Institucional

Comshalom entrevista Cardeal Cláudio Hummes

comshalom

“Vocês estão realmente empenhados, prioritariamente, totalmente na missão no mundo hoje”, disse o Cardeal Cláudio Hummes esta semana, à Comunidade Católica Shalom, em ocasião de sua visita na Diaconia Geral em Aquiraz.

Arcebispo de Fortaleza no período de 1996-1998, Dom Cláudio viu de perto na época, que a Comunidade Shalom realmente tinha um conteúdo muito autêntico, de muita comunhão com a Igreja, e era muito unida ao Cardeal Aloísio Lorscheider, que foi seu predecessor. “Quando o Moysés foi conversar comigo e me explicar a situação da Comunidade logo que cheguei, para o reconhecimento a nível Diocesano, eu já sabia um pouco da história por meio do próprio Dom Aloísio Lorscheider “.

Em entrevista ao portal da Comunidade, o comshalom.org, Dom Cláudio fala de sua aproximação com Moysés Azevedo, fundador da Comunidade Shalom, do livro em homenagem ao Papa e de sua amizade com Francisco. Confira!

Reconhecimento Diocesano

Mesmo sendo por tão pouco tempo Arcebispo em Fortaleza, Dom Cláudio viu a necessidade da Comunidade Shalom se estruturar, se organizar em forma canônica e jurídica. “Eles estavam preparando os estatutos, já tinham muitos textos, uma regulamentação interna, mas para ser uma Associação reconhecida pela Igreja, como desejavam, era preciso o reconhecimento da diocese, primeiramente”. Depois de algum tempo, finalmente no Domingo de Páscoa, em 1998, o arcebispo de Fortaleza, Dom Cláudio Hummes, assina o decreto de reconhecimento canônico do Shalom. “Eles ficaram muito felizes, tinham feito tudo muito bem. Foi uma grande festa. Porém, três dias depois, souberam que eu havia sido transferido, e puderam entender o porquê da minha pressa”.

Grandes Metas do Papa Francisco

O cardeal, hoje arcebispo emérito de São Paulo, Prefeito emérito da Congregação para o Clero e Presidente do Conselho Internacional de Catequese, também esteve em Fortaleza, para o lançamento de seu livro “Grandes metas do Papa Francisco”. O livro nasceu no intuito de homenagear o Santo Padre pelo seu aniversário de oitenta anos de vida e celebrar seu extraordinário pontificado, que vem mostrando ao mundo inúmeras atitudes de um autêntico espírito evangélico e iniciativas que estão mudando os rumos da Igreja.

Dom Cláudio na entrevista, destacou as três principais metas com mais urgência a serem cumpridas ainda no Pontificado de Francisco: ”a primeira meta, é algo que o Papa insiste muito, que é transformar a Igreja em uma Igreja missionária, acho que é um processo onde nós todos nos envolvemos com esse projeto”. A segunda principal meta destacada pelo Cardeal foi a questão da Misericórdia, “o papa instituiu um ano dedicado a Misericórdia, para mostrar que é a Misericórdia que salva, pois não podemos ficar apostando em leis ou disciplinas, acho que devemos apostar mesmo é na misericórdia”. A solidariedade para com os pobres foi a terceira meta pontuada “hoje há muito a fazer, temos que estar junto com os pobres, não é fácil, queremos muitas vezes fazer algo à distância, porém, conviver, abraçar, encorajar, caminhar junto é sempre um projeto exigente. ”

Amizade

Com um abraço e um beijo no rosto, Dom Cláudio Hummes, cumprimentou o Cardeal Jorge Bergoglio, no último conclave em Roma, quando o argentino foi escolhido Papa da Igreja Católica e lembra que disse as seguintes palavras: “Não te esqueça dos pobres”. Segundo Dom Cláudio, não havia preparado nada, “coisas do Espírito Santo, que usa os amigos para isso”, revelou como um amigo pessoal de Francisco.

“O Papa me disse que essas palavras entraram muito forte em sua cabeça e no coração, e a partir daí ele pensou nos pobres, escolheu o nome, pois São Francisco é o santo dos pobres, o santo da paz e da criação”.

“Vocês estão realmente empenhados, prioritariamente, totalmente na missão no mundo hoje”, disse o Cardeal Cláudio Hummes esta semana, à Comunidade Católica Shalom, em ocasião de sua visita na Diaconia Geral em Aquiraz.

Arcebispo de Fortaleza no período de 1996-1998, Dom Cláudio viu de perto na época, que a Comunidade Shalom realmente tinha um conteúdo muito autêntico, de muita comunhão com a Igreja, e era muito unida ao Cardeal Aloísio Lorscheider, que foi seu predecessor. “Quando o Moysés foi conversar comigo e me explicar a situação da Comunidade logo que cheguei, para o reconhecimento a nível Diocesano, eu já sabia um pouco da história por meio do próprio Dom Aloísio Lorscheider “.

Em entrevista ao portal da Comunidade, o comshalom.org, Dom Cláudio fala de sua aproximação com Moysés Azevedo, fundador da Comunidade Shalom, do livro em homenagem ao Papa e de sua amizade com Francisco. Confira!

Reconhecimento Diocesano

Mesmo sendo por tão pouco tempo Arcebispo em Fortaleza, Dom Cláudio viu a necessidade da Comunidade Shalom se estruturar, se organizar em forma canônica e jurídica. “Eles estavam preparando os estatutos, já tinham muitos textos, uma regulamentação interna, mas para ser uma Associação reconhecida pela Igreja, como desejavam, era preciso o reconhecimento da diocese, primeiramente”. Depois de algum tempo, finalmente no Domingo de Páscoa, em 1998, o arcebispo de Fortaleza, Dom Cláudio Hummes, assina o decreto de reconhecimento canônico do Shalom. “Eles ficaram muito felizes, tinham feito tudo muito bem. Foi uma grande festa. Porém, três dias depois, souberam que eu havia sido transferido, e puderam entender o porquê da minha pressa”.

Grandes Metas do Papa Francisco

O cardeal, hoje arcebispo emérito de São Paulo, Prefeito emérito da Congregação para o Clero e Presidente do Conselho Internacional de Catequese, também esteve em Fortaleza, para o lançamento de seu livro “Grandes metas do Papa Francisco”. O livro nasceu no intuito de homenagear o Santo Padre pelo seu aniversário de oitenta anos de vida e celebrar seu extraordinário pontificado, que vem mostrando ao mundo inúmeras atitudes de um autêntico espírito evangélico e iniciativas que estão mudando os rumos da Igreja.

Dom Cláudio na entrevista, destacou as três principais metas com mais urgência a serem cumpridas ainda no Pontificado de Francisco: ”a primeira meta, é algo que o Papa insiste muito, que é transformar a Igreja em uma Igreja missionária, acho que é um processo onde nós todos nos envolvemos com esse projeto”. A segunda principal meta destacada pelo Cardeal foi a questão da Misericórdia, “o papa instituiu um ano dedicado a Misericórdia, para mostrar que é a Misericórdia que salva, pois não podemos ficar apostando em leis ou disciplinas, acho que devemos apostar mesmo é na misericórdia”. A solidariedade para com os pobres foi a terceira meta pontuada “hoje há muito a fazer, temos que estar junto com os pobres, não é fácil, queremos muitas vezes fazer algo à distância, porém, conviver, abraçar, encorajar, caminhar junto é sempre um projeto exigente. ”

Amizade

Com um abraço e um beijo no rosto, Dom Cláudio Hummes, cumprimentou o Cardeal Jorge Bergoglio, no último conclave em Roma, quando o argentino foi escolhido Papa da Igreja Católica e lembra que disse as seguintes palavras: “Não te esqueça dos pobres”. Segundo Dom Cláudio, não havia preparado nada, “coisas do Espírito Santo, que usa os amigos para isso”, revelou como um amigo pessoal de Francisco.

“O Papa me disse que essas palavras entraram muito forte em sua cabeça e no coração, e a partir daí ele pensou nos pobres, escolheu o nome, pois São Francisco é o santo dos pobres, o santo da paz e da criação”.

Angela Barroso


Comentários

Aviso: Os comentários são de responsabilidade dos autores e não representam a opinião da Comunidade Shalom. É proibido inserir comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem os direitos dos outros. Os editores podem retirar sem aviso prévio os comentários que não cumprirem os critérios estabelecidos neste aviso ou que estejam fora do tema.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *