Formação

Virtudes teologais

comshalom

Dom Eurico dos Santos Veloso

A língua portuguesa tem origem no Latim, que era a língua falada naregião do Lácio que hoje é a Itália. Os romanos levaram sua língua paraa região de Portugal, nascendo ali o Português, que foi trazido para oBrasil pelos nossos colonizadores. Assim, a palavra latina “virtus”originou em Português a palavra “virtude”, que significa um conjunto dequalidades próprias do homem. O homem nasceu para fazer o bem. DoGênesis, primeiro livro da Bíblia, e que fala do começo do mundo,extraímos a fala de Deus: “Façamos o homem a nossa imagem esemelhança”. Somos imagem e semelhança de Deus, portanto, nascemos paracuidar bem das coisas que Deus criou para nós e também para viver bem,uns com os outros. Nascemos para cultivar e praticar a virtude, que é aboa vontade de sempre fazer o bem.

As virtudes podem ser HUMANAS e TEOLOGAIS. Nós cultivamos e usamosas virtudes humanas para conviver bem com as outras pessoas, no meio danossa família, na nossa comunidade e no mundo, enfim. Também devemoscultivar as virtudes teologais no nosso relacionamento com Deus.

Quando recebemos o sacramento do Batismo é infundida em nós a graçasantificante, que nos torna capazes de nos relacionar com a SantíssimaTrindade e nos orienta na maneira cristã de agir. O Espírito Santo setorna presente em nós, fundamentando as virtudes teologais, que sãotrês: FÉ, ESPERANÇA E CARIDADE.

I – PRIMEIRA VIRTUDE: A FÉ.

Cultivando a fé, acreditamos no Deus Criador, que é o Pai, no DeusSalvador, que é Jesus Cristo e no Deus Santificador, que é o EspíritoSanto. Cultivando a fé, compreendemos que Deus é uno e trino e que tudoisto nos foi revelado nas Sagradas Escrituras. Cremos, então, que Deusé a verdade.

No dia-a-dia, nós usamos muito a fé. Temos fé nas pessoas, às vezesaté em pessoas em quem não sabemos se podemos confiar. Por exemplo:ninguém pode ser testemunha do seu próprio nascimento, mas a fé que nóscremos nos pais ou no cartório que fez o registro nos faz acreditar nadata e no local do nosso nascimento. Do mesmo modo, quando entramos emum ônibus ou em um avião, acreditamos que o motorista ou o piloto sãohabilitados para transportar-nos e nós nem os conhecemos, masacreditamos.

E Deus, que criou todas as coisas e nos deu a faculdade de pensar,de raciocinar, de acreditar? Temos muito mais motivos para acreditarn’Ele, para confiar n’Ele, para nos abandonar livremente em suas mãos.

A fé que devemos cultivar em relação a Deus é muito mais segura doque a fé que naturalmente temos nas pessoas. Assim, pela fé, cremos emDeus e em tudo o que Ele nos revelou. Ele se revela sempre a nós.Primeiro pelos Profetas, depois, através de seu Filho, que é a suaPalavra. Ele se revela também através do testemunho dos Apóstolos. E,constantemente, através dos acontecimentos da história da humanidade eda história de cada um de nós.

A criança tem uma fé sem limites na mãe, desde muito pequena, porquefoi ela quem a gerou, a amamentou, ensinou-lhe a andar e falar.

E Deus, que preparou um mundo maravilhoso para nós e nos colocoucomo centro desse mundo?… É forçoso que confiemos n’Ele, com totalconfiança. Precisamos procurar conhecer a vontade do Pai e realizá-laem nós, porque, como diz São Paulo em sua carta aos Gálatas (Gl 5,6), afé age por amor.

Mas não basta que nós cultivemos a fé. Esta, quando verdadeira,exige ação. Quando temos um amigo, não basta que gostemos dele. Devemosdar-lhe atenção, ajudá-lo quando necessário e possível, e ajudar tambémas pessoas que ele ama. Se não for assim, a amizade e a confiança nãosão verdadeiras.

Com Deus, é do mesmo modo. De que adianta a pessoa acreditar em Deuse não fazer nada para melhorar o mundo que Ele criou com tanto amor?Madre Teresa de Calcutá dizia: “Eu sei que o meu trabalho é como umagota no oceano, mas, sem ele, o oceano seria menor”. E São Tiago, emuma carta, nos diz que “a fé sem obras é morta.”(Tg 2,26).

A fé nos leva, portanto, a praticar a justiça em tudo que fazemos.

II – SEGUNDA VIRTUDE: A ESPERANÇA.

A Esperança é a virtude que nos ajuda a desejar e esperar temposmelhores em nossa vida aqui na terra e ter a certeza de queconquistaremos a vida eterna, que será a nossa felicidade.

Muitas vezes, passamos por momentos difíceis e achamos que nossavida não tem solução. O mundo hoje está muito violento e cheio decatástrofes. A cada dia, assistimos na televisão e até bem perto denós, cenas de maldade, agressões, violência. E assistimos também atragédias provocadas por desastres da natureza.

Precisamos refletir sobre tudo o que está acontecendo, encontraronde está a falha e buscar uma solução. Sozinhos, não somos nada, mas,com Deus, tudo podemos. A esperança nos leva a tentar vencer osobstáculos.

Há poucos dias, um fato nos chamou a atenção. Houve um tremor deterra no Haiti e 70% dos prédios da capital se desmoronou. Um repórterconseguiu mostrar que, em meio à quase completa ruína de uma igrejacatólica, restou intacta, a imagem do Cristo Crucificado. Tudo quebradono chão e ela lá, em pé, fulgurante, como a mostrar que Ele estápresente junto ao povo sofrido. Esta cena é muito significativa.Pode-se compreender muita mensagem de Deus para nós. Precisamosaprender a escutar a voz do Pai. Cada um, no seu coração, vaiinterpretar, a seu modo, fatos como este, tão significativos.

No Antigo Testamento, a esposa de Abraão era estéril, mas o Senhorlhe prometeu uma descendência mais numerosa do que as estrelas do céu etodo o povo de Deus constitui a sua descendência, porque Sara, suaesposa, concebeu na velhice e gerou seu filho Isaac.

No Novo Testamento, o anjo do Senhor anunciou à Virgem Maria que elaseria Mãe de um rei. E ela, de início sem compreender o que anjofalara, se prontificou a cumprir a vontade do Pai. Sofreu muito,meditando tudo no silêncio do seu coração. Esperou, esperou contra todaesperança e foi elevada aos céus e coroada Rainha dos anjos e dossantos, Mãe de Deus e Mãe da humanidade.

Seu Filho não foi aquele rei rico em coisas materiais, como nósimaginamos, no nosso mundo serem os reis. Mas Ele mesmo disse: “O meureino não é deste mundo”. E Ele é o rei dos reis e ao som do seu nomese dobram todos os seres do céu, da terra e sob a terra. Somos, pormeio de Cristo, herdeiros da esperança de vida eterna.

III – Terceira Virtude: CARIDADE.

A Caridade é amor. São palavras sinônimas. A Caridade não é somenteprocurar uma moedinha no fundo da bolsa e jogá-la na latinha de quempede. A Caridade não é somente ofertar um prato de comida a quem temfome. A Caridade não é somente tirar do nosso guarda-roupa um vestido,uma blusa, um sapato ou qualquer objeto que não usamos mais e dar aquem nada tem. A Caridade é amor. É conhecer a dor da pessoa que viveperto de nós, quer seja na nossa família, na comunidade ou maisdistante. Conhecer a sua dor e procurar com ela resolver o seu problema.

A Caridade é dar um bom dia, é sorrir para uma criança indefesa,para um jovem, às vezes desorientado, para um idoso que carrega seufardo com dificuldade.

A caridade, o amor é a virtude perfeita. Neste mundo, precisamos terfé, esperança e amor. Precisamos ter fé e esperança porque aqui estamoscaminhando nas trevas, isto é, acreditamos em algo que não vemos com osnossos olhos humanos e limitados. Mas cremos na aurora que dissiparáessas trevas e, quando alcançarmos a vida eterna, a fé e a esperança jánão serão necessárias, porque já estaremos diante do Pai.

Entretanto, o amor permanece, porque Deus é amor e, se estamos diante d’Ele, também somos amor.

Por isto é que São Paulo, em sua Primeira carta aos coríntios,termina o capítulo 13 dizendo: “Agora, portanto, permanecem trêscoisas: a fé, a esperança e o amor. A maior delas é o amor”.


Comentários

Aviso: Os comentários são de responsabilidade dos autores e não representam a opinião da Comunidade Shalom. É proibido inserir comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem os direitos dos outros. Os editores podem retirar sem aviso prévio os comentários que não cumprirem os critérios estabelecidos neste aviso ou que estejam fora do tema.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *