Formação

Vinde a mim, vós os cansados…

Orando com a Palavra
Vinde a mim, vós os cansados…
José Ricardo Ferreira Bezerra

Iniciemos a leitura deste artigo com uma breve oração pedindo o auxílio do Espírito Santo: “Ó vinde Espírito Santo, enchei os corações dos vossos fiéis, acendei neles o fogo do vosso amor. Enviai, Senhor, o vosso Espírito, e tudo será criado e renovareis a face da terra”. Oremos: “Ó Deus que instruístes os corações dos vossos fiéis com a luz do Espírito Santo, fazei que apreciemos retamente todas as coisas segundo o mesmo Espírito e gozemos sempre de sua consolação. Por Cristo, Senhor nosso. Amém”.
A proposta desta seção é levar o leitor a ler e orar com a Palavra de Deus através do método da Lectio Divina. São apenas quatro passos que se forem seguidos trarão grande proveito e crescimento espiritual. São eles: leitura, meditação, oração e contemplação. Alguns acrescentam o quinto passo que é a vivência da Palavra.
Vamos então tomar neste mês, o trecho do evangelho segundo Mateus, capítulo 11, versículos 25 a 30.
“25Por aquele tempo, Jesus pôs a dizer: Eu te louvo, ó Pai, Senhor do céu e da terra, porque escondestes estas coisas aos sábios e entendidos e as revelaste aos pequenos. 26Sim, Pai, porque assim foi do teu agrado. 27Todas as coisas me foram dadas por meu Pai; ninguém conhece o Filho, senão o Pai, e ninguém conhece o Pai, senão o Filho e aquele a quem o Filho o quiser revelar. 28 Vinde a mim, vós todos que estais cansados sob o peso do vosso fardo, e eu vos aliviarei. 29Tomai sobre vós o meu jugo e aprendei de mim, porque eu sou manso e humilde de coração e encontrareis o descanso para as vossas almas. 30Porque meu jugo é suave e meu fardo é leve.”
Quanta beleza, não é mesmo? Somente ao ler esta passagem nosso coração se eleva e também se enche de louvor ao Pai. Note que no versículo 25 Jesus louva o Pai por você! Você que é pequenino, que se dispõe a buscá-lo. Você que reconhece sua ignorância em relação às coisas celestes. Os “sábios e entendidos” aqui são os orgulhosos e auto-suficientes, os que acham que não precisam de nada. Eles têm tudo resolvido em suas cabeças. Nunca aceitarão o Reino dos Céus por que estão cheios de si mesmos. Não têm tempo para ler o Evangelho, pois precisam ler muitas outras coisas. O verdadeiro sábio é humilde e reconhece sua limitação.
A partir deste versículo você pode também juntar-se a este louvor ao Pai imitando a Jesus: “Eu te louvo ó Pai, Senhor do céu e da terra, de todas as coisas criadas…” “Eu te louvo ó Pai por que és o meu Senhor, e mesmo sendo o Altíssimo, te revelas a mim, pobre e humilde…” “Eu te louvo e te bendigo, ó Pai, pela tua sabedoria que é loucura para o mundo…” “Obrigado, Senhor, pelo teu amor único, pessoal, inconfundível…” “Faze-me pequeno e humilde para reconhecer as riquezas da tua Palavra…” Continue seu louvor conforme o Espírito Santo o(a) mover.
Retomemos com a meditação do versículo 28: “Vinde a mim, vós todos que estais cansados e eu vos aliviarei”. É um convite e uma promessa. Convite e promessa de Deus que não engana e não pode enganar. Num mundo tão agitado quanto o nosso, um convite assim é quase irresistível. Diante disso você pode iniciar uma oração (diálogo) assim: “Como posso chegar a ti, Senhor?” “Como faço para entregar-te os pesos que tenho carregado?” “Ensina-me, Senhor a buscar-te no silêncio interior e ouvir de ti teus ensinamentos”. “Ajuda-me, Senhor, pois estou cansado e confio em tua palavra…”
Voltemos ainda outra vez ao texto, nos versículos 29 e 30: “Tomai sobre vós o meu jugo e aprendei de mim que sou manso e humilde de coração. Porque o meu jugo é suave e o meu peso é leve”. São outros convites de Deus. Você aceita? Como fazer para tomar o jugo de Deus para si? Novamente, o caminho é pela oração: “Senhor, eu quero tomar o teu jugo sobre mim…” “Eu desejo aprender de ti, ensina-me Senhor…” Repita várias vezes a conhecida jaculatória: “Jesus, manso e humilde de coração, fazei o meu coração semelhante ao vosso.” E vá orando e colocando suas inquietações e dúvidas para o Senhor. Silencie e escute. A oração é um diálogo amoroso.
O Catecismo da Igreja nos ensina que “em cada momento de oração, você pode usufruir da contemplação. A contemplação é olhar de fé fito em Jesus. “Eu olho para Ele e Ele olha para mim”, dizia, no tempo de seu santo pároco, o camponês de Ars em oração diante do Tabernáculo. Essa atenção a Ele é renúncia ao “eu”. Seu olhar purifica o coração; A luz do olhar de Jesus ilumina os olhos de nosso coração; ensina-nos a ver tudo na luz de sua verdade e de sua compaixão por todos os homens. A contemplação considera também os mistérios da vida de Cristo, proporcionando-nos “o conhecimento íntimo do Senhor”, para mais O amar e seguir” (CIC 2715).
Se puder, releia o trecho sugerido desde o início seguindo os passos da Lectio: leitura, meditação, oração e contemplação. Notou como o método da lectio nos ajuda a orar? É esse o objetivo, ler, meditar, orar, contemplar e colocar em prática.
Ao final da lectio sugerimos anotar num caderno as graças e rhemas que o Senhor o (a) concedeu neste dia.


Comentários

Aviso: Os comentários são de responsabilidade dos autores e não representam a opinião da Comunidade Shalom. É proibido inserir comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem os direitos dos outros. Os editores podem retirar sem aviso prévio os comentários que não cumprirem os critérios estabelecidos neste aviso ou que estejam fora do tema.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *