Formação

A erradicação da miséria

comshalom

Aproxima-se a Festa do Natal do Senhor. O comércio fica mais agitado. Conseguem-se mais empregos provisórios. A inflação ameaça. Os economistas alertam para a ameaça de juros altos. Medo do futuro. Medo do novo Governo. Mas, a festa do Natal tem uma força irresistível! É o dia da fé e da alegria, dia do encontro das famílias. O desejo de paz fica mais forte em cada coração. As crianças ficam ansiosas à espera de lindo presente. Fantasias… Experiência especial do carinho humano. As famílias cristãs, paróquias e entidades de caridade pensam no ser humano carente de tudo. Querem dar afeto, querem ajudar o próximo a ser mais feliz. Inúmeras cestas básicas são levadas aos mais necessitados. É festa do Natal do Senhor. Sua vinda ao mundo teve um objetivo especial: tirar o ser humano da miséria, de toda a miséria causada pelo pecado pessoal e social. O Natal do Senhor relembra ao ser humano que é possível um mundo diferente. Infelizmente, ainda há quem não entendeu seu significado e seu alcance.

Vemos com alegria que já se fez algum esforço pra minorar os sofrimentos de muita gente que passava fome. A vontade política de criar “bolsas famílias”, a solidariedade humana em distribuir cestas básicas, milhões de brasileiros saíram do bolsão da miséria extrema. Esperamos com ansiedade que se cumpra a promessa para os próximos anos de que a miséria extrema seja erradicada de nosso país. Que isto não seja engodo e esperteza política.

A Festa do Natal do Senhor faz-nos pensar na libertação da miséria humana. Mas, O Natal do Senhor nos ensina muito mais. A erradicação da miséria não pode ficar só na ausência de fome do pão na mesa de todos os seres humanos, todos os dias.

O Natal do Senhor ensina-nos que a erradicação da miséria da fome do pão, é apenas, um sinal de que o ser humano é chamado a algo maior e mais profundo. Há uma miséria muito mais dolorosa e profunda do que a miséria da fome do pão, da ausência do pão nosso de cada dia. Os seres humanos, a família humana, precisam urgentemente de outra cesta básica. Aliás, é por causa da falta desta cesta básica mais profunda e mais nutritiva que falta a comida na mesa do pobre e do miserável.

A erradicação da miséria surge do Natal do Senhor e culmina na Páscoa! Este é o segredo e o ponto de partida para a plena e verdadeira erradicação da miséria. Ora, pelo ato do Verbo de Deus fazer-se humanidade, operou-se o ato profundo e libertador do ser humano, idêntico àquele quando o Verbo pronunciou: “faça-se a luz e a luz foi feita” (Gen 1,3). Uma nova criação… na Redenção!

Jesus veio iluminar o mundo que estava nas trevas do egoísmo, nas trevas da violência, do ódio da exclusão do ser humano pelo ser humano!

Porém, o Verbo não é paternalista. Engravidou o mundo com o trigo bom de tal forma que o joio não tenha força por muito tempo até a hora da colheita!

O Natal do Senhor ensina-nos e dá-nos as ferramentas próprias, os elementos necessários para que a erradicação da miséria do nosso meio seja total e absoluta. Esta erradicação da miséria passa primeiramente pelo acolhimento do Verbo de Deus, Jesus Cristo e de seu ensinamento.

No acolhimento do Verbo de Deus está o germe do Reino e reinado de Deus! O acolhimento do Verbo de Deus gera vida! Gera paz, e produz harmonia. Gera respeito humano e produz alegria. O Trigo de Deus faz com que haja pão, para todos os seres humanos, sem exceção!

Ao celebrarmos o Natal do Senhor, portanto, precisamos tomar consciência da necessidade e do compromisso com outra cesta básica para todas as famílias: a conversão para o amor, a justiça e a paz na aceitação da Pessoa do Verbo de Deus que se fez Homem e habitou nomeio de nós. Este é o caminho da verdadeira erradicação da miséria em nosso país e no mundo inteiro.

Você se lembra quanto dinheiro já se gastou com a recuperação econômica de bancos, aqui e nos países em crise financeira? Se de fato o Mistério do Natal do Senhor tivesse sido acolhido pelos que dirigem o mundo na atualidade, com certeza, a miséria dos países famintos e vítimas do egoísmo universal, estaria resolvida.

Parece fantasia e ingenuidade afirmar e escrever tal coisa. Mas, como entender o Natal do Senhor num lugar onde não era comum para o ser o humano vir ao mundo? Desde aquele momento do nascimento do Senhor, da encarnação do Verbo de Deus, a verdade parece-nos ingenuidade e desconcertante!

A erradicação da miséria total só será possível quando a humanidade tiver coragem de acolher o lugar do Natal.


Comentários

Aviso: Os comentários são de responsabilidade dos autores e não representam a opinião da Comunidade Shalom. É proibido inserir comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem os direitos dos outros. Os editores podem retirar sem aviso prévio os comentários que não cumprirem os critérios estabelecidos neste aviso ou que estejam fora do tema.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *