Formação

A Excelência da Eucaristia Sobre os Outros Sacramentos

comshalom

A excelência da Eucaristia sobre os outros sacramentos , segundo o Catecismo do Concilio de Trento Cap. 3.

876. A Santíssima Eucaristia tem de comum com os demais sacramentos o ser o símbolo de uma coisa sagrada e a forma visível da graça invisível. A sua excelência e singularidade está em que os outros sacramentos só têm a virtude de santificar, quando alguém faz uso deles, ao passo que na Eucaristia está o próprio autor da santidade, antes de qualquer uso [cân. 4]. Pois, não haviam ainda os Apóstolos recebido das mãos do Senhor a Eucaristia (Mt 26, 26; Mc 14, 22), quando ele afirmava ser na verdade o seu corpo aquilo que lhes dava.

Foi também sempre esta a fé na Igreja de Deus: que logo depois da consagração estão o verdadeiro corpo de Nosso Senhor e seu verdadeiro sangue conjuntamente com sua alma e sua divindade, sob as espécies de pão e de vinho, isto é, seu corpo sob a espécie de pão e seu sangue sob a espécie de vinho, por força das palavras mesmas; mas o mesmo corpo também [está] sob a espécie de vinho, e o sangue sob a espécie de pão, e a alma sob uma e outra, por força daquela natural conexão e concomitância, com que as partes de Cristo Nosso Senhor, que já ressuscitou dos mortos para nunca mais morrer (Rom 6, 9), estão unidas entre si; e a divindade por causa daquela sua admirável união hipostática com o corpo e a alma [cân. l e3]. Assim, é bem verdade que tanto uma como outra espécie contêm tanto quanto as duas espécies juntas. Pois o Cristo todo inteiro está sob a espécie de pão e sob a mínima parte desta espécie, bem como sob a espécie de vinho e sob qualquer das partes desta espécie.

"O sacrifício de Cristo e o sacrifício da Eucaristia são um único sacrifício: é uma só e a mesma vítima, é o mesmo que oferece agora pelo ministério dos sacerdotes, que se ofereceu a si mesmo na cruz. Apenas a maneira de oferecer difere’: ‘Neste divino sacrifício que se realiza na Missa, este mesmo Cristo, que se ofereceu a si mesmo uma vez de maneira cruenta no altar da cruz, está contido e é imolado de maneira incruenta." (idem, DS1743, in CIC 1367).

Sobre a real – presença eucarística

Por real concomitância em cada partícula do pão consagrado está presente o sangue do Cristo. E, em cada partícula do sangue de Cristo, por real concontância, está presente o Seu corpo.

Em ambas as espécies estão presentes, portanto,o corpo e o sangue,a divindade e a humanidade do Cristo. Mesmo comungando em uma única espécie, recebemos o corpo e o sangue do Cristo. Os padres e seus auxiliares na Missa podem comungar em ambas as espécies.

Só podemos comungar uma única vez ao dia. A eucaristia pode ser levada aos doentes e incapacitados que não participem da missa.

A eucaristia é um sacramento e é também, um sacrifício real, porém incruento, contrariamente ao que afirmam os protestantes. Os protestantes negam a real-presença e/ou o sacrifício renovado! Os luteranos afirmam a real-presença eucarística mas negam o sacrifício real, os calvinistas negam ambas a as verdades de fé do catolicismo.

O Cristo está verdadeiramente presente de forma incruenta nas espécies consagradas.

Catecismo – Concílio de Trento – Sessão XXI (16-7-1562) – Doutrina da comunhão sob ambas as espécies e das crianças.


Comentários

Aviso: Os comentários são de responsabilidade dos autores e não representam a opinião da Comunidade Shalom. É proibido inserir comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem os direitos dos outros. Os editores podem retirar sem aviso prévio os comentários que não cumprirem os critérios estabelecidos neste aviso ou que estejam fora do tema.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *