurança pública é vista como indispensável para asociedade se livrar do sentimento de frustração e de fracasso de suasinstituições.

Ocrescimento da violência, na verdade, faz aumentar o clima deperplexidade, aumentando a desconfiança, e levando as pessoas adescrerem da possibilidade de uma sociedade baseada na justiça, nasolidariedade e na paz.

Estesentimento pessimista em relação à possibilidade de convivência humanaque seja marcada e conduzida por valores éticos, já foi expresso peloditado latino que mais enfatiza o pessimismo a respeito da humanidade:“homo homini lúpus”, “o homem é lobo do próprio homem.” Isto é, o homemtem dentro de si mesmo a tendência irrefreável à maldade para com seusemelhante.

Seassim for, está decretada a guerra permanente no seio da própriasociedade, com suas manifestações diversas de violência, que setornariam a comprovação da maldade intrínseca da pessoa humana.

Estavisão da realidade é feita, sim, em decorrer de fatos reiterados. Masestá desprovida do horizonte maior de esperança nos destinos dahumanidade. Esta esperança é comprovada pela lenta caminhadacivilizatória, que chegou à consolidação de sociedades baseadas norespeito a toda pessoa humana e construídas sobre os pilares dosdireitos humanos.

Estavisão fica reforçada pelas motivações religiosas, que enfatizam a açãode Deus em favor da humanidade, chamada a viver em comunhão fraterna,de paz e de justiça, com motivações positivas capazes de superar aviolência pela misericórdia e pelo amor ao próximo.

Asuperação da violência, e a recuperação da segurança pública, setornam, assim, o desafio central para consolidarmos a esperança numasociedade em que possamos viver em clima de paz, que nos permita ocultivo de valores humanos que dão sentido ao nosso viver.

Assim, a segurança pública se torna parâmetro da esperança nos destinos da humanidade.

Outroparâmetro muito sensível em nosso tempo nos é oferecido pelaconsciência ecológica, que nos desperta para a urgente tarefa deequilibrarmos nossa relação com a natureza, com quem partilhamos detantas maneiras as condições de nossa existência humana.

Orespeito pela natureza, e o respeito pela dignidade de toda pessoahumana, se constituem nas duas balizas éticas que possuem os apelosmais sensíveis para o ser humano de hoje.

Oempenho em verificar o quanto somos capazes de recuperar a segurançapública no ambiente em que vivemos, como nos propõe a Campanha daFraternidade deste ano, se transforma em caminho para fortalecer acrença nas possibilidades do ser humano harmonizar sua vida em sintoniacom a natureza e realizar sua vocação de comunhão fraterna, em sintoniacom seu destino transcendental.


Comentários

Aviso: Os comentários são de responsabilidade dos autores e não representam a opinião da Comunidade Shalom. É proibido inserir comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem os direitos dos outros. Os editores podem retirar sem aviso prévio os comentários que não cumprirem os critérios estabelecidos neste aviso ou que estejam fora do tema.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *