Formação

Ver Jesus

comshalom

Dom Eurico dos Santos Veloso

Háum relato no Evangelho de São Lucas (Lc.19,1-10) que nos diz de umcerto homem, rico e poderoso, que desejava ver Jesus. Chamava-se Zaqueue era de pequena estatura, mas, certamente, muito conhecido do povoporque, por sua riqueza, sabia como explorar os necessitados. Sabendoque Jesus iria passar por Jericó, onde morava, e que muita gente ocercava, subiu em uma árvore para poder realizar seu intento.

Desconheciao caminho da graça que o impelia àquele ato. Germinava em seu coração,como demonstrou a sua  alegria ao ouvir a voz de Jesus, muito mais quea curiosidade, o desejo de conhecer o Mestre, de o sentir.

Comoaqueles gregos que, no meio da multidão que aclamava o Filho de Davicom ramos e palmas, rogaram a  Filipe: “Queremos ver Jesus” (Jo 12,22). Ver, isto é conhecer, aprofundar–se no mistério que encarnava-senaquele Homem.

Aover Jesus, Zaqueu deixou-se penetrar inteiramente por ele e repeliu dedentro de si todo o mal que aí se escondia. Vou partilhar os meus benscom os pobres e se a alguém lesei vou retribuir em quádruplo, assimfalou.

Asalvação chegara a sua casa, proclamou o Senhor, como aos gregosanunciou a sua glorificação, o reconhecimento pelo Universo do mistérioda redenção.

VerJesus. Esses dois acontecimentos nos mostram quão longe andamos emnossa fé. As exterioridades são mais importantes. Comovemo-nos dianteda imagem do Cristo em sua paixão. Exteriorizamos nossa alegria nosvotos pascais. Mas, neles vivemos?

ComoSão Tomé, se não virmos as mãos e pés com o sinal dos cravos e o seucoração rasgado não acreditaremos na sua ressurreição e no novo mundoque nasceu desta cruz. Desconhecemos o mistério. A cruz não temsentido. Não vamos em frente. Mas, “Felizes aqueles que não viram e creram” (Jo 20, 29). Felizes aqueles que compreenderam o significado da Paixão como revelação do amor supremo de Deus.

Vera Jesus é exclamar com o mesmo Tomé, depois que Jesus lhes mostrou suaschagas gloriosas no seu corpo ressuscitado, e ele, uma vez convertido: ”Meu Senhor e meu Deus”;é deixar-se impregnar do mesmo amor que o fez o Filho de Deus dar avida por nós e ressuscitar par que nós com Ele fôssemos glorificados.

VerJesus é quando conformamos nossa vida com a dele, portando sua cruz naesperança da ressurreição. É nos tornarmos mensageiros desta esperança,a vitória sobre o pecado, a restauração de todo o Universo

SãoGregório de Nissa, falando sobre comunhão eucarística, quando, pelamisericórdia divina, antecipamos o banquete da parusia neste Pão queencerra em si o universo impregnado de Cristo, ensina “O pão eucarístico é mais forte que nossa carne; eis porque é ele que nos assimila  não nós quando o tomamos.”

Narealidade, nos afirma São Paulo, tudo nele subsiste” (Col. 1,17); Eleenche todas as coisas (Col. 2,10), de tal sorte que “Cristo é tudo emtodos” (Col.3,2).

VerJesus é mergulharmos neste oceano de amor que, enchendo com seuespírito todas as coisas, nos torna um com Ele, nos santifica para aglória do Pai.


Comentários

Aviso: Os comentários são de responsabilidade dos autores e não representam a opinião da Comunidade Shalom. É proibido inserir comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem os direitos dos outros. Os editores podem retirar sem aviso prévio os comentários que não cumprirem os critérios estabelecidos neste aviso ou que estejam fora do tema.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *