Formação

A autoestima baixa interfere em um relacionamento?

Uma pessoa que possui baixa autoestima ainda não se possui por inteiro e tende a projetar sua superação na cobrança do outro, que deixa de ser dom, para ser um devedor.

Neste caso,a relação se torna insuportável porque a pessoa tende a achar que, por ela ser quem é ( ou ser quem ela pensa que é ) ninguém será capaz de amá-la de verdade e mesmo que a outra pessoa tente expressar que a ama ou quer bem, a baixa autoestima não consegue achar que a intenção seja sincera.

Temos por exemplos, pessoas que não gostma do dia do seu aniversário e que se sentem menor do que as outras. Ora, com uma visão tão comprometida de si por causa de suas feridas, ela não conseguirá avaliar bem suas relações afetivas pois sua necessidade de ser confirmada no amor é permanente e portanto, de insegurança em sua capacidade de “segurar” o outro e de ciúme destruidor.Nunca encontrará a pessoa certa – já que ninguém é capaz de preencher todas as nossas necessidades, legitimas ou ilegitimas.

A cura começa quando a pessoa percebe que o problema de não se sentir amada por ninguém pode ser apenas uma projeção, no outro, de quem não se ama e não se aceita como é! Tende à solidão porque os homens, no caso, fogem de mulheres muito “grudentas” e que estão sempre a cobrar atenção. Homens resolvidos, não falo de meninos, querem mulheres que sabem seu valor e se respeitam, que não ficam marcando colado por carência e não por uma legitima exigência da reciprocidade afetiva que se traduz na atenção espontânea. O pior de tudo é que se a pessoa não for curada viverá a buscar “quem a ame de verdade” e terá imensa dificuldade de dizer NÃO, agradando o outro onde ele quer ser agradado,  negando a si mesmo não por amor, mas por medo de ficar só.

Quando me nego, livremente e por amor, eu preciso saber PORQUE e PARA QUE o faço sob o risco de no futuro cobrar do outro aquilo que me deve e viver cobrando a minha parte durante toda a relação. Amor não é cobrança, é doação. O outro não me deve, eu é quem devo a ele.

Portanto a resposta é absolutamente sim!

Carmadélio Sousa


Comentários

Aviso: Os comentários são de responsabilidade dos autores e não representam a opinião da Comunidade Shalom. É proibido inserir comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem os direitos dos outros. Os editores podem retirar sem aviso prévio os comentários que não cumprirem os critérios estabelecidos neste aviso ou que estejam fora do tema.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  1. Estive 7 anos numa relação com uma mulher muito querida e boa pesssoa. Entendi desde o início que tinha a autestima baixa, aconselhei a ida a um psicologo, foi e desistiu.
    Durante toda a relação ciclicamente tinhas duvidas de vária ordem e queria pensar, eu ia atrás e voltava. Repetiu-se 5 ou 6 vezes, sofri bastante para aguentar estas indecisões. Ficou com depressão, está medicada há 2 anos mas continua com o problema base , auto-estima baixa.
    Exige que eu mude alguns aspectos, que trabalhe menos. Sinto que os problemas dela são espelhados em mim, ela não muda um centímetro. Aconteceu mais uma paragem, desta vez já passaram 4 meses, insisti sempre e não resultou. Decidi ir eu a uma psicóloga e infomei-me sobre a situação. Não vou mais atrás dela e esfriei os meus sentimentos. Tenho enviado informação para ela pedir e entender que solução está nela e não em mim terá de pedir ajuda para tentar ser feliz e não que eu lha devolva. Acho que já não a amo e estou esgotadíssimo!

    1. Olá, meu irmão! Obrigado pela participação. Um relacionamento conjugal sadio exige o mínimo de maturidade para dar certo. Muitas vezes, nem foi falta de amor que levou a coisa a se deteriorar, mas a falta de maturidade dos cônjuges. O amor verdadeiro só tem espaço para se manifestar numa pessoa madura. O que é o amor senão a capacidade de em diversos aspectos esquecer de si e se doar ao outro? Só uma pessoa madura é capaz de expressar o amor de modo correto. Como eu disse, às vezes a pessoa ama mas expressa por imaturidade de modo errado. Acha que amor é controle, domínio, etc. O amor verdadeiro é tão forte que deixa a pessoa livre para ir ou ficar. Basta pensarmos por exemplo no amor de Deus: Deus se propõe, não se impõe. Estarei rezando por você. Shalom!

  2. Boa noite gostaria de saber se baixa uta estima é preciso de tratamento?
    O que deve ser feito? Pois para uma mulher ou uma jovem isso é muito ruim. E conheço pessoas assim, para ajudá-las .

    1. Olá Cristina, tudo bem? bom, os motivos são diversos, é difícil encontrar algo que sirva para todos os casos, contudo, precisamos procurar num acompanhamento perceber, o que é valor para a pessoa. Já conheci pessoas com baixa auto estima e cheias de talentos, belas fisicamente, inteligentes, contudo não valorizavam o que tinham, mas sempre o que não tinham. Cada caso é um caso, e para cada situação, uma solução. Deus abençoe.