Formação

Árvore produtiva

comshalom

Dom José Alberto Moura

O profeta Ezequiel faz uma comparação interessante da árvore que setorna produtiva: “Eu mesmo tirarei um galho da copa do cedro, do maisalto de seus ramos arrancarei um broto e o plantarei sobre um montealto e elevado… Ele produzirá folhagem, dará frutos e se tornará umcedro majestoso” (Ez 17, 22-23). Mesmo de um povo tão frágil e pouconumeroso, a promessa divina fez surgir o Messias, qual planta altaneiraprodutora de vida para o bem da humanidade.

Jesus deixou sua Igreja como continuação de sua presença salvadorana história humana. Qual árvore frondosa, ela tem potencial vitalizantecom os dons de Deus para a santificação das pessoas. O ser luz e sal épróprio de sua vocação, apesar de ser santa e pecadora. Mas prima pelaação de Deus, que faz do frágil um elemento produtor de vida. Algunsquerem seus membros como anjos, sem defeito. Quando o humano aparece,as pedradas nela lançadas são muitas, principalmente dos que nãoaceitam a proposta ideal de Jesus com seus desafios de geração de vidaperene. Mas, apesar de tudo, o ser da Igreja é baseado na ação divina.Quem tem fé amadurecida sabe distinguir o frágil das pessoas do ser eda ação da Igreja como tal.

O divino Mestre ensina sobre a vocação de quem trabalha do seureino: “É como quando alguém espalha a semente na terra. Ele vai dormire acorda, noite e dia, e a semente vai germinando e crescendo, mas elenão sabe como isso acontece. A terra, por si mesma, produz o fruto” (Mc4, 26-27). De fato, a natureza do reino já é fecunda pela força do Reie não pelo agricultor que nela planta e dela cuida. Quem faz germinar asemente é quem é dono da vida nela contida. É assim a força da Igreja,por mais humana que ela seja. Não é sem propósito a afirmação de Jesus:“As portas do inferno não prevalecerão contra ela”.

A fertilidade dessa árvore a faz espalhar semente por toda parte,mesmo se ela não for tão ágil. As sementes amadurecidas vão caindo deseus galhos e germinam onde o terreno for propício para o seudesenvolvimento. Quanto mais o cultivo se der, mais as sementes vãogerminando e multiplicando sua fecundação e produção de vida. Ascarências vitais do ser humano são muitas. Por isso mesmo, o Messiasinstituiu sua Igreja para ajudar a superar as carências humanas: faltade ética, de justiça, de respeito à vida, à dignidade humana, ao meioambiente, aos deixados de lado em termos de cidadania…

A consciência de ser Igreja leva a pessoa a amoldar-se diuturnamenteao Mestre, com a prática do serviço a quem precisa ser fecundado deesperança e paz. As bem-aventuranças são a carta modelo de estímulo aquem realmente quer aceitar as coordenadas do Salvador. Mesmo noenfrentamento do paganismo, do materialismo e do hedonismo, a pessoacrística mostra sua pertença à Igreja através de suas atitudescoerentes com sua fé. Nas famílias, nas profissões, na política, namídia e em todas as atividades humanas, quem é realmente membro daIgreja de Cristo tem comportamento coerente com sua pertença nela e ageconforme os ditames do Evangelho. Não separa o ser religioso do serprofissional.


Comentários

Aviso: Os comentários são de responsabilidade dos autores e não representam a opinião da Comunidade Shalom. É proibido inserir comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem os direitos dos outros. Os editores podem retirar sem aviso prévio os comentários que não cumprirem os critérios estabelecidos neste aviso ou que estejam fora do tema.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *