Formação

Celibato pelo Reino

comshalom

celibato por DeusPessoas normais. Sim, os celibatários são pessoas normais. Eles utilizando de sua liberdade escolheram canalizar o seu amor para a humanidade à dá-lo exclusivamente a uma pessoa. Unem-se deste modo a Cristo Jesus, que quando viveu no meio de nós escolheu esta forma de vida para si.

O celibato não é um privilégio reservado aos sacerdotes. Homens e mulheres espalhados por todo mundo fazem essa experiência que em nada estorva sua sexualidade, ao contrário plenifica-a tanto quanto o matrimônio.

Na Igreja católica observa-se no fenômeno das Novas Comunidades a crescente adesão, sobretudo de jovens, ao celibato pelo Reino. E isso não se deve a uma fuga mundi, decepções amorosas ou falta de perspectivas para se construir um futuro.

Num mundo hedonista que reduz sexualidade à genitalidade, que exalta o sensualismo e incentiva o sexo livre com fim em si mesmo falar de celibato parece um disparate, ainda mais vivê-lo.

A Igreja percebe os inúmeros frutos na vida de quem faz essa opção, por isso incentiva e defende tal prática. Desde o século XI o celibato foi decretado como condição para o exercício do sacerdócio. De lá para cá já se vão dez séculos e a Igreja não pensa em alterar essa norma como asseverou o prefeito para a congregação para o clero, cardeal, d. Cláudio Hume.

O celibatário oferta por amor, a possibilidade de poder construir uma família consangüínea para entregar-se a uma família muito maior: a humanidade. Engana-se quem compreende o celibato como castração. Ele dá liberdade e potência ao amor humano tornando-o universal.

O celibato pelo Reino é um caminho de felicidade. Precisa-se de coragem para quebrar paradigmas e não pensar como a massa. Os que se aventuram em nadar contra a maré descobrem o segredo da felicidade. Quem se deixa levar pela corrente nem percebe a beleza desta faceta do amor, plena de doação.

 


Comentários

Aviso: Os comentários são de responsabilidade dos autores e não representam a opinião da Comunidade Shalom. É proibido inserir comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem os direitos dos outros. Os editores podem retirar sem aviso prévio os comentários que não cumprirem os critérios estabelecidos neste aviso ou que estejam fora do tema.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *