Formação

A razão e a sensibilidade

comshalom

          Na grande maioria das vezes, a vontade de alcançar algo que julgamos muito importante acaba viciando o objeto de nossa procura, sendo ela mesma motivo de decepções e chagas. Uma jovem italiana de 18 anos, chamada Melissa Panarello, natural da região da Sicília, sentiu intensa necessidade de ser amada por alguém. Para consegui-lo, usou do próprio corpo e do prazer que isso lhe proporcionaria, acreditando que a via do sexo seria a ideal para preencher a si. Em sua vontade de libertar-se, participou de orgias com homens, de sessões de sadismo, homossexualismo e transgressões regadas a drogas. Não obstante ter presenciado tamanha carga de sexo, resolveu por fim narrar em livro suas aventuras a fim de mostrar (ou chocar) aos outros os desvios e nuances do ca-minho trilhado. Disto nasceu o livro "Cem Escovadas Antes de Ir Para a Cama", que, somente na Itália, atingiu a marca de meio milhão de exemplares, e no Brasil figura na lista dos mais vendidos.
          O livro aborda os limites a que a adolescente se propôs extrapolar e as consequências que a sua atitude acarretou na sua vida afetiva, o que nos leva a pensar no assombro que o tema da sexualidade provoca nos jovens de hoje, pela prática abusiva e pelos meios quase sempre perigosos com que ela é encarada pela consciência deles.

           Melissa trata desse assunto com estranha naturalidade. Na adolescência, diz ter lido grandes clássi-cos eróticos da literatura, dos mais variados autores: Jane Austen, Honoré Balzac, Sade, J.T. Leroy, entre outros. Deixa entrever que os utiliza como desculpa e com o interesse de dar um verniz artísti-co às próprias depravações. Ou talvez procura ela mesma se convencer de que tudo valeu a pena. Mas sua postura apenas realça um aspecto triste da juventude atual: o esquecimento da afetivida-de como trampolim para a autodescoberta e para a descoberta do outro como complemento de si mesmo. Melissa transa com uma garota que conheceu num chat, com o professor de matemática, com cinco homens ao mesmo tempo em sua festa de aniversário de quinze anos. Porém, nenhuma dessas oportunidades nem mesmo toca em seu ponto principal: o amor, por que tanto ansiava. Antes transforma-se num vício, que lhe submete a ir de encontro a todas as regras de pudor e entregar-se fisicamente (e apenas dessa forma) aos outros, tentando tirar dessa relação de prazer insana algo que lhe sustente. E apenas mais vazio traz para si, num círculo de perdas e transtornos. Não há verdadeira descoberta, nem mesmo se vê pincelada a afinidade: o que realmente interes-sa é a satisfação ordinária dos instintos.

           É sensata a opinião da jornalista Clara Arreguy, do Correio Braziliense, em sua análise ao livro: “Este tipo de narrativa, no fundo, parece jogar brumas estetizantes sobre uma literatura pretensamente erótica, em que o despudor funcione como canal para desejos e fantasias. Funcionaria se houvesse conteúdo. Não há. A proposta repousa sobre o vazio”. Beijar, ficar, transar, e ir-se. Repousa no vazio a própria definição do afeto para os adolescentes, muito vezes porque a eles não são dados as condições bastantes para crescerem na afetividade, vendo transportarem para suas vidas a irritan-te mania do descartável, do “use e abuse”. Eles se acostumaram a usar e largar, como se, crianças débeis, tivessem usado um brinquedo a ser objeto de seus desejos e, depois destes terem se evaporado, o houvessem largado. A maturidade traz aos relacionamentos a marca da entrega e da renúncia, compatíveis e complementares no momento afetivo, proporcionando aos jovens crescer na experiência honrosa do amor fraterno. Isso é desafio. Entrando na caçada desenfreada rumo ao prazer travestido de sentimento amoroso, Melissa acaba por cair na armadilha fácil do egoísmo e da sujeição. Egoísta por acreditar que ela mesma encontraria a chave do verdadeiro amor, e sujeição por, pouco a pouco, deixar tornar-se objeto de satisfação sensual dos outros. Tornou-se alvo fácil de frustrações e dor, apesar de não deixar transparecer facilmente isso no livro.

           Melissa, ao mesmo tempo em que encarna Lolita, a velha figura da adolescente angelical e insinu-ante que marcou época por sua intimidade com os assuntos de sexo, traz a mania curiosa de escovar os longos cabelos escuros como forma de purificar-se das orgias. Carrega em si a marca própria de sua geração: o contraditório. Os jovens, ao mesmo tempo em que experimentam as mais varia-das sensações em busca da auto-satisfação, num papo descontraído na Internet ou na atracação no escuro da boate, anseia por encontrar aquele amor puro, que permitiria a eles entregar-se sem reservas e com a paz do coração, pela vontade de amar simplesmente. Encarnam o adulto precoce que, pensando estar a anos luz no quesito experiência, demonstram serem aprendizes na didática do amor, que exige muito mais responsabilidade e transparência do que eles, na grande maioria das vezes, estão aptos a dar. O segredo são os passos que devem ser seguidos de maneira gradual e segura, do encontro ao namoro sadio, da afetividade descoberta no noivado à responsabilidade e maturidade do matrimônio, momento para o qual a Igreja, sabiamente, reserva a graça do ato sexual. Desrespeitados esses passos, o que se tem é a desordem afetiva e o surgimento de frustrações e marcas. Nesse particular, concordo com a opinião do célebre filósofo católico francês, Paul Claudel: “A juventude não foi feita para o prazer, mas para o desafio”. E o nosso principal desafio, tal qual o ensinamento de Cristo, é o amor.

Breno Gomes


Comentários

Aviso: Os comentários são de responsabilidade dos autores e não representam a opinião da Comunidade Shalom. É proibido inserir comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem os direitos dos outros. Os editores podem retirar sem aviso prévio os comentários que não cumprirem os critérios estabelecidos neste aviso ou que estejam fora do tema.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *