Formação

Uma partilha de coração, partilha de oração!

comshalom

<!– /* Style Definitions */ p.MsoNormal, li.MsoNormal, div.MsoNormal {mso-style-parent:""; margin:0cm; margin-bottom:.0001pt; mso-pagination:widow-orphan; font-size:12.0pt; font-family:"Times New Roman"; mso-fareast-font-family:"Times New Roman";}@page Section1 {size:595.3pt 841.9pt; margin:35.95pt 3.0cm 27.0pt 3.0cm; mso-header-margin:35.4pt; mso-footer-margin:35.4pt; mso-paper-source:0;}div.Section1 {page:Section1;}–>

Na leitura dos livros de Maria Emmir, Co-fundadora daComunidade Católica Shalom, quase sempre encontramos no início das leituras,ela dizer que se trata de "Uma partilha de coração, partilha deoração". É assim que ela define o que escreve, que se torna um grandepresente para todo o povo de Deus. Na verdade, uma partilha como fruto daoração tem maior força transformadora na vida daqueles que a acolhem. Todofruto da oração edifica no amor. Assim, não hesito em afirmar que parece Deusnos dizer o mesmo quando nos dá Sua Palavra cada novo dia: "Filho, não tedou um tratado, um compêndio, uma tese, um livro acadêmico, mas te dou umacarta de amor, que brota do meu coração sempre apaixonado por ti."

 

Certamente Deus age assim com todos aqueles que se aproximamdas Sagradas Escrituras com "simplicidade de coração" (Sb 1, 1).Importa para o Senhor que tenhamos com a Palavra um relacionamento de confiançae então compreenderemos a Verdade (cf. Sb 3, 9). Verdade contemplada e vividapor todos os Santos que, antes de serem inscritos entre os"bem-aventurados", o foram por causa da vivência do sagrado Batismo.Todas as graças nos foram dadas através dele, inclusive a de amarmos compiedade e devoção às Sagradas Escrituras, luz e salvação par as nossas vidas.No entanto, essa graça – como todas as outras – precisa se desenvolver em nóscom o indispensável auxílio do Espírito Santo e pelo exercício da virtude. Casocontrário, as Sagradas Escrituras serão sempre um fardo e um livroindecifrável, "incapaz de mover uma palha em nossas vidas".

 

Para que a Palavra de Deus se torne um "fogo a nosdevorar por dentro" (cf. Jr 20, 9), é preciso que desejemos conhecê-la evivê-la de todo o nosso coração. De forma profunda e "simples" nosfala Maria Emmir: "A Palavra é essencial na educação da fé e da vidaespiritual. A Palavra, o Verbo, é nossa salvação, é a Verdade que amamos edesejamos conhecer e viver. Sem a Palavra, não há como conhecer Jesus e avontade de Deus".[i] Como não lembrar da afirmação de São Jerônimo tãocitada pelo Magistério da Igreja: "Quem desconhece as Sagradas Escrituras,desconhece o próprio Cristo".[2]

 

Recordamos o que diz o Catecismo da Igreja Católica: "Ocristianismo não é uma religião do ‘Livro’, mas uma ‘religião da Palavra’, ‘nãode um verbo escrito e mudo, mas do Verbo encarnado e vivo’".[3]

 

Confesso ter minha grande admiração por aqueles queconseguem tornar as páginas das Escrituras tão vivas, tão emocionantes eencantadoras. Por isso minha alegria e gratidão por vê na Maria Emmir essagraça de Deus, esse carisma que tem tocado tantas pessoas, sem contar ainesgotável riqueza com que ela colabora na Comunidade Shalom, que a tem comoresponsável pela formação geral. Como não se admirar com a "exegesesimples e profunda" que ela faz dos textos bíblicos. Aqueles que aconhecem sabem que "ela não é" uma doutora, filósofa, teóloga, especialistaem Sagradas Escrituras, no entanto, o profundo amor à Palavra de Deus eao Magistério, amante da Lectio Divina e dócil ao Espírito Santo, Aquele quegera e renova o amor e a piedade às Sagradas Escrituras faz com que – com"simplicidade e reverência" – os seus ouvidos sejam"adestrados" para distinguir a voz de Deus.

 

Estão disponíveis para todas as pessoas os preciosos livrosde Maria Emmir que nos fazem ter um contato vivo, entusiasmante e transformadorcom as Sagradas Escrituras, tais como: Orando com o Cântico dos Cânticos, Fendada Rocha, Mulher que muito amou, Não tenhas medo, Ao amor da minha vida, Filhode Deus Menino Meu, O segredo da Madalena, Joaquim e sua padiola e, Fio deOuro, sem esquecer daquele que é em todo tempo, o livro mais adquirido, oEnchei-vos, um livro Kerigmático sobre as sagradas Escrituras, todo em forma deLectio Divina, uma obra prima ao nosso alcance.

 

Compreendo que esses frutos valiosos dizem respeito a umaexperiência apaixonante que precisamos ter com a Palavra de Deus. Não falo doaspecto "intelectual somente" que leva quase sempre ao"fundamentalismo", mas falo de uma relação de amor, como nos diz demaneira tão bela, Moysés Azevedo: É preciso que tenhamos um"relacionamento com a Palavra de Deus de forma que nos transfigure a Ele.É ainda indispensável para a via de santidade na qual somos chamados apercorrer. A Palavra de Deus não pode se tornar para nós algo de pouco valor,dado à tibieza, mas fonte que nos faz mergulhar na verdade e nacaridade".[4]

 

O Pe. Ranniero Cantalamessa parece, de forma fascinante, nosfazer compreender que, diante da Palavra de Deus, não podemos ficar"apenas" na leitura, no estudo, na especialização, mas temos quechegar à contemplação. Segundo ele, é necessário que vivamos a "LectioDivina", a experiência oracional com a Palavra de Deus que tomou forma como livro "A escada dos monges". Nele, o Bispo Guido II nos fala dosquatro passos fundamentais para a Lectio Divina: A Leitura, a Meditação, aOração e a Contemplação. "A leitura é como se colocasse a comida toda naboca, a meditação a mastigasse e a dissolvesse, a oração extraísse o sabor e acontemplação como a doçura que anima e refresca… Leitura sem meditação éfrouxa, meditação sem oração é infrutífera; oração quando está ardendo chega àcontemplação, mas para obtê-la sem oração seria raro, mesmo milagroso".[5]

 

Recordemos o que nos diz o evangelho: "Caminhaienquanto tendes a luz, para que as trevas não se apoderem de vós: pois quemcaminha nas trevas não sabe para onde vai" (Jo 12, 35). Aproximemo-nos comdesejo e simplicidade dessa carta de amor que é a Palavra de Deus. Enchemo-nosde gratidão à Maria Emmir por todos os textos bíblicos meditados e contempladose que se tornaram vida e salvação para milhares de pessoas. É vital a nossaamizade com as sagradas Escrituras onde podemos conhecer a Deus, nosso amigo ePai, conhecer o mistério da misericórdia revelado e a ação do Espírito Santo anos conduzir através da Divina Providência na nossa vida e história e, muitomais, renovar a nossa experiência de amor com Aquele que nos amou até o extremo(Jo 13, 1).

 

Reconheço com alegria que renovei em mim a experiência doamor de Deus ao ouvir Maria Emmir me dizer: "Deus vive em ti!". E pormeio dela o Senhor mesmo explica: "Aqui o verbo ‘viver’ é importantíssimo.Primeiro, porque o verbo indica ação e eu estou sendo amor, sempre sendo amor em ato. Segundo, porque’viver’ significa que não estou morto parado, não estou jamais inativo (…) Euvivo em você e meu maior desejo é que você viva em mim".[6]

 

É exatamente isso o que o contato com a Palavra de Deus –mediante a via da oração – gera em nós. Uma prece ecoa do meu coração: "Ah, Senhor, secompreendêssemos isso!" Se compreendêssemos que estão na tua Palavra todasas respostas de que precisamos para amarmos e sermos felizes. Tudo está na TuaPalavra, inclusive o nosso chamado a uma vocação, ao estado de vida, asprofecias, o desígnio de felicidade para nós, o que devo dizer ao meu esposo,como devo tratar cada situação. Também está ali na Palavra lida, meditada,orada e contemplada, a força para recomeçarmos quando a derrota ou a decepçãoos visitar, e está ali de forma tão forte o amor que nos faz contemplar Jesusvivo na Eucaristia – o outro banquete que completa o banquete da Palavra – e oamor à Igreja. "A Palavra de Deus tem a força de nos comunicar a Sabedoriae de nos conduzir à felicidade da vida eterna" (cf. 2Tm 3, 15-17). 

 

A Palavra de Deus não é um peso para nós, mas é um mel quedá sabor a nossa vida. Não podemos ficar sempre com desculpas baratas quandonos sentimos necessitados de ler a Palavra e rezar. Diante de um mundo cético ecom grave desorientação acerca da Verdade, mais do que nunca precisamos de umasadia leitura das Sagradas Escrituras à luz do Magistério da Igreja. Nãodesperdicemos tamanho tesouro ao nosso alcance. Recordo-me daqueles cristãosque, em situações desafiantes como os campos de extermínio, corriam riscos devida para esconderem em suas celas ou roupas o menor fragmento das SagradasEscrituras porque sabiam que era a Palavra de Deus quem podia sustentáculo aesperança e a fé em Deus, em si mesmo, na família e nos amigos. Compreendiamainda que o mais importante seja trazer a Verdade dentro de nós: "Omandamento do Senhor não é excessivo para ti, não está fora do teu alcance(…) Sim, a Palavra está bem perto de ti, está em tua boca e em teu coração,para que o ponhas em prática" (cf. Dt 30, 11-14). 

 

A nós que nos encontramos num novo tempo e desfrutandodessas conquistas, e tendo conosco o dom da Palavra de Deus, precisamos deixarque ela ocupe um lugar especial em nossas vidas. Precisamos de tempo para ler erefletir, tempo pra rezar com a voz de Deus porque é vital para nós. A Igrejaprecisa para tempos tão desafiantes como os nossos de testemunhas, de"pessoas que tenham ouvido, e visto e tocado do Verbo de Deus" (cf. IJo 1, 1). Se quisermos uma juventude feliz, namorados, famílias novas,sacerdotes novos e ungidos, se queremos um mundo novo, precisamos da força daPalavra de Deus adquirida mediante a ação do Espírito Santo pela via da oraçãoe da contemplação. Nesse sentido nos fala tão bem Maria Emmir: "Quando aPalavra de Deus salta e entra em nós tudo será novo. Somos visitados pelo Deusvivo todos os dias. Somos renovados pelo Espírito Santo. Somos curados em todasas áreas do nosso ser. Passamos a descobrir um mundo novo. Mais vasto, maisbelo, mais fascinante do que o que conhecíamos".[7] 

 

Talvez agora compreendamos melhor a expressão: "Umapartilha de coração, partilha de oração!" O que Maria Emmir escreve éfruto de quem conhece, ama e renova a experiência diária com o amor de Deusatravés da Palavra de Deus. Somos gratos Maria Emmir por suas tão preciosaspartilhas! Elas colocam sempre aqueles que as lêem e meditam, dentro da fenda docoração do Verbo da Vida. No mês de setembro não podia deixar de recordar ecelebrar o dom de Deus na sua vida que nos faz apaixonados, sedentos edesejosos de viver a Palavra de Deus. Que São Jerônimo interceda por todos nósespecialmente por aqueles que ainda não descobriram tamanha riqueza as SagradasEscrituras. Que a Santíssima Virgem Maria, Mulher da Palavra, interceda semprepor cada nova "Partilha da Palavra de Deus", assim seja. 

 

 

[i] Jussara Lima Dias. Alfa e Ômega, Introdução de MariaEmmir. Edições Shalom, 1999;

[2] Catecismo da Igreja Católica 133;

[3] Catecismo da Igreja Católica, 108;

[4] Moysés Azevedo, Fundador da Comunidade Católica Shalom.Escritos Shalom, Carta à Comunidade. Edições Shalom, pp. 106-107;

[5] Frei Ranniero Cantalamessa, O.F.M. O mistério da Palavrade Deus. Edições Shalom, 2001, pp.106-107;

[6] Maria Emmir. Cartas ao amor da minha vida. EdiçõesShalom, 10ª carta, p. 58;

[7] Cf. Maria Emmir. Papo Careta. Careta? Edições Shalom,2006, pp. 79-80.


Comentários

Aviso: Os comentários são de responsabilidade dos autores e não representam a opinião da Comunidade Shalom. É proibido inserir comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem os direitos dos outros. Os editores podem retirar sem aviso prévio os comentários que não cumprirem os critérios estabelecidos neste aviso ou que estejam fora do tema.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *