Formação

Sete dicas práticas para viver a virtude da pobreza evangélica

Para que viver a virtude da pobreza evangélica? Não são apenas os padres, freiras e consagrados que são chamados a vivê-la? Ser pobre é apenas não ter bens materiais? Não é um adjetivo negativo?

comshalom

À diferença do que muitos poderiam pensar, a pobreza evangélica não é um chamado reservado apenas para uns poucos, como monges ou missionários, mas é para todos os cristãos. É um chamado a imitar Cristo, aquele que se fez pobre, se esvaziou, saindo do seio da Trindade e se fazendo homem como nós.

A pobreza evangélica não pretende ignorar a necessidade do homem de relacionar-se com os bens materiais, mas dá-lhes o devido lugar na vida humana: de meros instrumentos a meios para a nossa santificação e cuidado da criação. A pobreza não consiste em “não ter”, mas em ter sem apegar-se àquilo que se tem, sabendo que, com exceção de Deus, tudo passa.

A seguir algumas dicas práticas para viver essa virtude, afinal, diz Jesus no Evangelho: “Felizes os pobres em espírito, pois deles é o Reino dos Céus”. Mt 5, 3.

1- REZE (oração, recitação do Rosário e sacramentos)

Contemple Aquele que “de rico que era se fez pobre para nos enriquecer com a sua pobreza” (2 Cor 8,9)

2- SEJA JUSTO para com o outro em relação aos seus bens materiais

Pague suas dívidas, reponha o dano feito aos bens dos outros; devolva os bens emprestados, entre outras ações relativas à virtude da justiça que dispõe a dar ao próximo aquilo que lhe é devido.

3- DESPOJE-SE do supérfluo

Os bens materiais que não precisamos (que estão sobrando) não nos pertencem. Acumulá-los pode ser um sinal de amor desmedido a eles (apego).

4- FAÇA MEMÓRIA da morte

Lembre-se que um dia será chamado pelo Pai à sua presença. Isso convida ao arrependimento dos pecados, suscita esperança na vida eterna e ajuda a lembrar que os bens deste mundo são passageiros.

5- PARTILHE generosamente os seus bens materiais

(sem ser o supérfluo)

“Há mais alegria em dar do que em receber” (At 20,35)

6- ESTEJA ABERTO à condução de Deus

Aceite de bom grado as moções que o Espírito Santo inspirar no seu interior e deixe-se conduzir por elas: faça o que Deus lhe pedir (pobreza espiritual positiva)

7- SEJA GRATO sempre

Agradeça a Deus pelo que você tem e pelo que você não tem, em toda circunstância, lembrando que Ele é o nosso Pai, que sabe do que temos necessidade (cf. Mt 6) e que sempre cuida de nós, dando-nos o melhor para a nossa santidade (nem sempre para a nossa satisfação). A gratidão é grande sinal de pobreza evangélica. Traduz-se no louvor.


Comentários

Aviso: Os comentários são de responsabilidade dos autores e não representam a opinião da Comunidade Shalom. É proibido inserir comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem os direitos dos outros. Os editores podem retirar sem aviso prévio os comentários que não cumprirem os critérios estabelecidos neste aviso ou que estejam fora do tema.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *